Anúncio

Direito ao FGTS para Servidores Públicos Temporários

Por Redação Folhaonline.es

Publicado em 28 de dezembro de 2019 às 15:00
Atualizado em 26 de dezembro de 2019 às 11:23

Anúncio

Por Isabela de Oliveira Araújo (*) Advogada OAB/ES 30.648

Direito ao FGTS para Servidores Públicos Temporários

Foto: Reprodução | Imagem ilustrativa

Como sabido, em regra a Administração Pública deve exigir para ocupação de cargos ou empregos aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos de acordo com o art. 37, II da Constituição Federal Brasileira.

Porém em casos excepcionais/emergenciais, do interesse da Administração Pública é permitido a contratação em designação temporária, que deve ser por período certo e determinado, conforme dispõe o art. 37, IX da CFB.

Ocorre que em muitas vezes essas contratações passam a atender uma necessidade permanente e acaba tendo seus contratos de trabalho prorrogados de forma sucessiva e indiscriminada (por 2 ou mais vezes).

Com isso, os Tribunais Trabalhistas e bem como o Superior Tribunal Federal (STF) vem declarando a nulidade desses contratos que conforme renovações constantes acabaram se tornando de único vínculo contratual, permanente, uma vez a inobservância das regras constitucionais, com força do art. 37, § 2º da CFB. Porém, mesmo com a nulidade desses contratos o direito aos depósitos de Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) com aplicação de juros e correção monetária permanecem.

Aceitar que o Município não tenha que pagar o FGTS, viola também o princípio da boa-fé objetiva, inerente a todo contrato, mesmo porque haveria um ganho ilegítimo do Município que assim, acaba se beneficiando de não pagar este benefício inerente aos servidores contratados pela CLT, que devem ser pagos a qualquer servidor que preste serviços a administração municipal, independentemente do tempo de serviço prestado, desde que regidos pela CLT.

Entretanto, para aqueles que desejam pleitear o direito ao FGTS, o STF delimita os prazos prescricionais, sendo de até 30 anos em relação aos contratos em curso até 2014, e dos contratos a partir deste ano o prazo prescricional é de 05 anos. Lembrando que só poderá ser pleiteado o FGTS dos últimos 05 anos trabalhados.

Direito ao FGTS para Servidores Públicos Temporários

 

(*) Dra. Isabela de Oliveira Araújo – OAB/ES 30.648

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

Valesca

Comunidade escolar se manifesta contra afastamento de diretor do Polivalente, em Guarapari

Segundo relatos, o diretor realizava um bom trabalho e era reconhecido pela comunidade escolar.

dra_lorena-1

“Não podia perder a fé” diz primeira médica vacinada contra Covid em Guarapari

Em entrevista, Drª Lorena Arrabal, primeira médica vacinada em Guarapari, reforçou a importância da vacinação e da confiança na ciência.

Anúncio

Anúncio

IMG_1908-1

Associada de Guarapari ganha carro 0km em promoção do Sicoob

A promoção “Sorte assim só no Sicoob” premiou mais de 500 cooperados durante o ano de 2020.

vacinacao-ES

Covid-19: ES já vacinou quase 3.500 pessoas

Anúncio

CTPS; CARTEIRA DE TRABALHO; EMPREGO; FOTOS DAVI PINHEIRO/GOVERNO DO CEARA;

Sine de Anchieta tem 32 vagas abertas com oportunidades para Guarapari

Algumas das oportunidades são para atuação dentro da área da Samarco.

alfredo-chaves-inicia-vacinacao-covid-19

Covid-19: com 78 doses Alfredo Chaves inicia vacinação

O restante das doses será entregue ao município, de maneira fracionada.

Anúncio