Anúncio

Depatri prende homem que torturou e roubou aposentado em Guarapari

Por Redacão Folha Vitória

Publicado em 14 de julho de 2017 às 19:50
Atualizado em 14 de julho de 2017 às 19:50

Anúncio

A Delegacia de Crimes contra o Patrimônio de Guarapari prendeu na tarde de hoje um homem que amarrou, torturou e roubou um aposentado no último dia 11 na Praia do Morro, em Guarapari.

O aposentado de 63, que mora com um filho de 10 anos em uma casa na Praia do Morro, ainda tem algumas marcas da noite em que ficou por mais de três horas sob a mira de uma arma e sem saber se sobreviveria para rever a criança, que passa férias com a mãe em outra cidade.

Arma usada para render e torturar o aposentado. foto: João Thomazelli/folhaonline.es

De acordo com o titular da Delegacia de Crimes contra o Patrimônio (Depatri) de Guarapari, Marcos Nery, o detido entrou na casa do aposentado por volta da meia noite do dia 11 e só saiu às 3 horas. Durante este tempo a vítima sofreu tortura psicológica através de constantes ameaças de morte.

O aposentado relembrou os momentos daquela noite. “Eu estava vendo TV e fui pegar uma camisa porque estava frio e me deparei com o ladrão já dentro de um dos quartos vasculhando as gavetas. Eu me assustei e ele também, só que ele apontou a arma para mim e eu não tive como reagir”.

Depois de prender as mãos do aposentado com uma presilha de plástico, o assaltante começou a vasculhar a carteira da vítima e encontrou R$ 500. “Ele disse que não sairia dali com menos de R$ 5 mil e que se não encontrasse esse dinheiro, ele me mataria. Ele pediu as senhas dos cartões, mas eu não sei todas de cabeça e ele falava quando eu não conseguia lembrar: ‘eu vou contar até três e se até lá você não me falar a senha no três eu atiro’. E começava a contar. Eu estava muito nervoso e inventei as senhas para não morrer”, contou o aposentado.

Bruno admitiu ter cometido o roubo, mas engou que tenha machucado o aposentado. Foto: João Thomazelli/folhaonline.es

E finalizou: “Eu fiquei com o corpo cheio de marcas, porque ele ficava enfiando o cano da arma nas minhas costas, para machucar mesmo, me forçando a dizer onde tinha dinheiro, mas eu não tinha mais nada além daquilo da carteira. Pensei que morreria naquela noite”.

Bruno Costa Moreira, 27 anos, foi preso em casa com o celular da vítima e confessou que roubou o aposentado, mas diz que não o machucou.

“Eu fui lá, invadi a casa dele e roubei, mas o que ele esta falando que eu torturei ele é mentira. Eu estava com a cabeça cheia de maconha, remédio e cerveja, mas sei que não machuquei ele. Admito meu erro e vou pagar por ele, mas não torturei ninguém”, declarou à reportagem do folhaonline.es.

Bruno se diz arrependido do que fez. Quando perguntado se estava arrependido por que foi preso, ele respondeu: “eu me arrependo porque a minha filhinha e minha esposa não merecem passar pelo que passaram. A polícia invadiu minha casa e minha esposa, como prestou serviço para ele (aposentado), eles acham que está envolvida, mas ela não tem nada com isso. Eu fiz tudo por conta própria”, finalizou Bruno.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

violao_e_cordas_reproducao-2021-06-12

Beatles é repertório para concerto de violão e cordas em Guarapari na noite de hoje (12)

Concerto acontece na antiga Igreja Matriz, às 18h

arrtigo_direito-2021-06-12-1

Artigo: a atuação de pessoas negras no judiciário brasileiro

Anúncio

Anúncio

recanto_da_sereia-2021-06-12-1

Cansados de ver lixo, moradores de Guarapari limpam rua por conta própria

Moradores do bairro Recanto da Sereia realizaram mutirão para limpar local de descarte inadequado de lixo

Praia do Morro em tarde nublada. Previsão de chuva.

Fim de semana dos namorados seguirá frio em Guarapari

Anúncio

expresso_lorenzutti-onibus_saude

Sindicato afirma: 100% dos ônibus voltam a circular em Guarapari na segunda-feira (14)

vacinacao_50-mais-gri2021-06-12

Covid-19: Guarapari abre agendamento para pessoas acima de 50 anos e profissionais da educação

Anúncio