Anúncio

Futuros vereadores se comprometem a realizar mandato mais transparente

Por Livia Rangel

Publicado em 13 de novembro de 2012 às 00:00
Atualizado em 27 de janeiro de 2015 às 14:16

Anúncio

Depois do recado em favor da renovação anunciado pelas urnas, chegou a vez dos vereadores eleitos para a Câmara de Guarapari aderirem a um projeto de mudança, com o objetivo de tornar os trabalhos parlamentares mais transparentes e com maior participação popular.

Com uma imagem desgastada, principalmente pelo aumento de 148% no salário dos edis aprovado no ano passado (e que depois retrocedeu para um reajuste de 91%, porcentagem ainda considerada abusiva pela população), a intenção agora é aparar as arestas para realizar um mandato coerente com o que a sociedade precisa.

Esse foi o compromisso firmado pelos futuros parlamentares durante uma reunião com a ONG Transparência Guarapari, realizada na última segunda-feira (12), no Radium Hotel. Dos 15 eleitos, 13 compareceram: Fernanda Mazelli, Lincoln, Aratu, Manoel da Ki-Delícia, Dito Xaréu, Gedson Merízio, Professor Germano, Thiago Paterlini, Ronaldo Tainha, Oziel, Jorge Ramos, Jorge Figueiredo e Paulina.

Segundo a ONG, Vanderlei Astore justificou sua ausência informando que estava com viagem marcada para outro estado. Já Anselmo Bigossi não conseguiu ser comunicado oficialmente pela equipe, apesar de terem deixado recado no celular e com a secretária dele.

“Essa reunião é o primeiro passo para firmar uma parceria e convivência amigável com todos os vereadores para que a população de Guarapari enfim possa sair ganhando. Temos bons projetos para agregar. Não queremos agredir ou acusar ninguém”, disse o assessor da Transparência, Alex Willians.

Propostas. Entre algumas das propostas apresentadas estavam a revisão do plano de cargos e salários dos funcionários efetivos, diminuição do número de comissionados, divulgação das pautas de votação das sessões ordinárias em até 72 horas de antecedência e manutenção das 15 cadeiras para o legislativo.

Todos os vereadores presentes aprovaram a iniciativa e informaram que concordam com a maioria das propostas, apesar de algumas não dependerem somente deles para serem aprovadas. “Infelizmente não compete a nós decidir a questão da entrada do 16º e 17º vereador, que está nas mãos da justiça, mas estamos aqui para somar e aprender”, destacou Fernanda Mazelli, estreante no cargo e vereadora eleita mais jovem do Estado.

Gedson Merízio foi outro a agradecer pela oportunidade de dialogar com a ONG. “Creio que estamos vivenciando um rompimento com a política do passado. Nosso objetivo é fazer com que  nossos filhos e a sociedade em geral se orgulhem de nós como vereadores”, afirmou.

Futuro da prefeitura. Outro ponto discutido na reunião foi com relação ao clima de insegurança política vivido pela cidade após a anulação da eleição para prefeito. A previsão da justiça eleitoral é que o segundo pleito seja realizado em 03 de fevereiro. Isso significa que, por pelo menos um mês, a cidade deverá ter o presidente da Câmara como prefeito interino.

“Guarapari está vivendo um momento muito difícil, todas as tensões estão voltando. E quem deve assumir um papel de preponderância nesse período é a Câmara”, alertou o advogado Marcellus Ferreira Pinto, especialista em direito eleitoral.

Ele destacou que o presidente da Câmara tem que ser escolhido com bastante critério, pois não vai ser um período de comodidade, sem direito à equipe de transição e pouquíssimas informações sobre como estará a prefeitura no dia 1º de janeiro.  “Essa é uma cidade com protagonismo na época do verão e os serviços essenciais não podem parar. Não se pode esquecer que o presidente da Câmara, enquanto prefeito interino, poderá responder criminalmente e civilmente por qualquer deslize cometido nesse período”.

Os vereadores reeleitos Thiago Paterlini e Jorge Figueiredo manifestaram sua preocupação com esse futuro incerto, informando que como parlamentares em exercício, eles têm direito a pedir informações mais completas sobre a situação financeira da administração municipal desde já, eliminando algumas dúvidas.

“Nós temos o conhecimento que é encaminhado mensalmente o balancete financeiro, mas vamos pedir informações complementares para que não tenhamos dúvidas de qual é a situação financeira do caixa da prefeitura”, disse Thiago.

Figueiredo, por sua vez, disse que o grupo dos 15 eleitos irá marcar uma reunião com o juiz da Vara dos Feitos de Guarapari para saber mais detalhes sobre a questão dos contratos que vencem no final do ano e até quando eles poderão ser prorrogados. “Assim que tivermos as informações em mãos, iremos com certeza passá-las para a população ficar ciente”, garantiu.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

olimpiadas-2020-2021-07-23

Artigo: Espírito Santo na disputa de medalhas nas Olimpíadas 2020 atrasadas de Tóquio

IMAGEM-DO-ARTIGO-imoveis-2021-07-23

Artigo: quatro pontos que todo locador deve saber antes de alugar seu imóvel

Anúncio

Anúncio

ifes guarapari 2

Ifes de Guarapari está com inscrições abertas para cursos técnicos gratuitos

Ao todo, estão sendo ofertadas 108 vagas distribuídas entre os cursos concomitantes noturnos de Administração, Eletrotécnica e Mecânica

doacao-de-sangue-hemoes

Solidariedade x Covid-19: Hemoes precisa de mais doadores de sangue

Anúncio

65o-MAPA-DE-RISCO-26.07-a-01.08-1

65° Mapa de Risco Covid-19: Guarapari, Anchieta e Alfredo Chaves seguem em risco baixo

Novo mapa segue com apenas 6 municípios em risco moderado em todo o estado

Job Jiu-JitsuSDC

Projeto Social de Guarapari brilha em mundial de Jiu-Jitsu

Atletas de várias idades se destacaram em disputa realizada no Rio de Janeiro

Anúncio