Anúncio

MPC reitera pedido de suspensão de contrato para obras do Hospital Maternidade de Guarapari

Por Redação Folhaonline.es

Publicado em 24 de janeiro de 2020 às 09:18
Atualizado em 24 de janeiro de 2020 às 13:55

Anúncio

Foto: Divulgação/PMG.

O Ministério Público de Contas (MPC) reforçou o pedido de suspensão imediata do contrato para a realização de obras do Hospital Maternidade de Guarapari, devido a diversas irregularidades, em requerimento apresentado no último dia 7, no recurso ministerial que tramita no Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo (TCE-ES). O recurso foi protocolado em agosto de 2019 e encontra-se pendente de análise no Tribunal de Contas. O relator do caso é o conselheiro Sérgio Manoel Nader Borges.

Em novembro, ao emitir parecer nesse recurso (Agravo 14529/2019), o MPC rebateu os argumentos da área técnica do TCE-ES, contrários à concessão da medida cautelar para suspender imediatamente o contrato, e pediu que fosse juntado aos autos o relatório da Controladoria-Geral da União (CGU) no Estado do Espírito Santo “contendo os resultados dos trabalhos realizados pela Controladoria relativos à aplicação de recursos públicos federais na obra de construção/conclusão do Hospital Maternidade Cidade Saúde no município de Guarapari, cujas conclusões convergem de forma uníssona com o pedido de suspensão do contrato em execução”.

Entre outros pontos, o relatório da CGU converge com o exposto pelo MPC na Representação 3352/2019 sobre a “ausência de estudo com estimativas dos recursos financeiros, humanos e materiais necessários ao funcionamento do hospital”. Assim como a CGU, o órgão ministerial entende que o prosseguimento da obra se mostra mais lesivo ao erário do que a sua paralisação, até que a análise da representação seja concluída pelo Tribunal de Contas.

Histórico

Em abril de 2019, o MPC fez o primeiro pedido de suspensão do contrato firmado pela Prefeitura de Guarapari com a empresa ASLE Construtora para a conclusão e ampliação do Hospital Maternidade Cidade Saúde de Guarapari, na representação proposta ao TCE-ES em que aponta diversas irregularidades no uso de recursos públicos para aquisição do terreno e realização de obras para a construção do hospital. Apesar de reconhecer a existência dos indícios de irregularidades, o Tribunal de Contas negou o pedido cautelar por entender que havia “risco da perda dos recursos já aplicados e acréscimo dos custos decorrentes da própria paralisação da obra, com perspectiva de acumulação enquanto não se obtém uma decisão de mérito”.

Diante dessa decisão, o MPC interpôs agravo (tipo de recurso), em agosto de 2019, no qual reiterou o pedido para conceder medida cautelar a fim de suspender, de forma imediata, a execução do contrato para realização das obras do hospital.

Mais informações nos documentos anexos. O conteúdo completo da representação está disponível em MPC pede suspensão de contrato para conclusão do Hospital Maternidade de Guarapari em razão de diversas irregularidades.

*Com informações: Ministério Público de Contas.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

curso-qualificar-es-online-2021-08-03

ES abre inscrições para 26 mil vagas em cursos on-line gratuitos de qualificação profissional

Inscrições podem ser realizadas entre os dias 3 e 10 de agosto

crime em Gri

Crime em Guarapari: mulher foi amarrada e torturada antes de ser assassinada

Ana Paula da Silva Barbosa, de 52 anos, foi morta na noite de domingo (1); o marido dela também foi agredido e teve ferimentos na cabeça

Anúncio

Anúncio

Obras-orla-de-meiape-2021-08-03 (4)

Guarapari: carta aberta cobra respostas em relação a atraso de obra na Orla da Praia de Meaípe

Documento foi protocolado na Prefeitura de Guarapari pela Associação de Moradores do Bairro Meaípe

Tempo Integral ES1

Programa Capixaba incentiva implantação de Tempo Integral em escolas municipais

Anúncio

xepa vacina

Guarapari realiza ações de vacinação contra a Covid-19 e a gripe (Influenza)

As segundas doses de AstraZeneca e Coronavac serão aplicadas na quarta-feira (04) e as da gripe, na quarta e na quinta-feira (05)

revsol1

Parceria entre empresa e prefeitura beneficia estradas e ruas de localidades em Guarapari

A ArcelorMittal doará toneladas de Revsol para o município; as primeiras contempladas serão as localidades de Santa Arinda, Limão e Limãozinho

Anúncio