Anúncio

Em reunião da RDG em Guarapari, Gedson Merízio explica que a concessão do Radium Hotel depende do recebimento das propostas

Por Sara de Oliveira

Publicado em 18 de julho de 2019 às 18:57
Atualizado em 18 de julho de 2019 às 19:13

Anúncio

O encontro aconteceu na tarde de ontem (17) no Hotel Atlântico, Praia dos Namorados.

O momento foi de esclarecimento de dúvidas sobre o processo de concessão. Fotos: Hamilton Garcia.

Nessa quarta-feira (17) o Subsecretário de Estado de Turismo, Gedson Merízio (PSB) participou de uma reunião da Rede de Desenvolvimento de Guarapari (RDG), com o objetivo de explicar o processo de concessão do Radium Hotel, que está sendo organizado pelo Governo do Estado. No encontro, foi destacada a importância do monumento como ativo histórico e cultural do município.

Gedson esclareceu que, após o atual processo de recepção das ofertas de propriedades privadas, será feita uma análise pelo governo.  “Será  observado qual é a melhor dessas ofertas, que atenda nossa economia, que atenda morador de Guarapari e o governo, para que possamos transformar aquele Radium  Hotel de novo em uma reestruturação do nosso turismo aqui em Guarapari”, declarou.

De acordo com o subsecretário, o prazo para que a concessão seja efetivada depende das propostas recebidas. Porém, um encontro com os moradores de Guarapari já está previsto para a discussão sobre o assunto. “Existe uma comissão formada no governo para debater as propostas. Assim que algum empresário fizer uma oferta,  nós vamos debater isso no governo e eu virei para cá, para que possamos apresentar isso para a população.

A Voluntária na RDG Ludmila Dutra enfatizou que o grupo tem o interesse de acompanhar a secretaria de estado de turismo e conhecer as propostas recebidas. A integrante destacou que, uma das possibilidades, seria a utilização do Radium Hotel para o turismo de saúde. “Isso pode sim vir a acontecer. Existe inclusive um projeto antigo, da utilização daquele espaço tanto da rua lateral, como da rua da frente, como uma grande área de lazer, e utilizar o prédio como uma clinica radioterápica, mas também pensando na área externa, como uma área de apropriação da cidade, de utilização da população”, enfatizou.

Ludmila Dutra, integrante da Rede de Desenvolvimento de Guarapari (RDG).

Aléxia Caiado, de 21 anos, estuda Arquitetura e Urbanismo na Universidade de Vila Velha (UVV) e contou que o Radium Hotel será um dos estudos do seu trabalho de conclusão de curso (TCC), que será iniciado no próximo período.  “Vou falar sobre os patrimônios históricos de Guarapari, então eu pretendo fazer uma poligonal abrangendo todos os patrimônios do centro da cidade e trabalhar eles como uma unidade, não só como um elemento único na cidade, mas como um circuito histórico cultural que o turismo também precisa conhecer e valorizar”, afirmou.

Para a estudante, o monumento poderia ser transformado em um centro cultural artístico e de memória, valorizando a identidade de Guarapari. “O Radium Hotel está praticamente abandonado. A gente entra lá dentro e parece que ninguém cuida daquilo. A gente está deixando ir embora uma coisa que é tão rica, que é única. Acho que falta um sentimento de pertencimento e de valorização”, concluiu.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

eduardo-junho-vermelho-doacao-de-sangue

Junho Vermelho: em Guarapari ações e campanhas incentivam doação de sangue

Trabalho visa contribuir com difícil tarefa do Hemoes*

gabriel-musica-2021-06-19

Dia do Orgulho Autista: conheça o cantor de Guarapari, Gabriel da Silva Carvalho

Anúncio

Anúncio

WhatsApp-Image-2021-06-18-at-13.15.02

Artigo: uma Guarapari diferente por usar melhor os seus templos ociosos

o-que-e-um-curso-profissionalizante-descubra-aqui

Qualificar ES abre 101 vagas em cursos presenciais, com oportunidades para Anchieta

Anúncio

IMAGEM-DE-DESCRIÇAO-DO-ARTIGO

Artigo: empréstimo consignado não autorizado; como cessar descontos e pedir indenização

bicicleta-ciclismo-pixabay-2021-06-19

Espírito Santo tem média de cinco bicicletas furtadas por dia

A Secretaria Estadual de Segurança Pública informou que o índice caiu em comparação ao ano passado

Anúncio