Anúncio

Casos de gastroenterite aumentam durante verão em Guarapari

Por Redação Folhaonline.es

Publicado em 10 de janeiro de 2020 às 08:32
Atualizado em 10 de janeiro de 2020 às 10:45

Anúncio

Segundo pediatra, praias cheias e ingestão de alimentos de procedência desconhecida podem aumentar as chances de contágio

O número de casos de gastroenterite registrados pela instituição saltaram de 157, em novembro de 2019, para 838, em dezembro do mesmo ano. Foto: Arquivo/Folha

O Hospital Materno Infantil Francisco de Assis (Hifa) registrou, em dezembro de 2019, 838 casos de gastroenterite. Em novembro do mesmo ano, foram registrados 157 casos. Segundo a pediatra Dra. Aline Rodrigues, especialista em emergências pediátricas e coordenadora do Pronto Socorro da instituição, o aumento se deve ao fato de que, no verão, muitas pessoas compartilham o mesmo ambiente, portanto, estão mais expostas à contaminação.

A especialista explica que a gastroenterite é uma infecção do trato gastrointestinal, que vai do estômago até o intestino. Essa infecção pode apresentar vários sintomas, sendo os principais: vômito, diarreia, dor abdominal e febre. De acordo com a pediatra, mais de 90% dos casos da doença são do tipo viral e o contágio se dá de pessoa para pessoa. Assim, a maneira mais eficaz de se prevenir é por meio da higiene. “A contaminação ocorre através das fezes contaminadas e saliva, então é fundamental lavar bem as mãos após usar o banheiro, não compartilhar utensílios domésticos, como copos e talheres, e higienizar as mãos com álcool gel sempre que possível”, orienta.

No período do verão, o cuidado deve ser redobrado. Afinal, em ambientes com muitas pessoas reunidas, a chance da contaminação ser mais rápida é maior. Isso porque, em uma praia cheia, uma pessoa doente expõe ao contágio todos ao seu redor. “Se tiver uma pessoa na praia com gastroenterite e ela vomitar ou fizer cocô e se limpar na água do mar, essa água está contaminada e todos ao redor estão expostos a essa contaminação”, alerta Aline.

Dra. Aline Rodrigues: A doença é mais perigosa para as crianças

Além disso, no período do verão, há ainda a gastroenterite adquirida por ingestão de alimentos contaminados. Para evitar esses casos, a médica salienta a importância de conhecer a procedência dos produtos consumidos. “É orientado beber apenas água mineral ou filtrada e consumir alimentos de procedência conhecida e armazenados de maneira adequada. Não consuma, por exemplo, alimentos expostos ao sol”.

Tratamento

Segundo a Dra. Aline Rodrigues, a gravidade da doença pode variar de acordo com o grau de desidratação em que a pessoa se encontra. “Pode ser que seja um quadro bem leve, apenas com dor abdominal e alguns episódios de diarreia e vômito, ou aqueles de desidratação mais grave, que podem precisar de internação hospitalar”. Os casos graves podem apresentar complicações como choque hipovolêmico e insuficiência renal, mas são menos frequentes.

Para os casos mais brandos, a especialista orienta a ingestão de líquidos para hidratação, tais como água, água de coco, suco natural e soro caseiro. No entanto, se a hidratação não for o bastante, é preciso buscar atendimento médico.

Crianças

A pediatra alerta que, embora a gastroenterite incida em todas as faixas etárias, o risco é maior para as crianças, pela facilidade de desidratação. “Às vezes a criança passou o dia todo brincando no sol, não tomou nenhum líquido e um ou dois vômitos é o suficiente para desidratar a criança e ter que leva-la ao hospital”. Então, é preciso redobrar os cuidados relacionados à higiene e hidratação com os pequenos.

Texto: Nicolly Credi-Dio 

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

WhatsApp Image 2021-01-18 at 15.51.17 (1)

Polícia Civil e Polícia Militar de Guarapari divulgam relatório anual

O Relatório engloba dados de produtividade das polícias atuantes na Área Integrada de Segurança Pública (AISP) nº 10.

vacina_es

Governo do Estado inicia vacinação contra Covid-19 no Espírito Santo

Durante a cerimônia, o governador explicou que irá tomar a vacina assim que estiver disponível para o seu grupo, sem “furar a fila”.

Anúncio

Anúncio

escola_estadual

Educação de Anchieta realiza pesquisa para iniciar ano letivo com segurança

Consulta servirá de base para o planejamento das ações de início do ano letivo de 2021

painel covid gri

Painel Covid-19: 44% dos infectados em Guarapari têm entre 30 e 49 anos

186 óbitos foram registrados na cidade até o momento

Anúncio

manifestacao-radium-bares-e-restaurantes

Profissionais de bares e restaurantes de Guarapari protestam contra restrição de horário

Participaram cerca de 200 funcionários e proprietários de cerca de 35 estabelecimentos do segmento em Guarapari

vacina-covid-

Alfredo Chaves, Anchieta e Guarapari se preparam para vacinar contra a Covid-19

Com a chegada das vacinas ao solo capixaba os municípios se organizam para receber as doses e iniciar as aplicações

Anúncio