Anúncio

Com a chave do cofre na mão. E agora Casagrande?

Por Glenda Machado

Publicado em 7 de outubro de 2010 às 00:00
Atualizado em 22 de novembro de 2016 às 20:51

Anúncio

Estabilidade e crescimento econômico, geração de renda e de oportunidades, justiça e qualidade de vida. Esses são alguns dos desafios que caberá ao governador eleito. Mas é só um breve relato das funções do novo chefe do Estado. Uma tarefa ainda mais difícil, já que traz a pressão de suceder os oito anos da administração de Paulo Hartung (PMDB). O homem que alcançou o equilíbrio fiscal e recuperou a capacidade de investimento com receita própria do Espírito Santo.
Mas é óbvio que tal responsabilidade não se refere a uma única pessoa. O chefe do executivo não governa sozinho. E não se trata de dito popular, é o que consta na Constituição Estadual. O Governo do Estado consiste em “exercer com auxílio dos secretários de Estado, a direção superior da administração estadual”. Esse é o seu primeiro desafio após tomar posse: montar e coordenar uma equipe tecnicamente capacitada nas várias áreas que integram a gestão.
Renato Casagrande (PSB) começou a compor a equipe de transição com a escolha de dois aliados bem próximos. O primeiro é o coordenador operacional de sua campanha vitoriosa, Maurício Duque. O outro se trata do responsável pelo seu programa de governo, Guilherme Pereira. Ambos socialistas como o novo governador.
Do outro lado, dois secretários Estaduais. O chefe da pasta de Transportes e Obras Públicas, Neivaldo Bragato (PMDB). E o de Governo, José Eduardo de Azevedo. Mais do que titulares de postos estratégicos na atual administração, os dois últimos são aliados importantes de Paulo Hartung. Presenças que demonstram a exata dimensão do apoio de Hartung a Casagrande.
A equipe de transição já está formada e trabalha em prol da sucessão. “São quatro profissionais com visão técnica e política, conhecidos e reconhecidos de toda a equipe. Portanto, não teremos problemas quanto a isso. Será uma transição harmoniosa, com pessoas indicadas pelo atual governador e pelo eleito”, afirma Casagrande.
Maurício Duque
Foi secretário da Fazenda de Vitória na administração do prefeito João Coser (PT), por indicação do próprio Casagrande. Com 39 anos, é Economista formado pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e Mestre em Economia pela Universidade de São Paulo (USP). É professor universitário e já foi diretor da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa). Empresa pública comandada pelo PSB.
Guilherme Pereira
Formado em Ciências Econômicas também pela UFES. Tem pós-graduação e doutorado na área, ambos feitos em São Paulo. É funcionário de carreira do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) e professor da UFES. Com 63 anos, já foi presidente do Instituto Jones dos Santos Neves e da Fundação de Apoio à Ciência e Tecnologia. Já esteve à frente de duas secretarias estaduais, sendo uma por indicação de Casagrande.
Neivaldo Bragato
Há 30 anos, é o braço direito de Paulo Hartung. Aliança formada desde a época do movimento estudantil. Com 54 anos, é Economista formado pela UFES. Também é auditor da Receita Federal. Já ocupou várias secretarias na Prefeitura de Vitória. Durante quase toda a gestão de Hartung, foi secretário de Governo. Deixou o cargo para assumir a pasta de Transportes e Obras Públicas em 2009.
José Eduardo de Azevedo
Já esteve à frente de vários cargos-chave no governo de Paulo Hartung. Com 50 anos, é Engenheiro Civil com Especialização em Transportes e Pós-Graduação em Gestão Pública. Já foi técnico do Instituto Jones dos Santos Neves. Depois, diretor de operações e presidente da Companhia de Transportes Urbanos da Grande Vitória (Ceturb). Após passar pela Secretaria de Planejamento, substituiu Bragato na Secretaria de Governo.
Propostas de Governo
Saúde:
– Conclusão do novo hospital Dório Silva e as obras do novo São Lucas.
– Construção de Centros de Tratamento aos Toxicômanos.
– Expansão da rede Samu.
– Construção de 60 Unidades de Saúde.
– Ampliação das parcerias com entidades filantrópicas.
– Fortalecimento da rede de atenção básica em parceria com os municípios.
– Investimentos voltados para tecnologia, atenção humanizada e qualificação dos profissionais.
Educação:
– Qualificação e valorização dos professores.
– Ampliação do número de vagas nas creches e nas escolas infantis em parceria com os municípios.
– Expansão do IFES e da UFES.
– Implantação de cursos técnicos em todo o estado.
– Criação de programas específicos para alunos com necessidades especiais.
– Garantia de cursos profissionalizantes.
– Criação do cartão multi-uso para entrada e saída dos alunos, além de vale no transporte coletivo.
Segurança:
– Integração das guardas municipais ao plano de Governo.
– Ampliação dos programas de prevenção à violência.
– Fortalecimento e expansão do programa de polícia interativa.
– Apoio à presença da Defensoria Pública.
– Valorização, ampliação e qualificação dos efetivos policiais.
Infraestrutura:
– Implantação de sistema inteligente de ônibus com corredores exclusivos.
– Construção do novo viaduto no Trevo Alto Laje em Cariacica e da duplicação da 2ª Ponte de Vitória em parceria com o Governo Federal.
– Investimentos nos sistemas de trânsito e de transporte nas cidades-pólo como Cachoeiro, Linhares, Colatina e Aracruz.
– Ampliação e modernização das estradas estaduais.
– Permanência no diálogo pelo Aeroporto de Vitória.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

WhatsApp-Image-2021-06-18-at-13.15.02

Artigo: uma Guarapari diferente por usar melhor os seus templos ociosos

o-que-e-um-curso-profissionalizante-descubra-aqui

Qualificar ES abre 101 vagas em cursos presenciais, com oportunidades para Anchieta

Anúncio

Anúncio

IMAGEM-DE-DESCRIÇAO-DO-ARTIGO

Artigo: empréstimo consignado não autorizado; como cessar descontos e pedir indenização

bicicleta-ciclismo-pixabay-2021-06-19

Espírito Santo tem média de cinco bicicletas furtadas por dia

A Secretaria Estadual de Segurança Pública informou que o índice caiu em comparação ao ano passado

Anúncio

Tempo segue nublado no fim do outono em Guarapari e região

Temperaturas, entretanto, podem ficar um pouco mais altas

cover-painel-covid-19-2021-06-19

Painel Covid-19: Guarapari ultrapassa 15 mil casos, mas média de óbitos diminui

Média móvel de óbitos, que atingiu máximo de 74,9 em abril, está em 19,07

Anúncio