Anúncio

Advogada cria loja com produtos à base de cannabis, em Guarapari

Por Larissa Castro

Publicado em 21 de outubro de 2020 às 12:30
Atualizado em 22 de outubro de 2020 às 08:46
Anúncio

A planta Cannabis enfrenta processos para provar os diversos benefícios à saúde. Em Guarapari, uma advogada também abraça a causa e, por conhecimento e experiência própria com o uso de produtos, ela passa a vender itens para homens e mulheres, de todas as idades. A novidade, que é virtual, contém produtos de pele, cabelo, unhas, loção pós-barba e lubrificante íntimo; todos com teor baixo de canabinoides e 100% naturais.

Quebrando preconceitos, a advogada e empreendedora Litza Aoni, 23, viu na Cannabis uma fonte de renda e propagação das diversas funções que a planta pode cumprir. “Eu usava alguns produtos à base de cannabis, e notei uma demanda reprimida, já que por ser um assunto ainda tabu, muitas pessoas não tem conhecimento sobre os benefícios da cannabis à saúde e qualidade de vida. A ideia da lojinha nasceu, como uma forma de me aproximar do público medicinal, e também de me sustentar até que eu conseguisse uma certa estabilidade no direito”, explica.

Litza Aoni é advogada e empreende com produtos à base de cannabis. Foto: Arquivo pessoal.

O sucesso inicial das vendas resultou no investimento planejado para seguir na carreira de advogada. “Com a venda dos produtos consegui pagar o curso para trabalhar com a área da cannabis medicinal no direito. Hoje me especializo pra atuar nessa área e em breve, estarei pegando causas nesse sentido. Quero unir o direito penal e o direito à saúde, pra trabalhar com pacientes que precisam de acesso à cannabis medicinal, que em alguns casos, ainda só são feitos mediante intervenção judicial, já que o medicamento é caro e infelizmente o autocultivo é proibido”.

Loção pós-barba faz parte do catálogo da loja.

Diferente do que algumas pessoas imaginam, a venda e a compra dos produtos não são consideradas crime. “Os produtos possuem um teor muito baixo de canabinoides e por isso, não são considerados droga, pois não causam qualquer efeito psicoativo. São produtos cosméticos, apenas o sérum facial é comestível e, ainda assim, não contém a concentração de canabinoides suficientes para provocar mudanças psicotrópicas”, orienta Litza.

Com clientes fidelizados após a primeira experiência, para Litza, o preconceito ainda impede o acesso da qualidade dos produtos a muita gente. “O preconceito sobre a planta acaba inibindo o reconhecimento dos benefícios. Ainda há muita desinformação quando o assunto é maconha e isso faz com que as pessoas julguem sem conhecer. Além disso, no Brasil, a proibição dificulta estudos na área. Comparado a outros países mais desenvolvidos, ainda estamos engatinhando. tenho recebido incentivos diversos pelo trabalho de propagar informação que estou fazendo no Instagram. E diante a todas evidências científicas existentes hoje, não tem justificativa moralmente plausível pra ser contra o acesso à saúde. Nenhum preconceito resiste à informação”.

A loja

Intitulada de ‘Jardim Mágico’, a loja apresenta produtos disponibilizados no instagram @jardim.mágico_ , ainda em construção, e também no pessoal da advogada, @litzaaoni.adv . Com pontos de retirada em Guarapari, Cachoeiro e Vila Velha, as encomendas podem ser feitas pelo telefone 028 999931005. “A princípio a ideia é vender variados produtos à base de cannabis, que possam auxiliar a vida das pessoas de alguma forma. Vou abrir vendendo cosméticos de duas marcas: a Lubrinnabis, que hoje fabrica lubrificantes, e a Linha Canabica da Bá, que tem uma extensa linha de produtos de cuidados com a pele, unhas, cabelos e creme de massagem para dor. Todos os produtos são veganos, feitos com produtos naturais e à base de cannabis, tendo diversos benefícios à saúde”.

A loja é virtual e os produtos podem ser pedidos pelo Instagram ou WhatsApp.

De onde vem os produtos?

Com produtos variados, a empreendedora busca fornecedores especializados no assunto. “Procuro sempre trazer empresas comprometidas com a causa canábica e todos os benefícios sociais que ela proporciona. Hoje compro os produtos de dois fornecedores: Linha Canábica da Bá, cuja fundadora, biomédica, Dra. Barbara Arranz ingressou na causa canábica ainda na faculdade quando buscava alternativas para seu filho, diagnosticado com uma condição do espectro autista, é uma linha de produtos terapêuticos, cujo propósito é dar acessibilidade, propagar informações sobre o tema e quebrar o tabu mostrando como a maconha medicinal pode melhorar vidas. A outra é Lubrinnabis, de um casal de empreendedores de Curitiba cuja missão é desmistificar a maconha e apresentar seus poderosos efeitos; tanto medicinais, para o tratamento de diversas doenças, quanto no aumento do prazer sexual e incentivo ao empoderamento feminino. Eles também acreditam fielmente no poder da planta, lutam pela legalização e acreditam que em breve muitas pessoas vão poder fazer uso desse tratamento com tranquilidade”.

Lubrinnabis

Testado e aprovado por diversas pessoas, o lubrificante vendido por Litza têm sido muito procurado, após indicação de usuários. “Por termos receptores de canabinoides na nossa pele, os lubrificantes à base de cannabis deixam a região muito mais sensível, facilitando o orgasmo e até orgasmos múltiplos, fazendo a relação ser muito mais intensa. Além disso, há relatos de ações anti-inflamatória, fungicida, bactericida, além de agir diminuindo vários tipos de dores. Algumas clientes relataram melhoras em candidíase, dores de cabeça, cólicas e dores musculares”, esclarece.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Anúncio
Anúncio

Veja também

corona

Exames da Covid-19 agora são liberados por e-mail em Guarapari

adote um idoso2

Campanha “Adote um idoso” arrecada doações em Guarapari

Em paralelo, há também arrecadação de alimentos para famílias carentes do município

Anúncio
Anúncio
CTPS; CARTEIRA DE TRABALHO; EMPREGO; FOTOS DAVI PINHEIRO/GOVERNO DO CEARA;

Sine Anchieta divulga novas vagas com oportunidades para moradores de Guarapari

Prefeito Gedson

Gedson Merizio pode se tornar deputado estadual por Guarapari

Os resultados das eleições municipais deste ano colocam Gedson com a possibilidade de assumir o cargo no próximo ano

Anúncio
Prêmio3

Professora atuante em Guarapari e Anchieta está entre as finalistas do Prêmio Shell

Cibele Machado é professora do nono ano do ensino fundamental II. Ela está na disputa e aguarda ansiosamente o resultado

casal-motohome (2)

Casal de Guarapari viaja em van com estrutura residencial montada por eles

Dentre os destinos favoritos do casal: Ubu, em Anchieta

Anúncio