Anúncio

Gari e lutadora: atleta de Guarapari é ouro no Brasileiro de Jiu-jitsu

Por Redação Folhaonline.es

Publicado em 12 de maio de 2019 às 12:00
Atualizado em 10 de maio de 2019 às 18:46
Anúncio

Juliana Araújo, de 32 anos, participou do campeonato nacional de Jiu-jitsu em São Paulo, onde foi campeã da categoria Master Pesado Faixa Roxa.

Juliana de Araújo foi medalha de ouro no campeonato brasileiro da CBJJ , em São Paulo. Fotos: Divulgação.

A atleta Juliana de Araújo, de 32 anos, tem motivos de sobra para comemorar. A lutadora de Jiu-Jitsu conquistou medalha de ouro no campeonato nacional da Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu (CBJJ), realizado na última semana, em São Paulo. Juliana, que, além de atleta, é gari em Guarapari, foi campeã da categoria Master Pesado Faixa Roxa.

A moradora de Guarapari pratica o Jiu-Jitsu há sete anos disse que o título foi resultado de um trabalho longo. A atleta já tinha sido campeã na mesma categoria pela faixa azul em 2016 e, desde então, buscava pela vitória novamente.  “É o campeonato mais disputado do Brasil, então era algo que eu percorria há três anos”, explicou.

Juliana (faixa roxa), conheceu o Jiu-Jitsu há sete anos.

A atleta contou como faz para conciliar a rotina de trabalho com os treinos, que, nos últimos meses, se tornaram ainda mais intensos. “Eu trabalho de 5h as 11h da manhã e na parte da tarde, começo a treinar”, disse. De acordo com Juliana, ao todo, são três horas de treinos por dia, mais uma hora de musculação. “Por causa desse campeonato, desde fevereiro eu passei a fazer dois treinos por dia”, relatou.

Juliana relatou que conheceu o Jiu-Jitsu através da também lutadora de Guarapari Fernanda Mazzeli. “Ela tinha acabado de ganhar um campeonato em Abu Dhabi e isso me incentivou a começar a treinar”, disse. Desde então, Juliana não largou mais o esporte, até mesmo diante de alguns desafios. Um deles foi no final de 2017, quando sofreu uma lesão durante um treino e foi obrigada a ficar cinco meses sem competir. “Eu estava na academia, quando quebrei o pé. Achei que não ia conseguir voltar, até porque na recuperação, a gente fica um pouco receoso, mas aos poucos fui voltando”, contou.

Juliana ficou em primeiro lugar na categoria que disputou.

Segundo Juliana, além da alegria do título, a experiência de participar de campeonatos como esse é gratificadora. “É incrível você olhar pra frente e ver as pessoas te apoiando, seus amigos, sua equipe. Eu trouxe esse título para o estado também”, enfatizou. Juliana viajou com a equipe Striker JJ, da academia Pepe Apolo.

Texto: Sara de Oliveira

Anúncio
Anúncio

Veja também

onibus cheio1

Morador denuncia ônibus cheio e passageiros sem máscaras em Guarapari

Diante da pandemia, um decreto foi publicado proibindo passageiros e funcionários dos coletivos de andarem sem máscaras

marmita santa arinda

Comunidade de Santa Arinda pede doações para obra da associação do bairro em Guarapari

Anúncio
Anúncio
financiamento-habitacional

Advogada de Guarapari orienta sobre financiamento de imóveis diante da Covid-19

A despesa está entre as que podem ficar comprometidas pela diminuição ou ausência de renda

Foto: Divulgação / Hélio Filho (Secom)

Coronavírus: ES ultrapassa marca de mil leitos exclusivos para tratamento de infectados

Ao todo, são 1.065 leitos disponíveis, sendo 490 de UTI e 575 de Enfermaria

Anúncio
O projeto também divulgará o trabalho de artistas locais, que encontram dificuldades em manterem-se durante a pandemia. Foto: Divulgação

Coletivo transforma rede social em vitrine para pequenos negócios de Guarapari

O Sinestesia – Criatividade Coletiva decidiu usar o próprio perfil no Instagram, que conta com mais de mil seguidores, para evidenciar artistas e pequenos empreendimentos locais afetados pela pandemia

Foto: Reprodução

Coronavírus: Guarapari registra 10 novos casos e mais 5 curados

Ao todo, o município contabiliza 161 infectados; Desses, 116 já estão curados