Anúncio

Suspenso decreto que flexibilizava horário de funcionamento do comércio em Guarapari

Decisão também determinou que não sejam expedidos novos atos normativos que diminuam a proteção da população contra a Covid-19

Por Redação Folhaonline.es

Publicado em 24 de julho de 2020 às 17:13
Atualizado em 26 de julho de 2020 às 09:06

Anúncio

Foto: Arquivo Folhaonline.es

A Justiça deferiu o pedido de tutela de urgência do Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES) e suspendeu o Decreto Municipal nº 381 de 16 de julho de 2020 de Guarapari que desrespeitava as normas estaduais de classificação de risco diante da pandemia do novo coronavírus. A Ação Civil Pública (ACP) foi ajuizada pela Promotoria de Justiça de Guarapari em face do município. A decisão também determinou que não sejam expedidos novos atos normativos que diminuam a proteção da população contra a Covid-19, em comparação aos decretos e portarias da esfera estadual e federal. Ou seja, o município pode criar atos normativos no combate à Covid-19 que sejam mais restritivos, mas nunca mais tênues do que aqueles determinados pelas esferas estadual e federal.

O município de Guarapari publicou o Decreto nº 381 em 16 de julho de 2020, quando ainda era classificado como de risco alto, visto que a modificação para classificação em risco moderado somente se deu em 18 de julho de 2020 pelo Governo do Estado. Ainda que tenha havido a mudança de classificação, as normas do município (que já desrespeitavam as normas estaduais relativas à classificação de risco alto) continuavam a desrespeitar a classificação de risco moderado, status posterior à edição publicação do novo decreto. 

Também houve desrespeito às portarias expedidas pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) que tratam do funcionamento do comércio considerado não-essencial. As portarias fixaram que o setor poderá funcionar de segunda à sexta-feira, das 10h às 16 horas, em municípios considerados em risco moderado, como o caso de Guarapari. Também possibilitam o funcionamento de restaurantes e lanchonetes de segunda à sexta-feira, até as 18 horas e, aos sábados, até as 16 horas. O decreto municipal, conforme decisão do juízo, extrapolou os limites estabelecidos pelos atos normativos estaduais, tornando menos restritivas as regras de proteção à população.

Veja a decisão

Entenda

No documento, a Prefeitura autoriza o atendimento presencial de restaurantes, pizzarias, cafeterias e hamburguerias do município até as 22h, de segunda a sexta-feira, com tolerância de 30 minutos para o encerramento do funcionamento. Além disso, o decreto municipal permite que os restaurantes funcionem aos sábados e domingos, das 11 às 15h. 

  • Com informações do Ministério Público do Estado do Espírito Santo

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Anúncio

Anúncio

Veja também

74-mapa-de-risco-covid-19-1

Governo do Espírito Santo divulga 74º Mapa de Risco Covid-19

amarelo-setembro-2021-09-24

Ação em Guarapari busca conscientizar sobre importância da saúde mental

Ação acontece neste sábado (25), no Centro da cidade

Anúncio

Anúncio

Foto: Reprodução/Pixabay

Câmara derruba veto e promulga lei contra nomeação de condenados por violência contra a mulher em Guarapari

Pfizer-COVID-19-Vacine

Ação de vacinação gera dúvidas; prefeitura de Guarapari esclarece

Anúncio

filhos procuram pai21

Sem encontrar o pai há mais de 30 anos, filha busca notícias em Guarapari

A família morava no município até a separação do casal; a mãe foi com os filhos para o Rio de Janeiro

pfizer

Pfizer: Guarapari faz ação com 12 mil doses para imunizar diversos grupos contra Covid-19

Imunização acontece amanhã (25) em Unidades de Saúde do município

Anúncio