Anúncio

Posto de Meaípe está sem aplicador de vacinas há, pelo menos, 2 semanas

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) informou que uma profissional está sendo treinada para atender a Unidade.

Por Gislan Vitalino

Publicado em 20 de janeiro de 2021 às 10:00
Atualizado em 21 de janeiro de 2021 às 08:30

Anúncio

Foto: arquivo/ FolhaOnline.es

A Unidade de Saúde Thereza Loyola de Jesus, em Meaípe, está sem profissional capacitado para aplicação de vacinas há, pelo menos, duas semanas. Segundo o relato de moradores, crianças estão com carteiras de vacina atrasadas.

Uma mãe que não quis se identificar, explicou que precisou buscar atendimento por duas vezes para vacinar o filho de apenas 11 meses. “Há duas semanas eu levei meu filho no posto para tomar as vacinas e chegando lá me informaram que não tinham como vacinar. Depois disso, liguei para verificar antes de levar ele, e continua sem vacinadora”, contou.

Ela diz que foi orientada a procurar outra Unidade de Saúde para realizar a vacina do filho. “Falaram para levar ele no Dr. Roberto Calmon, no Centro. Só que estamos no meio de uma pandemia, eu teria que pegar ônibus com um bebê de 11 meses e ainda estaria expondo meu filho”, explicou a mãe.

Marlene Celda é moradora do bairro e explicou que ao questionar os profissionais locais sobre quando a situação se resolveria, foi informada que uma profissional seria direcionada para a unidade apenas em fevereiro. “Isso é um descaso com a população. Nessa época, as mães com crianças pequenas precisam ter as carteiras atualizadas para matricular seus filhos nas escolas”, disse Marlene.

Após duas semanas sem profissionais para vacinar atendendo à Unidade, os moradores pedem uma solução o quanto antes. “Existem Unidades de Saúde maiores, por que não pode ser deslocada uma vacinadora de outra unidade enquanto a situação não se resolve definitivamente? O mês ainda não acabou e a necessidade das pessoas também não. Se a situação só se normalizar em fevereiro, como falaram, é um mês de atraso nas vacinas”, afirmou a moradora.

Por meio de nota, a Secretária Municipal de Saúde (Semsa) explicou que a funcionária que atendia à vacinação no local pediu exoneração. “Logo em seguida a Semsa chamou uma profissional para atender a unidade. A mesma se encontra em treinamento para iniciar os atendimentos”. A nota explica também que a orientação é que, até o início dos atendimentos no local, a população deve procurar a Unidade de Saúde Roberto Calmon.

Sobre a sugestão de remanejar um profissional de outra Unidade de Saúde, a nota explica que isso causaria dificuldades em outras unidades, pois outros locais estariam descobertos. “A profissional já está na fase final do treinamento e os trabalhos na unidade serão iniciados o mais breve possível”, conclui a nota.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Anúncio

Anúncio

Veja também

2021_09_20-qualificar-es-galeria-Kainan-Juliana-e-tyago.JPG

Programa Qualificar ES realiza cerimônia de formatura em Guarapari

Praça Trajano (3)

Morador lamenta abandono da Praça Trajano Lino Gonçalves em Guarapari

Anúncio

Anúncio

projeto-escola-rural-2021-09-21-1

Escola Rural de Guarapari trabalha impacto da Educação Física para outras matérias e para a vida

Trabalho envolve professores de diversas matérias e incentiva inclusão e disciplina

ondas

Previsão de ondas de até 5 metros e ventos que podem chegar a 75 km/h no ES

Anúncio

vacina pfizer crianças

ES espera aval da Anvisa para vacinar crianças a partir de 3 anos contra Covid-19

O secretário de Saúde afirmou que a expectativa do governo é que a Sinovac e a Pfizer apresentem a documentação necessária para liberação da vacinação desse público até dezembro

vacinação adolecente

Guarapari vacinará adolescentes a partir dos 12 anos; o agendamento acontece hoje (21)

Anúncio