Anúncio

Moradores de Santa Mônica sofrem com chuva prolongada e falta de estrutura em Guarapari

Por Aline Couto

Publicado em 9 de novembro de 2018 às 17:54
Atualizado em 9 de novembro de 2018 às 18:04
Anúncio

Durante toda a semana chove de forma intensa e prolongada em Guarapari, o que já provocou alagamentos e estado de alerta no município

Desde segunda-feira (05) a cidade de Guarapari, e todo o Espírito Santo, sofrem com a forte chuva que insiste em cair em todo estado capixaba. Diversos alagamentos foram registrados e a dificuldade dos moradores em se locomover foi uma cena recorrente durante esses dias no município. Em áreas sem asfaltamento e escoamento a situação foi bem pior, como é o caso do bairro de Santa Mônica.

Foto: Hamilton Garcia.

A moradora do bairro, Tayza Arantes, que reside na Rua Mercúrio com o marido, pretende se mudar do local o mais breve possível. “Está tensa a situação. Dentro da minha casa está toda cheia de água, tive que subir os móveis. Estamos morando aqui há 6 meses e o dono da casa já entrou em contato com a defesa civil e com a prefeitura e nada. Eles dizem que vão arrumar a rua só em março do ano que vem. Até lá vamos fazer o que? Está difícil sair de casa, meu marido nem consegue entrar na rua com o carro. Liguei hoje mesmo para a defesa civil e corpo de bombeiro mas nada foi resolvido. Não pretendo mais ficar nessa casa. Nem bueiro para o escoamento de água tem. Estamos ilhados. Quero morar em local asfaltado”.

Foto: Hamilton Garcia.

Moradora há 20 anos de Santa Mônica, Aparecida Gomes, passa pela mesma situação ano após ano. “Aqui na Avenida Monte Carlos sempre existiu muita promessa de asfaltamento, mais nunca foi cumprida. Entra governo, sai governo e continua a mesma coisa, a mesma conversa há 20 anos”, desabafou.

De acordo com Aparecida, a água invade as casas e destrói os móveis. “Já perdi geladeira entre outras coisas. Tive que subir minha calçada por conta própria para não perder mais. As ruas viram um mar e ninguém toma nenhuma providencia. A prefeitura passa aqui e é o mesmo que nada, o Centro de Zoonoses é aqui na frente, eles sabem da nossa situação. Falam que vão asfaltar mas nunca dão data, a mesma conversa há 20 anos”.

Também residente há duas décadas no mesmo bairro, Genivaldo Dantas, não aguenta mais viver desta forma. “Sempre reclamamos e dizem que vão fazer alguma coisa. Alguns meses atrás passaram com uma lista dizendo que iam fazer o asfalto aqui, mas até agora nada e a gente continua nesse sufoco. Eles alegam falta de verba e vão adiando”, reclamou.

Foto: Hamilton Garcia.

“Para se locomover por aqui é péssimo, para as crianças irem a escola tem que sair com o pé na água. Isso é uma vergonha para a dita “Cidade Saúde”, falou Genivaldo fazendo um apelo. “Aproveito e peço ao prefeito da cidade para nos dar uma força aqui, porque na hora de pedir voto aparece e a gente faz todo um esforço para ajudar candidato, que depois some quando eleito”.

Em caso de situação de perigo iminente, recomenda-se entrar em contato com os órgãos de Defesa Civil (27)3194-3652. Em Guarapari, o órgão atende pelo telefone (27) 3261-3742.

 

Anúncio
Anúncio

Veja também

correiosm

Inscrições para o Jovem Aprendiz dos Correios terminam na próxima sexta-feira (29)

São ofertadas 4.462 vagas distribuídas em todo país

Renato Casagrande. Foto: Divulgação

Coronavírus: Casagrande e primeira-dama testam positivo

De acordo com a nota, Casagrande passou a apresentar sintomas leves e realizou exames confirmando a doença

Anúncio
Anúncio
Foto: Divulgação

Comunidades da zona rural de Alfredo Chaves são beneficiadas com construção de pontes

De acordo com o prefeito, essas obras vão assegurar que produtores e moradores trafeguem com mais qualidade e segurança

Foto: Pixabay

Grandes obras em Guarapari fazem crer na retomada após a pandemia

Anúncio
van anchieta

Três novos veículos integram os programas de saúde em Anchieta

Foram investidos 230 mil reais com recursos próprios e através de emenda parlamentar

alfredo kits macrina

Alfredo Chaves distribui 500 kits de higiene e limpeza

A ação foi direcionada a população do bairro Macrina