Anúncio

Sine Guarapari já deixou de fazer 11 mil atendimentos

Por Livia Rangel

Publicado em 1 de dezembro de 2015 às 14:45
Atualizado em 1 de dezembro de 2015 às 15:00
Anúncio

Agência está há cinco meses sem funcionamento. Há apenas um funcionário que presta esclarecimentos aos que procuram o serviço

Sine 30_06

Pessoas se aglomeram em frente ao Sine Guarapari em busca de atendimento.

 

Aberta no final do ano passado,a nova sede do Sine Guarapari, que fica na Rua Getúlio Vargas, no centro da cidade não funciona desde o mês de julho. Inoperante, o órgão deixa de atender mensalmente cerca de 2.200 pessoas, que buscam encaminhamento para vagas de emprego, solicitação de seguro desemprego, cursos de qualificação e outros serviços. Considerando os seus cinco meses sem atividades, chega-se a um número aproximado de 11 mil usuários sem atendimento.

Quem vai ao local se depara com a agência aberta, mas o único funcionário administrativo presente e os cartazes na porta informam: não estão sendo realizados atendimentos e não há previsão de retorno. Situação que revoltou João Pedro Ribeiro, de 23 anos, que foi ao Sine em busca de uma vaga de emprego. “Não é a primeira vez que venho aqui para procurar um emprego, mas me disseram que o sistema não está funcionando. O jeito agora é sair espalhando currículos por aí”, conta o rapaz que está desempregado há um mês.

O órgão é gerido pelo Governo do Estado, que informou por meio da subsecretária de Estado do Trabalho, Fernanda Maria Souza, que os problemas atuais são decorrentes da mudança de endereço e ocasionou algumas dificuldades com a nova locação. A subsecretária não deu detalhes sobre o que está ocorrendo, mas em uma simples passagem pela agência é possível notar que não há abastecimento de energia elétrica, deixando a unidade no escuro e impossibilitado de realizar qualquer trabalho. Os motivos para o corte da energia não foram esclarecidos pela Secretaria do Estado do Trabalho.

Empregadores também são prejudicados

A lista de afetados pela falta de funcionamento do Sine Guarapari aumenta cada dia e não se restringe apenas aos trabalhadores. “Nós ficamos sem referência para divulgar as vagas de emprego. É uma situação prejudicial também para os empresários do município”, lamenta Agnaldo Ferreira, superintendente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Guarapari.

Ele informa ainda que é preciso recorrer a sites pagos para a divulgação das vagas que normalmente eram feitas pelo Sine.

Muitas perguntas, poucas respostas

DSC02097

Cartazes informam a suspensão dos serviços no Sine Guarapari.

A reportagem do Folha da Cidade questionou a Secretaria de Estado do Trabalho sobre a previsão de retorno das atividades, os custos com a locação da unidade inoperante, entre outras perguntas, mas a subsecretária Fernanda Souza limitou-se a dizer que “atualmente, são oferecidos no local a triagem, ou seja, verificação de documentos para a habilitação ao Seguro Desemprego e posterior encaminhamento ao Ministério do Trabalho e orientações sobre mercado de trabalho e entrevista”.

Na prática, há um servidor na agência capaz apenas de tirar dúvidas e encaminhar os usuários para outros órgãos. No caso de vagas de emprego, a orientação é de que os candidatos busquem por oportunidades nos sites da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia, Prefeitura de Guarapari ou outras unidades do Sine. Para solicitação do seguro desemprego, deve-se procurar o Ministério do Trabalho.

Prefeitura Municipal

Procurada para esclarecimentos sobre a situação, a Prefeitura de Guarapari informou que:

O SINE é de responsabilidade do Governo Estadual. Compete à Prefeitura de Guarapari único e exclusivamente o fornecimento de pessoal (funcionários), sendo dois servido
res administrativos e um de serviços gerais. Tendo em vista a interrupção dos serviços na unidade, os servidores cedidos estão a serviço da Secretaria Municipal de Trabalho, Assistência e Cidadania até que o serviço seja normalizado pelo Governo Estadual.

Por Mariana Bergamini

Anúncio
Anúncio

Veja também

corona

Coronavírus: Guarapari registra 12º óbito e mais 10 casos da doença

A vítima fatal da doença residia no Centro

CTA

Centro de Testagem e Aconselhamento vira alvo de denúncias em Guarapari

Anúncio
Anúncio
Lucineia Santos de Souza. Foto: Arquivo Pessoal

Moradora de Guarapari já produziu e doou mais de 500 máscaras para famílias carentes

Com um saco de retalhos e um rolo de elástico, Lucineia Santos resolveu ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade social a se protegerem da Covid-19

homicidio

Número de homicídios no ES reduz em maio e atinge melhor número dos últimos 24 anos

Anúncio
abertura de em presas

ES está entre os 12 estados com menor tempo de espera para abertura de novas empresas

cão4

Pandemia faz número de adoção de cães e gatos crescer em Guarapari