Anúncio

Mais uma turma de formandos consegue realizar baile de formatura após calote

Por Glenda Machado

Publicado em 29 de setembro de 2017 às 18:15
Atualizado em 29 de setembro de 2017 às 16:57
Anúncio

E mais uma turma consegue realizar o sonho de ter o baile de formatura depois do calote que levaram da empresa Rumin Eventos, no início deste ano.  Sacudindo a poeira e correndo atrás deste objetivo, alunos da turma de Engenharia de Produção da Faculdade Pitágoras enfrentam o pesadelo e o calote que levaram da empresa que organizava formaturas em Guarapari. Eles se uniram depois que a empresa levou mais de 70 mil que a turma havia pagado para ter a festa.

Alunos da turma de Engenharia de Produção não desistiram do sonho do baile de formatura e realizam a comemoração neste sábado. Foto: arquivo.

Virando essa página, os alunos se organizaram, suaram a camisa, pediram apoio e fizeram vaquinha. O resultado foi o esperado e neste sábado (30) eles concluem mais uma etapa da formação profissional. “No começo ficamos desanimado e pensamos que não ia dar certo. Depois que levamos o calote várias empresa nos procuraram com orçamentos bem mais em conta, conseguimos fechar com um valor bem abaixo do esperado e agora vamos realizar nosso sonho”, disse o aluno e líder da comissão de formatura, Marcos Aurélio.

Turma reunida em colação de grau. Foto: arquivo.

Além do calote que levaram da empresa, a turma perdeu neste ano uma colega de turma em um acidente de moto. O ocorrido deu mais força a turma para continuar no mesmo objetivo. “Como te disse com tudo que nos aconteceu com a Rumin ainda perdemos uma colega, a Maira Andrade, mais com muita luta e dedicação, conseguimos e agora é só agradecer a todos que nos ajudaram”, completou Marcos.

Depois de inúmeras rifas e novas parcelas para conseguir o valor total para custear a nova festa, as alunos arrecadaram o valor de R$11 mil. Exatamente o que precisavam para os custos do baile de formatura. “Todos os parceiros que contratamos fizeram preços bem acessíveis e vamos gastar muito menos que antes. Gostaríamos de agradecer ao músico Cristian Godoy, DJ Gleidson, Dani Fotógrafa, a Flávia Cerimonial da Praia e também a Dani Carminate que nos auxiliaram em todo esse processo”, disse o aluno.

Sobre o calote, Marcos disse que a turma ainda não recebeu nenhum retorno e que até hoje a dona da empresa encontra-se foragida. “Infelizmente nada se resolveu e até hoje os donos da empresa não apareceram em nenhuma audiência. Já perdemos as esperanças desse dinheiro voltar, mas agora o jeito e comemorar tudo o que passamos juntos”, desabafou.

Relembre o caso

O sonho de ter uma formatura se tornou pesadelo para pelo menos 15 turmas de uma faculdade, em Guarapari. O prejuízo estimado foi de quase um milhão de reais. Após pagar uma empresa de eventos por 34 meses para que ela realizasse a colação de grau e o baile, a turma descobriu, em janeiro deste ano que a empresa não poderia realizar o trabalho por estar “falida”. Depois disso, afirmam as vítimas, a dona da empresa desapareceu.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio
Anúncio

Veja também

1D9511D7-5D35-48E5-A1CE-32534D35DF82

A mediação como meio de solução pacífica de conflitos após a pandemia

Criolipólise-foto-Clovis-Rangel

Projeto verão: tratamentos estéticos para ficar com tudo em cima mesmo com a pandemia

Anúncio
Anúncio
teste-rapido-coronavirus-covid19-1

Alfredo Chaves, Anchieta e Guarapari elevam casos de Covid-19 e retornam ao Risco Moderado

Carros-Foto-Romero-Secom-ES

Governo do Estado divulga datas para pagamento do IPVA

Anúncio
Upa Covid

Guarapari amplia espaço para pacientes com suspeitas de síndromes respiratórias na UPA

MarcosKneip_01

“Temos saldo de 9 mil empregos e zeramos as perdas no ES”, disse secretário Marcos Kneip

Guarapari está com um saldo positivo de 349, foram 777 admissões e 428 desligamentos

Anúncio