Anúncio

Justiça determina que motoristas coletores de lixo ligados ao Sintrovig mantenham 50% das atividades

Por Sara de Oliveira

Publicado em 29 de agosto de 2019 às 18:45

Anúncio

A decisão foi tomada nesta quinta-feira (29) pelo Tribunal Regional do Trabalho da 17ª Região. Em caso de descumprimento da medida, o Sindicato dos Rodoviários de Guarapari (Sintrovig) poderá ser penalizado com uma multa diária de R$ 20 mil.

Lixo São Judas - Justiça determina que motoristas coletores de lixo ligados ao Sintrovig mantenham 50% das atividades

A greve dos motoristas ligados ao Sintrovig começou na última segunda-feira (26).

Nesta quinta-feira (29), o Tribunal Regional do Trabalho da 17ª Região determinou que o Sindicato dos Rodoviários de Guarapari (Sintrovig) mantenha 50% dos trabalhadores em atividade. O sindicato, representante dos motoristas que fazem a limpeza urbana em Guarapari e outros nove municípios, entraram em greve na última segunda-feira (26) e, caso não atendam à decisão, podem ser penalizados com uma multa diária de R$ 20 mil. Ainda de acordo com o processo, em caso de descumprimento da determinação, poderá ser utilizado o  uso da força policial.

O documento reitera que a greve é assegurada na Constituição Federal como um direito fundamental de caráter coletivo, representando um importante avanço democrático. Porém, também aponta que o recolhimento do lixo urbano e hospitalar está entre os serviços essenciais do município, e a ausência do mesmo pode gerar conflitos aos moradores.

lixo São Judas1 - Justiça determina que motoristas coletores de lixo ligados ao Sintrovig mantenham 50% das atividades

Início da greve

A decisão da paralisação aconteceu após as negociações do reajuste de salário entre o sindicato da categoria, Sintrovig e o Sindicato Estadual de Limpeza Urbana do Espírito Santo – Selures terem falhado.

Na última terça-feira (27), o presidente do Sintrovig, Wanderley Gonçalves, informou ao Folha Online que foi solicitada uma equiparação salarial com os motoristas da Grande Vitória do Sindirodoviários, que ganham R$2.595, em contrapartida com os trabalhadores das 10 cidades ligadas ao sindicato que recebem R$1.910, o que não foi acordado.

Já o Selures, através do advogado Stephan Schneeteli, respondeu que o sindicato patronal ofereceu para o Sintrovig todos os benefícios e um salário com reajuste integral de acordo com a inflação, 4,97%. Porém, o Sintrovig não aceitou a oferta e fez uma contraproposta, que, de acordo com o advogado, não estava dentro das condições dos municípios nem das empresas.

Prefeitura de Guarapari

Nesta quinta-feira (29), a prefeitura de Guarapari divulgou um comunicado informando, através da Codeg, que vai continuar cobrando ao CTRVV uma solução definitiva para por fim à greve. Ainda de acordo com o município, medidas estão sendo tomadas para amenizar os impactos da paralisação.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

Imagem-do-WhatsApp-de-2024-07-02-as-14.22.32_930ee451

Prestes a lançar novo filme, Rodrigo Aragão quer formar novos talentos do cinema em Guarapari

Cineasta finaliza seu novo longa, que se passa em um prédio assombrado por fantasmas na Praia do Morro

{"eId":"703898471388870","CameraPosition":1}

Hotéis e pousadas das montanhas preparam mimos para hóspedes durante a Festa do Morango

34ª edição do evento já está com ingressos à venda

Anúncio

Anúncio

Pastor Raphael

Coluna Palavra de Fé: Schadenfreude

letreiro-guarapari-es-2021-08-27

Coluna Dom Antônio: O que falta para Guarapari ser uma cidade turística de verdade

Anúncio

regulamento foto (3)

Coluna Entenda Direito: A importância do Regulamento Interno das empresas nas relações de trabalho

Pipas_divulgacao

Guarapari foi a cidade mais atingida por problemas causados por pipas na rede elétrica

Nos primeiros meses do ano, cidade teve 1.668 clientes afetados na região; riscos de acidentes aumentam nas férias

Anúncio