Anúncio

Moradores reclamam da falta de profissionais em posto de saúde do Camurugi, em Guarapari

Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) informou que está providenciando uma solução para normalizar o atendimento no local

Por Redação Folhaonline.es

Publicado em 23 de dezembro de 2020 às 09:00
Atualizado em 23 de dezembro de 2020 às 18:35

Anúncio

Unidade de Saúde de Camurugi
Foto: reprodução.

Moradores do bairro Camurugi procuraram a redação do folhaonline.es denunciando a falta de profissionais na Unidade Básica de Saúde do bairro. Segundo os relatos, o acesso ao atendimento foi complicado durante todo o ano, pois a médica que atende ao posto esteve de licença durante a maior parte do tempo sem substituição. Atualmente, a enfermeira que atende à população também precisou ser afastada por problemas de saúde, o que dificultou ainda mais os atendimentos.

Há 7 dias, a Ana Karolyne Silva procurou atendimento para a avó, que não possui mobilidade para ir ao posto, mas ainda não conseguiu. “Minha avó teve um dedo amputado devido à diabetes e, hoje, está com uma ferida aberta, que precisa ser tratada. Na única vez que um enfermeiro tentou vir aqui ela estava tomando banho, porque a gente não sabia que ele viria. Mas ele não pode esperar ela terminar e se aprontar, já teve que voltar correndo para o posto. Até hoje, ela está sem o atendimento”, relata.

Ela também conta que a dificuldade de atendimento na Unidade de Saúde do Bairro é constante. “Quem costuma dar atenção à população é a enfermeira chefe do posto, mas recentemente ela teve problema de saúde e também precisou se afastar”, explicou.

Uma moradora que não quis se identificar aguarda há 30 dias um encaminhamento para o Hospital Evangélico de Vitória, que precisa ser solicitado pela Unidade de Saúde do Bairro. “Posso perder minha vista em qualquer momento porque o posto não faz o encaminhamento para o Hospital Evangélico, que é quem vai fazer a avaliação e o procedimento cirúrgico. A gente vê campanhas pedindo para que as pessoas cuidem da saúde, mas na realidade, o que enfrentamos é essa situação”, desabafa.

Segundo ela, os moradores da região acabam tendo que procurar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município por problemas que poderiam ser resolvidos na Unidade Básica de Camurugi. “Ontem mesmo precisei levar meu esposo para lá por causa de um furúnculo. Problema que poderia ser tratado aqui. E aí a gente acaba precisando enfrentar a superlotação do UPA, se expor ao Covid mesmo sendo grupo de risco, tudo porque o Posto do bairro não funciona”, explicou.

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) informa que já está providenciando uma solução para retomar o atendimento médico na unidade. A nota conta ainda que a substituição da médica não é uma troca simples, por se tratar de um convênio com o Governo Federal. “Vale ressaltar que a médica que atende na unidade faz parte do convênio com o Governo Federal e só pode ser substituída por outro médico pertencente ao mesmo convênio”, explica.

A Semsa explica também que já providenciou um enfermeiro para atender a unidade. “O atendimento acontece nas segundas, quartas e sextas-feiras e está sendo feito desde a última semana”, conclui a nota.

*Texto Gislan Vitalino.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Anúncio

Anúncio

Veja também

2021_09_20-qualificar-es-galeria-Kainan-Juliana-e-tyago.JPG

Programa Qualificar ES realiza cerimônia de formatura em Guarapari

Praça Trajano (3)

Morador lamenta abandono da Praça Trajano Lino Gonçalves em Guarapari

Anúncio

Anúncio

projeto-escola-rural-2021-09-21-1

Escola Rural de Guarapari trabalha impacto da Educação Física para outras matérias e para a vida

Trabalho envolve professores de diversas matérias e incentiva inclusão e disciplina

ondas

Previsão de ondas de até 5 metros e ventos que podem chegar a 75 km/h no ES

Anúncio

vacina pfizer crianças

ES espera aval da Anvisa para vacinar crianças a partir de 3 anos contra Covid-19

O secretário de Saúde afirmou que a expectativa do governo é que a Sinovac e a Pfizer apresentem a documentação necessária para liberação da vacinação desse público até dezembro

vacinação adolecente

Guarapari vacinará adolescentes a partir dos 12 anos; o agendamento acontece hoje (21)

Anúncio