Anúncio

Capacitação da Polícia Militar fala sobre violência doméstica em Guarapari

Por Gabriely Santana

Publicado em 24 de fevereiro de 2016 às 16:36
Atualizado em 25 de fevereiro de 2016 às 11:55
Anúncio

Violência doméstica foi uma das principais fontes de inquéritos recebidos pelo MP no município

Os números em Guarapari assustam: Em 2014 foram 402 inquéritos, já em 2015 mais 510 e até fevereiro de 2016 mais 82 casos. No Sudeste, foi a 10ª causa de inquéritos e no Espírito Santo foram registrados 1.590 boletins de ocorrência de agressão contra a mulher. A informação é da Promotora de Justiça e coordenadora do subnúcleo de violência doméstica do Ministério Público em Guarapari, Dra. Claudia R. Santos em uma capacitação aos Policias Militares do município sobre a violência doméstica, que teve início nesta terça-feira (23). Segundo a promotora, somete no ano passado foram instaurados 510 inquéritos de ocorrência de agressão contra a mulher, mais da metade do quantitativo total.

DSC02600

A Promotora de Justiça e coordenadora do subnúcleo de violência doméstica do MP em Guarapari diz que 2015 foi o ano de maiores números de inquéritos instaurados. Foto: Glenda Machado

 Mesmo com números expressivos, os dados mostram que a Lei Maria da Penha está sendo efetiva ao permitir o rompimento do silêncio da vítima e conscientizar a sociedade de que a violência contra a mulher é um problema público e uma questão que envolve a todos. “A Lei Maria da Penha está cada vez mais cumprindo o seu papel de descortinar a violência contra a mulher e permitir que as vítimas tenham acesso à Justiça. Esses números não devem ser interpretados como aumento da violência, mas sim como o aumento das notificações de violência”, explica a promotora, que também integra o Núcleo de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar (Nevid) do Ministério Público do Espírito Santo.

Atualmente o Estado ocupa o 2º lugar no ranking de homicídios contra a mulher, sendo ultrapassado por Roraima. Em Guarapari, felizmente essa taxa caiu. Desde 2012 houve um decréscimo no número de homicídios contra a mulher. “Em 2015 não tivemos nenhum caso de homicídio contra a mulher e feminicídio no município. É importante ressaltar que o feminicídio se enquadra apenas quando existe um relação de gênero e vulnerabilidade no caso. Para a diminuição dessas ocorrências estamos contanto com a ação integrada da Polícia Militar, e também dos programas de assistência do município como o núcleo de apoio, o CRAS e o CREAS ”, completou a promotora Dra. Claudia que também têm um blog sobre os direitos da mulher. (clique aqui)

DSC02606

A gerente do CREAS, Tatiane, comemora o trabalho integrado. “Já fizemos mais de 30 atendimentos à mulher em situação de violência doméstica somente neste ano”, disse. Foto: Glenda Machado

Segundo a gerente do CREAS do município, Tatiane Litike, no ano passado 95 mulheres foram atendidas em casos de violência doméstica pelos psicólogos do órgão. “Acreditamos que vamos receber mais denúncias esse ano. Desde janeiro estamos contando com um trabalho de encaminhamento das vítimas que são atendidas pela saúde. Já recebemos 30 mulheres e iniciamos um acompanhamento com elas. O que pedimos é que as mulheres não se intimidem e venham até nós”, ressaltou Tatiane.

DSC02607

Aspirante Gilberto ressaltou o compromisso da PM no combate à violência doméstica. “Essa capacitação é importante e só tem a acrescentar no nosso dia a dia”. Foto: Glenda Machado

A capacitação dos PMs, que tem como objetivo instruir a equipe no primeiro contato com as vítimas de violência doméstica, foi elogiada pelos participantes. Cerca de 200 policiais participarão das palestras até sexta-feira (26), no auditório do Ministério Público. “Toda a nossa formação vem de encontro com o que está sendo apresentado. A sociedade está doente em relação a violência e temos um dever a cumprir com a sociedade”, finalizou o Aspirante Gilberto do 10º Batalhão da Polícia Militar de Guarapari.

Se você quer saber mais sobre o assunto, ou fazer uma denúncia, entre em contato com a Rede de Serviços de Atendimento a Mulheres. O município conta com vários núcleos de atendimento. Confira a lista:

Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) – Santa Mônica: (27)3362-1727

Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) – São José: (27) 3362-7855

Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) – Kubitschek: (27)3262-1579

Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS): (27) 3361-1353

Distrito Policial de Atendimento à Mulher (DEAM): (27) 3361-5097

Casa da Mulher – Secretaria de Saúde: (27)3361-5097

Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher: (27)3261-1377

Centro de Apoio à Mulher “De Todas as Marias”: (27)3261-5680

Conselho Tutelar: (27)3262-9291

Centro de Atenção Psicossocial (CAPS): (27)3262-2956

Centro de Testagem e Acolhimento (CTA): (27)3262-8623

Central de Apoio Multidisciplinar do Tribunal de Justiça-CAM Guarapari: (27)3161-7050

 

Anúncio
Anúncio

Veja também

supermercado_0_0-550x366

Vigilância Sanitária realiza ação de fiscalização em supermercados de Guarapari

Abessa1

Área de lazer do Supermercado Santo Antônio será leiloada em Guarapari

O dinheiro com a venda do imóvel será para o pagamento dos funcionários desligados da Rede

Anúncio
Anúncio
corona

Guarapari registra 12 novos casos da Covid-19

Na cidade, 1.324 pessoas foram confirmadas e 64 morreram pelo coronavírus

Capa

Atleta de Guarapari é contratado por time europeu

O goleiro Thiago Correia aguarda o fim da pandemia para viajar para a Polônia

Anúncio
Foto: Reprodução

Prefeitura de Guarapari anuncia Orçamento Participativo Municipal

O objetivo da medida é fazer com que a população exerça seu papel de cidadão, influenciando o destino de recursos públicos

Foto: Antônio Ribeiro

Qual praça de Guarapari o povo gostaria que fosse reformada?

Anúncio