Anúncio

Número de novas empresas volta a crescer no Espírito Santo

Por Redação Folhaonline.es

Publicado em 21 de outubro de 2020 às 11:00
Atualizado em 21 de outubro de 2020 às 18:56

Anúncio

Imagem Ilustrativa | Foto: Pixabay

O número de novas empresas voltou a crescer no Espírito Santo, nos meses de julho e agosto, segundo aponta o Boletim da Receita Estadual – Impactos econômicos da Covid-19. A 6ª edição do Boletim foi publicada, nessa terça-feira (20), pela Secretaria da Fazenda (Sefaz). As informações foram extraídas dos sistemas da Receita Estadual de março a agosto de 2020, comparando com o mesmo período de 2019.

Desde abril, o Estado apresentava queda na concessão de novas inscrições. Entretanto, de acordo com o Boletim, nos meses de julho e agosto houve um aumento de 9,6%, se comparado com o mesmo período de 2019.

O Boletim da Receita Estadual também mostra que o faturamento do setor varejista voltou a crescer nos meses de julho (2,7%) e agosto (6,5%) -, alcançando R$ 3,7 bilhões no último mês analisado. A média móvel do faturamento das empresas do setor varejista de março a agosto no ano de 2019 foi de R$ 3,05 bilhões e no ano de 2020 de R$ 2,95 bilhões, com queda de 3,27%.

Os principais setores econômicos do varejo que apresentaram variação positiva no faturamento no período foram hortifrutigranjeiros (+36,1%), Açougues e Peixarias (+18,2%), produtos Alimentícios (+15,9%) e Supermercados (+13,5%).

“As incertezas relacionadas ao Coronavírus (Covid-19) e ao cenário internacional permanecem. Por isso, estamos com um otimismo contido com relação à economia estadual. O aumento do número de concessões de inscrições estaduais é um bom indicativo, mas precisamos manter a calma e, sobretudo, o equilíbrio fiscal que conquistamos”, pondera o secretário de Estado da Fazenda, Rogelio Pegoretti.

Observa-se também uma leve recuperação na arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) nos meses de julho (+1,3%) e agosto (+2,9%). Entretanto, a queda no período analisado é de 4,4%, se comparado com mesmo período de 2019, aponta o auditor fiscal e gerente de arrecadação e cadastro Leandro Kuster.

Preço do petróleo

Outro fator que ainda segue jogando contra a arrecadação do Estado é o preço do barril de petróleo no mercado mundial. O Brent iniciou com valor de US$ 65,07, em março de 2019, e, em 2020, chegou a ser cotado a U$ 19,33, no final do mês de abril, e fechou agosto cotado a US$ 45,28.

Observa-se ainda uma ligeira recuperação, a partir do início de maio de 2020, que segue até o final de agosto, mas insuficiente para alcançar o patamar anterior a março.

“Se compararmos ao último dia de agosto de 2020 com o primeiro dia de março de 2019, obtivemos uma queda nominal de 30,4%. Se compararmos a última cotação de agosto de 2020 com o preço da média neste período (U$ 54,82), a queda passa a ser de 17,4%”, observa o auditor fiscal e subsecretário de Estado da Receita Estadual, Luiz Cláudio Nogueira.

Veja a 6ª edição do Boletim da Receita Estadual – Impactos econômicos da Covid-19.

  • Com informações do Governo do Estado do Espírito Santo

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Anúncio

Anúncio

Veja também

Guarapari vai sediar retomada dos Jogos Escolares do Espírito Santo em setembro

De acordo com Secretaria Estadual de Esporte e Lazer, evento deve contar apenas com municípios campeões das últimas etapas realizadas em 2019

artigo-2-2021-07-30-1

Artigo: danos morais no Direito do Trabalho

Anúncio

Anúncio

cover-painel-covid-19-julho01

Guarapari teve 12 óbitos e 460 novos casos de Covid-19 em julho

Números apresentam queda, em relação ao mês anterior

notificação covid

Taxa de transmissão da Covid-19 é a menor no Espírito Santo desde o início da pandemia

Dado foi divulgado em pronunciamento para apresentação do 66° Mapa de Risco Covid-19

Anúncio

progressao-salarial-professores

Guarapari vai pagar R$1,06 milhão de Progressão aos profissionais da Educação

pronunciamento-16.11.22

66° Mapa de Risco mantém Guarapari, Anchieta e Alfredo Chaves em risco baixo para Covid-19

Anúncio