Anúncio

Juiz proíbe embarque e desembarque de passageiros fora da Rodoshopping Guarapari

Por Gessika Avila

Publicado em 22 de abril de 2016 às 17:20
Atualizado em 22 de abril de 2016 às 17:20
Anúncio
Rodoshopping Guarapari vai ser ponto exclusivo de embarque e desembarque de passageiros intermunicipais

Rodoshopping Guarapari vai ser ponto exclusivo de embarque e desembarque de passageiros intermunicipais

Liminar expedida na última quarta (19/04) pelo juiz da Vara da Fazenda Pública de Guarapari, Gustavo Marçal da Silva e Silva, determina que os ônibus coletivos intermunicipais façam o embarque e desembarque de passageiros exclusivamente na Rodoshopping Guarapari. A decisão, obtida com exclusividade pelo Folha da Cidade, proíbe que os veículos parem ou sejam estacionados dentro do perímetro urbano de Guarapari.

A liminar é destinada à Prefeitura de Guarapari, para cumprimento de contrato de concessão assinado pela administração, em 2011, e a empresa Telavive para a construção da Rodoshopping. O contrato possui uma cláusula que determina o embarque e desembarque de passageiros apenas no terminal rodoviário.

De acordo com a liminar, a Prefeitura de Guarapari terá 30 dias para cumprir a decisão, inclusive por meio do exercício do Poder de Polícia. Caso haja descumprimento, foi estipulado o pagamento de multa diária de R$ 10 mil ou R$ 300 mil sem responsabilização criminal e adoção de outras medidas de coerção.

Segundo o secretário municipal de Fiscalização, Danilo Bastos, a Prefeitura de Guarapari vai recorrer da decisão para que a determinação seja revista, uma vez que não compete ao município e sim ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER-ES) parte das atribuições conferidas pela Justiça. “Observando as novas regras do novo Código de Processo Civil, vamos agravar a decisão para que não se torne definitiva em apreciação do mérito da questão”, explicou.

Caso a decisão liminar não seja revista dentro do prazo estipulado da decisão, Danilo afirma que a Prefeitura vai cumprir a determinação judicial.

Entenda o caso

  • Em março, a Telavive protocolou denúncia junto ao Ministério Público Estadual contra a Prefeitura de Guarapari, exigindo o cumprimento do contrato de concessão para a construção da Rodoshopping Guarapari, uma vez que os ônibus intermunicipais estão realizando embarque e desembarque fora do terminal rodoviário.
  • Dia 21 de março, em resposta ao MP-ES, a Prefeitura de Guarapari apresentou documentos alegando que o contrato de concessão foi assinado sem viabilidade técnica e sem ouvir a população.
  • Dia 12 de abril, o MP-ES fez uma audiência pública para ouvir a população e encontrar uma saída para o problema.
  • Dia 13 de abril, a Telavive ingressou na Justiça contra a Prefeitura de Guarapari, requerendo o cumprimento do contrato de concessão.
  • Dia 19 de abril, o juiz da Vara da Fazenda Pública de Guarapari, Gustavo Marçal da Silva e Silva, determinou que os ônibus coletivos intermunicipais façam o embarque e desembarque de passageiros exclusivamente na Rodoshopping Guarapari.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio
Anúncio

Veja também

1D9511D7-5D35-48E5-A1CE-32534D35DF82

A mediação como meio de solução pacífica de conflitos após a pandemia

Criolipólise-foto-Clovis-Rangel

Projeto verão: tratamentos estéticos para ficar com tudo em cima mesmo com a pandemia

Anúncio
Anúncio
teste-rapido-coronavirus-covid19-1

Alfredo Chaves, Anchieta e Guarapari elevam casos de Covid-19 e retornam ao Risco Moderado

Carros-Foto-Romero-Secom-ES

Governo do Estado divulga datas para pagamento do IPVA

Anúncio
Upa Covid

Guarapari amplia espaço para pacientes com suspeitas de síndromes respiratórias na UPA

MarcosKneip_01

“Temos saldo de 9 mil empregos e zeramos as perdas no ES”, disse secretário Marcos Kneip

Guarapari está com um saldo positivo de 349, foram 777 admissões e 428 desligamentos

Anúncio