Anúncio

Família de criança que sofreu AVC pede ajuda financeira em Guarapari

Por Redação Folhaonline.es

Publicado em 29 de outubro de 2017 às 13:12
Atualizado em 31 de outubro de 2017 às 15:09

Anúncio

Antes do diagnostico, Thaila sofria dores de cabeça.

por Larissa Castro

Com três anos de idade, a pequena Thaila Beatriz Borges, moradora do Bairro Adalberto, luta para ter um crescimento saudável. Diagnosticada com Acidente Vascular Cerebral (AVC), ela precisa de fraldas, ar-condicionado e aparelhos respiratórios para serem usados em casa. Após um pedido feito pela mãe através do Facebook, o Grupo Cheios da Graça se sensibilizou e, além de orações, realiza campanhas para arrecadar dinheiro e comprar o que é necessário.

Para ter alta médica, a família terá que instalar ar-condicionado no quarto de Thaila.

Desde o dia 4 de setembro a vida dos pais da Thaila Beatriz não é a mesma. Após sentir dores de cabeça, a mãe, que atualmente está desempregada, Samara Silva conta que junto com o marido Marcelo Borges, que exerce a profissão de gari, levaram a filha no Pronto Atendimento de Guarapari, e recebeu a informação de que a filha estaria com sinusite, sem acreditar que sintomas tão radicais seriam apenas a inflamação nasal, ela buscou outros meios.

“Muitas vezes os médicos me criticavam por eu ir com frequência ao pronto atendimento. Os remédios não faziam efeito e Thaila estava cada dia pior. Quando eu consegui a transferência para o Hospital Infantil Nossa Senhora da Glória, ela teve convulsão e parada cardíaca”, explicou a mãe.

Por não ter recebido o atendimento correto no primeiro momento, os médicos relataram para os familiares da criança que ela iria vegetar, mas felizmente Beatriz está reagindo de forma positiva. “No início foi passado que ela não iria se movimentar, comer sozinha e enxergar. Mas graças a Deus ela balança os braços, fecha os olhos e comeu 70g de banana amassada. Nós temos muita fé de que ela vai sair dessa”, desabafa a mãe da criança.

Thaila Beatriz no hospital divide o quarto com outras crianças, e para receber a alta médica, vai precisar de novas instalações em casa, mas já precisa de ajuda para a compra de fraldas, pois o hospital não possui quantidade suficiente, de acordo com a mãe. “Falta pouco para minha filha voltar para casa e continuar o tratamento lá. Mas quando isso acontecer, nós vamos precisar de um ar-condicionado e aparelhos”.

Para ajudar a família da Bia, basta entrar em contato com o grupo Cheios da Graça.

Por oferecerem um trabalho solidário em Guarapari, o grupo Cheios da Graça se sensibilizou com a história e busca ajuda para que Beatriz tenha um desempenho positivo durante o tratamento.

“Como representante do Cheios da Graça, depois que eu vi o pedido da Samara, fui até a casa dela para entender melhor a situação. O caso dela é sério,  e por isso estamos fazendo campanha para arrecadar recursos. Além disso, estamos em oração. A minha preocupação é o ar-condicionado, pois sem o ar, não tem como receber a Bia em casa. Hoje a nossa preocupação é preparar o quarto dela. Se alguém quiser assumir a fisioterapia, ou doar algo, nos ajudará nessa causa”, se emociona a idealizadora do grupo, Marcela Gomes.

Para ajudar na recuperação da Thaila Beatriz com doações, ajuda médica profissional ou oração de apoio, basta entrar em contato pelo telefone 27 99619-8836 ou curtir a fanpage do Cheios da Graça no Facebook (clique aqui) e entrar em contato pelo chat.

 

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

Anchieta-Credito-da-Foto-Andrews-Quinteiro_

Pelo quarto ano consecutivo, Anchieta recebe nota A do Tesouro Nacional

pfizer

Guarapari: ação de vacinação sem agendamento para adolescentes com comorbidades

Anúncio

Anúncio

ameazul-praia

Moradores da Enseada Azul, em Guarapari, realizam ação de limpeza neste sábado (18)

Ação é uma adesão ao Dia Mundial da Limpeza

Comunicado - 17-09-2021

Comunicado – 17/09/2021

Anúncio

pfizer

Vacinação dos adolescentes é mantida no Espírito Santo

O Ministério da Saúde suspendeu a imunização do público de 12 à 17 anos sem comorbidades

afrochaves-estacao-da-cultura-2021-09-16-4

Resistência preta marca abertura do Estação da Cultura em Alfredo Chaves

Anúncio