Anúncio

Vereadores questionam falhas na coleta seletiva de lixo em Guarapari

Por Glenda Machado

Publicado em 10 de maio de 2018 às 16:42
Atualizado em 10 de maio de 2018 às 16:42

Anúncio

Problemas na coleta seletiva em bairros de Guarapari tem prejudicado as famílias que dependem da renda obtida com a separação dos materiais recicláveis. Essa foi a constatação feita pela Comissão Permanente de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca formada pelos vereadores Marcos Grijó, Thiago Paterlini e Denizart Luiz em reunião na última terça-feira (8), que discutia o funcionamento da coleta no município.

Comissão de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca questiona e pede um plano de ações para o executivo solucionar o problema. Foto: Glenda Machado

De acordo com o vereador Grijó a coleta seletiva não funciona como deveria. “Hoje temos uma deficiência no município que é a coleta seletiva. Os pontos de coleta não estão funcionando, os catadores não possuem material adequado para coletar e separar o lixo reciclável e não existe uma conscientização da população para esse fim. Nós pedimos uma providência urgente do executivo”, disse.

Atualmente a coleta seletiva é realizada no município há 18 anos em parceira com a Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Guarapari (Asscamarg).  De acordo com a própria associação a situação piorou muito depois que um caminhão utilizado para a coleta teve que ficar em manutenção e a prefeitura não fez a substituição. Como os salários dos funcionários são pagos de acordo com os valores vendidos, houve redução nos rendimentos.

“Hoje essa parceria entre a prefeitura e a Asscamarg sofre um descompasso. Os catadores são prejudicados pois não conseguem ganhar nem um salário mínimo. Atualmente o valor repassado aos colaboradores é de R$300 e a coleta seletiva não consegue ser feita com frequência”, disse o voluntário da associação, Professor Diogo.

A associação afirma que arrecada 20 toneladas de material reciclável por ano e que gera uma economia à Prefeitura Municipal de Guarapari de R$100 mil, mas segundo o vereador Thiago Paterlini não há nenhum tipo de contrapartida do município, ou benefício social para esses catadores.

“Esse salário que os catadores recebem é desumano. O município poderia dar uma subvenção social ao catador, como forma de complementar essa renda, pois todos esses 14 colaboradores tem uma parcela importante na economia e no meio ambiente de Guarapari”, defendeu Paterlini.

Secretária de Meio Ambiente e Agricultura e Pesca, admite falhas no sistema de coleta seletiva. Foto: Glenda Machado

Presente na reunião e representando o executivo, a secretária de Meio Ambiente e Agricultura, Thereza Cristina, admitiu que a coleta seletiva não funciona no município e disse que a secretaria tem planos de implantar uma usina de reciclagem de lixo na cidade. “Estamos trabalhando em plano municipal de resíduos sólidos, a minuta já está pronta e falta apenas ser aprovado pelo conselho municipal. Esse plano contempla a coleta seletiva e a criação de uma usina de reciclagem”, explicou a secretária.

Dificuldades

Com a falta da coleta específica, muitos materiais acabam misturados ao lixo comum. “É um desperdício, pois pessoas deixam de ter seu emprego e o aterro sanitário fica poluído”, ressaltou o vereador Denizart.

Enquanto a situação não é resolvida, a catadora Nice Pereira desabafa sobre as dificuldades que enfrenta. “O que a gente ganha é muito pouco e não dá para nada. Quero muito que o prefeito olhe por nós e a situação que todas as minhas colegas catadoras enfrentam sem a estrutura que a gente precisa para recolher os materiais recicláveis. O caminhão que ajudava para recolher o lixo faz apenas uma rota por dia e a quantidade de material é muito baixa”.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

escola_estadual

Educação de Anchieta realiza pesquisa para iniciar ano letivo com segurança

Consulta servirá de base para o planejamento das ações de início do ano letivo de 2021

painel covid gri

Painel Covid-19: 44% dos infectados em Guarapari têm entre 30 e 49 anos

186 óbitos foram registrados na cidade até o momento

Anúncio

Anúncio

manifestacao-radium-bares-e-restaurantes

Profissionais de bares e restaurantes de Guarapari protestam contra restrição de horário

Participaram cerca de 200 funcionários e proprietários de cerca de 35 estabelecimentos do segmento em Guarapari

vacina-covid-

Alfredo Chaves e Guarapari se preparam para vacinação contra a Covid-19

Com a chegada das vacinas ao solo capixaba os municípios se organizam para receber as doses e iniciar as aplicações

Anúncio

sedu2-2

Última semana para efetivar matrícula em escolas estaduais de Guarapari

Alunos cujos responsáveis não realizarem essa confirmação até a próxima segunda-feira (25), serão considerados como desistentes.

estacionamento_irregular2

Denuncia: estacionamento irregular vira hábito em Guarapari

Em nota, a Septran informou que uma decisão judicial proíbe os agentes de expedir notificações/atuações por infração de trânsito.

Anúncio