Anúncio

Médica de Guarapari alerta para aumento de acidentes com crianças nas férias

Por Redação Folhaonline.es

Publicado em 15 de dezembro de 2019 às 12:00
Atualizado em 13 de dezembro de 2019 às 14:42
Anúncio

Segundo a pediatra Dra. Aline Rodrigues, o atendimento de crianças em razão de acidentes domésticos aumenta em 20% durante o recesso escolar; Saiba como evitá-los

Fogões e panelas são alguns dos  itens que merecem atenção. Foto: Reprodução

Com o fim do ano, chegam as férias e, nesse período tão aguardado pelas crianças, a atenção dos responsáveis deve ser redobrada. Isso porque, segundo a pediatra Dra. Aline Rodrigues, especialista em emergências pediátricas e coordenadora do Pronto Socorro do Hospital Materno Infantil Francisco de Assis (Hifa Guarapari), o atendimento de crianças em razão de acidentes domésticos aumenta em 20% durante o recesso escolar. Isso acontece, principalmente, pelo fato de que as crianças passam mais tempo em casa, expostas a riscos que podem passar despercebidos pelos pais.

Dra. Aline Rodrigues: Atendimentos aumentam no período de férias.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, os acidentes domésticos estão entre as principais causas de morte entre crianças de 1 a 9 anos.  Anualmente, cerca de 110 mil são hospitalizadas devido aos acidentes diversos e cinco mil não resistem aos ferimentos. No entanto, especialistas defendem que 90% desses casos poderiam ser evitados. Por isso, é importante saber como afastar os pequenos dos riscos.

A Dra. Aline aponta que, em Guarapari, o acidente mais recorrente é a queda, seguido por queimadura e afogamento. “Os tipos de acidentes domésticos variam de acordo com a faixa etária”, ressaltou. Deve-se ficar atento ao risco de queimaduras principalmente com as crianças de um ano, para isso, recomenda-se manter as toalhas de mesa curtas e cabos das panelas sempre voltados para o lado de dentro do fogão.

Já os afogamentos são mais recorrentes entre as crianças na faixa dos 4 anos e, a especialista alerta, 2cm de líquido são o bastante para que uma criança dessa idade se afogue. Por isso, é importante manter os recipientes vazios e voltados para baixo, além de ter atenção especial aos banheiros, já que vasos sanitários representam um risco. Além disso, na praia ou piscina, as boias podem ser substituídas por coletes salva-vidas, que oferecem maior segurança.

As quedas, por sua vez, são comuns durante toda a infância e, para evitá-las, é aconselhado o uso de grades de segurança em janelas. Mas a Dra. Aline Rodrigues enfatiza que “em todos os casos, o cuidado mais importante é manter sempre um adulto por perto”. Assim, pais e filhos podem aproveitar as férias com tranquilidade.

Texto: Nicolly Credi-Dio

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio
Anúncio

Veja também

antonio capa

Guarapari: Família pede doações de sangue para idoso de 81 anos que está na UTI

Renato Antônio Massad Vieira foi internado ontem (22) e, com a escassez de sangue nos bancos, precisa de doadores

chuva

Após forte chuva, Defesa Civil identifica dois pontos de deslizamento de terra em Guarapari

Apesar disso, não há registros de famílias desabrigadas em decorrência da chuva no município

Anúncio
Anúncio
Foto: Reprodução

Sine Anchieta: Mais de 90 vagas abertas com oportunidades na área da Samarco

Há oportunidades para moradores de Guarapari, Anchieta e Piúma

dna (5)

Chuva e vento destroem refeitório de fábrica, em Guarapari

Anúncio
e39d896a-88d6-4014-a632-46f2afd7a5d5

Grupo promove ação de limpeza do Rio Una em Guarapari e convida voluntários

Há 16 anos o “S.O.S Rio Una” coleta lixo sólido das margens do Rio Una, além de promover ações de conscientização

Foto: Reprodução

Covid-19: mais 27 pessoas se curam da doença em Guarapari

Anúncio