Anúncio

O “filho pródigo” da vida real

Por Livia Rangel

Publicado em 21 de dezembro de 2015 às 10:30
Atualizado em 23 de dezembro de 2015 às 16:42
Anúncio

Ze EmilioQuase todo mundo conhece a parábola do Filho Pródigo. A história, contada por Jesus narra as dificuldades enfrentadas por um jovem ao pedir a herança antecipada e se afastar da casa do pai. Assim, do conforto ele passou à miséria, da abundância à fome, e do orgulho à humilhação.

Essa narrativa fala de uma maneira muito especial a José Emílio Costa, hoje aposentado, casado há 36 anos, com 4 filhos e 4 netos. Quem o vê agora e escuta sua voz mansa não imagina por todas as privações que ele passou ao tentar perseguir, como ele mesmo diz, “a ilusão dessa tal liberdade”.

Assim como o rapaz da parábola, “Zé” Emílio decidiu aos 16 anos sair da casa dos pais, em Goiás, e ir sozinho para o Rio. “Àquela época, eu já trabalhava, ajudava no sustento da família. Mas eu queria mais, queria ser livre. Ao não conseguir trabalho fui morar na rua, revirei latas de lixo para me alimentar e encontrei meu consolo na bebida e nas drogas”.

Foram dois anos vagando sem destino até chegar a um canteiro de obras onde tomou coragem e pediu um emprego como pintor – sua profissão. “Só pedi um prato de comida e um lugar para dormir. Aos poucos, fui ganhando mais força, mais confiança. Voltei depois para visitar minha família e foi um momento muito bonito”. Porém, um inimigo ainda o assombrava. “Eu continuava bebendo, cheguei a ser preso duas vezes por me envolver em situações de violência”.

A eficiência no trabalho o levou a vários lugares até chegar a Guarapari, já casado com Maria Celeste, que conheceu em Vitória. E no dia 2 de novembro de 1980 tudo mudou. Ao aceitar o visitar uma igreja (que é membro até hoje), ele ouviu uma palavra que mudou sua vida e nunca mais colocou uma gota de álcool na boca. “Não digo que foi fácil. Eu sofri pelo menos três dias de abstinência intensa, tive alucinações, mas superei. Porque tinha conhecido a Fé de verdade”.

Trinta e cinco anos depois, Zé Emílio se considera uma pessoa feliz e realizada, construindo uma posição de respeito como pregador e palestrante. “Deus me proporcionou realizar todos os meus sonhos. Por exemplo, quando criança, eu sonhava em casar com uma professora diretora de escola e não é que me casei com uma mesmo?”, brinca.

Deus me proporcionou realizar todos os meus sonhos. Por exemplo, quando criança, eu sonhava em casar com uma professora diretora de escola e não é que me casei com uma mesmo?”

E ele não esquece as lições aprendidas enquanto estava na rua. “Assim como uma pessoa me deu a chance de reconquistar a dignidade, busco fazer o mesmo com os outros. Quando encontro dependentes, falo com eles olho no olho, pois vivi a mesma situação. Eu os entendo como ninguém mais pode. E digo assim: se a dor que eu senti não serve para ajudar o próximo, tudo foi em vão. Eu acredito fielmente que tudo foi um propósito de Deus. E por isso louvo a Ele todos os dias da minha vida e testemunho a sua misericórdia”.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio
Anúncio

Veja também

corrego-da-prata-inaugu

Prefeito de Anchieta entrega escola reformada e obras seguem firmes no município

A escola de de Córrego da Prata ganhou melhorias na parte estrutural, além de diversos equipamentos

Foto: Reproduçao / Sinestesia - Criatividade Coletiva

Prazo para cadastramento de fazedores de cultura de Guarapari vai até terça-feira (11)

O objetivo da iniciativa é criar um banco de dados da cultura local, facilitando o acesso ao auxilio emergencial da Lei Aldir Blanc

Anúncio
Anúncio
cestas básicas

Ong do bairro Adalberto distribui cestas básicas para famílias carentes de Guarapari

As cestas doadas pela Associação Crescer Com Viver foram obtidas por meio do movimento Saúde e Ação, pelo instituto Unimed Vitória

marketing digital

Readequação dos atuais negócios ao período pós pandemia da Covid-19

Anúncio
Foto: Reprodução

Guarapari registra mais duas mortes e totaliza 85 óbitos pela Covid-19

As vítimas fatais da doença residiam nos bairros Coroado e Santa Mônica

Imagem prioridade de tramitação - artigo Larissa

Artigo: Prioridade de tramitação nas execuções de honorários advocatícios

Anúncio