Anúncio

Artigo: Gratuidade de Justiça frente à nova crise mundial

Publicado em 13 de junho de 2020 às 15:00
Atualizado em 15 de junho de 2020 às 09:12
Anúncio

Por Dr. Iago Sardinha De Oliveira (*) Advogado OAB/ES 31.548

Em tempos de crise econômica advinda pelo inesperado Covid-19, a economia sofreu consequências drásticas e a saúde financeira de muitos restou prejudicada. Pessoas jurídicas e físicas sofreram diretamente com a paralisação de suas atividades comerciais. Neste cenário vamos analisar o benefício da gratuidade de justiça. Afinal, você sabe exatamente o que é este benefício e quem pode usufrui-lo?

Todo ato da máquina judiciária demanda custas e despesas. As custas processuais incluem a taxa de justiça, os encargos e as custas da parte. Em certas circunstâncias, devem ser pagas antecipadamente pela parte promovente. Fato é que, dependendo da demanda a ser ajuizada, poderá ser extremante dispendioso o acesso à justiça, mormente se você for a parte vencida, pois, ao final, arcará também com os honorários sucumbenciais, que nada mais é que um valor a ser fixado pelo juiz destinado ao advogado da parte vencedora. 

Para garantir o acesso à justiça daqueles considerados hipossuficientes se criou a Lei 1.060/50. O Código de Processo Civil expõe a presunção relativa de pobreza da pessoa natural por meio de uma simples declaração. A Suprema Corte de Justiça pacificou o entendimento de que o juiz só poderá indeferir o pedido de gratuidade se houver nos autos elementos que evidenciem falta dos requisitos legais para a sua concessão, devendo respeitar a presunção prevista no Código Processual.

Já as pessoas jurídicas não gozam de tal presunção, ou seja, não basta a simples declaração para obtenção do benefício, deve haver provas capazes de afirmar a sua falta de condição. 

Contudo, em virtude do fechamento de várias atividades comerciais ocorridas como forma de combate ao Covid-19, configura-se fato relevante para concessão de gratuidade tanto para as pessoas físicas como jurídicas. 

Neste aspecto, empresas e comerciantes afetados pela crise podem se socorrer as benesses da gratuidade de justiça, em consonância com o princípio constitucional da inafastabilidade da tutela jurisdicional. 

* Dr. Iago Sardinha De Oliveira – OAB/ES 31.548

Pós graduando em Processo Civil

Advogado com atuação na área civil e trabalhista

Anúncio
Anúncio

Veja também

teste-rapido-coronavirus-covid19-1

Com mais um óbito, Guarapari totaliza 82 mortes pela Covid-19

O município registra 2.084 casos confirmados e 1.698 curados, além de 3.979 casos suspeitos

praça

Moradores de Meaípe se unem e criam praça em área abandonada do bairro em Guarapari

A comunidade batizou de “Praça da Sereia” o espaço que vem sendo criado a partir de esforços coletivos

Anúncio
Anúncio
Esgoto Itapebussu2

Guarapari: Esgoto “invade” há anos casa em Itapebussu; moradora pede solução

Foto: Reprodução

Sine Anchieta anuncia vagas com oportunidades de emprego em Guarapari

Dentre as vagas de emprego anunciadas, há oportunidades para moradores de Anchieta, Guarapari, Piúma e Iconha

Anúncio
capa-curado-covid

Curado da Covid-19, idoso retorna para casa em Guarapari após 22 dias internado

Aos 79 anos, Helvécio Gomes dos Santos esteve hospitalizado do dia 08 ao dia 30 de junho; Hoje, recebe ajuda de familiares para lidar com as sequelas da doença

live

Sexta (07) tem live solidária em prol da Pestalozzi de Alfredo Chaves e Amor que Late & Mia

A transmissão acontecerá no Youtube, no canal Jonas Munaldi Produções, a partir das 19h

Anúncio