Anúncio

Corte de árvores ainda é um problema na cidade

Por Gabriely Santana

Publicado em 19 de abril de 2016 às 19:26
Atualizado em 19 de abril de 2016 às 19:26
Anúncio

De todos os barulhos urbanos, o que tem mais incomodado é a do machado batendo nas árvores. Mesmo que esteja sendo usada “apenas” para podar galhos, na prática, é um problema eminente que tem surtido efeitos desastrosos em Guarapari. Atualmente, até galhos de árvores nos incomodam porque podem escurecer ruas e uma série de outros pequenos incômodos que a população tem dificuldade de conviver. E infelizmente o que sobram são troncos de árvores que um dia contaram história.

4c857206-25b9-417d-9f8e-e6643bcc5c2e

Uma das árvores foi cortada poi estava “incomodando” morador.

No mês de maio o Folha da Cidade relatou a indignação contra um possível corte de duas castanheiras, localizadas na esquina da Av. Copacabana com a rua Mônaco, na Praia do Morro. E as explicações foram as piores: ora a retirada aconteceria para respeitar pedidos de moradores da área, já que os frutos que caem amassam carros e/ou põem em risco a vida de pessoas, ora porque ela própria já estava corroída por bichos. Mas a explicação mais frequente é que o local virou alvo de moradores de rua e tráfico de drogas.

Com a mobilização popular e da Associação de Moradores da Praia do Morro (AMPM), a prefeitura realizou apenas uma limpeza do espaço e a poda das árvores.  Segundo a Presidente da AMPM, Fátima Fônseca, a associação realizou um mapeamento de todos os lotes que não estão cercados e levou este estudo para a Prefeitura, a fim de proteger as árvores que estão cada vez mais escassas no bairro. Mas isso não foi o suficiente para quem estava incomodado.

“Vinte dias depois da poda que a Prefeitura realizou, um morador insatisfeito cortou a árvore. Nós da Associação de Moradores repudiamos tal atitude e estamos acompanhando de perto e cobrando da prefeitura para que haja uma fiscalização maior”, disse Fátima.

Outra situação, entre muitas em Guarapari flagrada pelos nossos leitores, foi o corte de duas árvores na Av. Jones dos Santos Neves, em Muquiçaba. É importante dizer aqui que o município tem problemas sérios de enchente. Basta cair uma chuva um pouco mais forte que os moradores não conseguem chegar a suas casas, os carros estacionados viram piscinas, não há chance de transitar.

c8784cd4-b2ad-43e1-96af-2de70d31ecf3

Outra poda irregular foi flagrada na Av. Jones dos Santos Neves.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente esclarece que não emitiu nenhuma autorização para poda ou supressão das árvores citadas. Assim, é importante que haja denúncia dos infratores que realizaram o corte para adoção de medidas punitivas. De acordo com o órgão o procedimento de poda ou supressão é realizado mediante a solicitação do contribuinte, no protocolo municipal da Prefeitura, mas semente depois da análise de alguns critérios como: apresentação de risco eminente, dificulta o livre trânsito de pedestres e cadeirantes no passeio. Já em ocorrências próximas à rede elétrica se faz necessário informar à EDP-ESCELSA para intervenção da empresa. Situações de emergência de queda e risco à vida devem ser solicitadas à 1ª Cia do Corpo de Bombeiros, telefone 193.

Para o professor e ambientalista Carlos Fraga a situação é bem pior do que se imagina. “Talvez seja desnecessário lembrar que árvores drenam a água da chuva, amenizam o calor, melhoram a qualidade de nossas vidas nas cidades. Quanto mais cimento e menos árvores, mais problemas de drenagem. Mais enchentes. É assim, todos sabemos. Mas parece mais confortável esquecer isso e abrir passagem para o crescimento desordenado que nos condena a viver cercados de concreto e asfalto”.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio
Anúncio

Veja também

Fabio-Novaes-Sicoob

O que é e o que muda com Pix

nova loja EPA

Nova unidade do supermercado EPA é inaugurada em Guarapari

Anúncio
Anúncio
edital cultura Alfredo Chaves

Alfredo Chaves e Guarapari lançam Edital Emergencial para o setor cultural

Doação sangue Hifa2

HIFA Guarapari cria campanha de doação de sangue entre os funcionários

Por conta da pandemia, a campanha que abrangia a população está suspensa para evitar aglomeração

Anúncio
eleições2020

Eleições 2020: Não conseguiu votar? Veja como justificar a ausência

O prazo para justificativa de voto é 60 dias após o término de cada turno

ciclismo

Equipe de Guarapari é destaque em Campeonato Estadual de Ciclismo

Atletas conquistaram a primeira colocação em diversas modalidades e o segundo lugar geral por equipes

Anúncio