Anúncio

A retomada da Samarco terá menos de 30% de sua capacidade

Por Aline Couto

Publicado em 15 de maio de 2018 às 12:06
Atualizado em 15 de maio de 2018 às 12:12

Anúncio

Mineradora deve voltar às atividades com apenas uma usina operando, das quatro existentes em Anchieta

Após vários ensaios de retorno, a mineradora continua sem previsão da volta das atividades e segue dependendo do andamento dos processos de licenciamento ambiental. Desde o rompimento da barragem em Mariana, Minas Gerais, em 2015, diversos prazos de retomada das atividades foram dados, mas, para a liberação, são necessárias autorizações ambientais que precisam ser liberadas.

A empresa vai trabalhar com 26% de sua capacidade após o retorno das atividades. Foto: Divulgação.

De acordo com a mineradora, a Samarco precisa de duas licenças, uma referente a um novo local para a disposição de rejeitos (Cava de Alegria Sul); e a outra relativa ao Licenciamento Operacional Corretivo (LOC) do Complexo de Germano, localizado em Mariana e Ouro Preto (MG). “A empresa está empenhada em cumprir todas as etapas desses processos de licenciamentos, que incorporam novas soluções no tratamento de rejeitos, com aumento da segurança e da recirculação da água no processo produtivo”, ressaltou em nota.

Ainda segundo a empresa, além da obtenção das licenças (SDR Cava de Alegria Sul e LOC), também será preciso realizar obras de preparação na Cava de Alegria Sul e de implantação para os novos processos de tratamento de rejeitos.

A mineradora já possui a anuência do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan); a aprovação da proposta de compensação de Mata Atlântica; a aprovação dos conselhos de Cultura e Patrimônio Histórico de Matipó e de Mariana e trabalha para obter todas as anuências e autorizações necessárias para o processo do LOC ao longo deste ano. O processo de licenciamento segue o seu curso normal de análise pelas autoridades competentes.

A nota também cita que o retorno será de forma gradual, como prevê o Estudo de Impacto Ambiental EIA /RIMA do Licenciamento Operacional Corretivo. “No primeiro momento, a solução encontrada é do retorno das atividades produtivas com a operação de uma usina no ES e um concentrador em MG, equivalente a uma capacidade produtiva de 26%, atendida pelo quadro atual de empregados que gira em torno de 1135 entre MG e ES”, descreveu.

Ainda não há previsão de retorno das atividades. Foto: Divulgação.

Licenciamento Operacional Corretivo (LOC)

O licenciamento traz uma revisão de todas as etapas do processo operacional e das estruturas do Complexo de Germano. Ele foi iniciado em setembro de 2017, após o protocolo do Estudo de Impacto Ambiental (EIA) na Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad).  As audiências públicas com relação ao LOC foram realizadas em Matipó, Mariana e Ouro Preto, em dezembro do ano passado.

Anchieta

As manutenções corretivas nas usinas da Samarco no município estão ajudando empresas locais e aumentando as expectativas de prestação de serviço com a mineradora. Com isso, se espera mais geração de empregos e aquecimento da economia da cidade.

 

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

kit merenda

Guarapari realiza nova distribuição de kit merenda para alunos da Rede Municipal de Ensino

Covid-19_ES ultrapassa 10 mil obitos - 2021-05-11

Painel: Guarapari se aproxima de 350 óbitos e ES ultrapassa os 10 mil por Covid-19

Segundo a última atualização, na tarde de hoje (11), o número de óbitos chegou a 10.013 em todo o Estado

Anúncio

Anúncio

vacina_butantan_covid-divugacao_es

Guarapari abre agendamento para segunda dose da Coronavac em idosos acima de 70 anos

vacinacao-gripe-vilhena-2021-05-11

Imunização contra gripe para idosos e professores começou hoje (11) em Guarapari

Anúncio

Desaparecido Secr Saúde1

Encontrado morador de Guarapari que estava desaparecido

vacina pfizer

Vacina da Pfizer será aplicada em gestantes do ES após suspensão da AstraZeneca

A vacina, até então, só estava sendo aplicada em moradores de Vitória; Anvisa orientou a suspensão da aplicação da AstraZeneca em gestantes nessa segunda-feira (10)

Anúncio