Anúncio

“O seu voto pode ser o remédio contra a má gestão”

Por Glenda Machado

Publicado em 14 de julho de 2016 às 09:07
Atualizado em 14 de julho de 2016 às 09:14

Anúncio

LenonAtleta profissional de bodyboarding, idealizador de campeonatos estaduais de bicicross, responsável pelo maior bloco carnavalesco da cidade e pelo maior bloco infantil do estado. Essas são apenas algumas das atuações no currículo de Lennon Monjardim. Aos 31 anos é casado com Katiani Teixeira Oliveira.

Filho do contador Geraldo Novaes de Araújo e da professora Rita de Cássia Monjardim de Araújo, hoje dá sequência ao trabalho do pai ao lado da irmã Polyana Monjardim. Tecnólogo em Gestão da Produção e Distribuição de Petróleo pelo Cet-Faesa, também atua no ramo de administração de condomínios.

Filiado ao Partido Trabalhista Nacional (PTN), acredita que para haver a mudança tão pedida e sonhada pela sociedade é preciso participar ativamente de debates políticos, manifestações culturais e ações sociais. Por isso, assumiu mais um compromisso e lançou seu nome como pré-candidato a vereador.

Folha da Cidade – Como é dar sequencia ao trabalho do seu pai em uma empresa que hoje é referência no mercado?

Lennon Monjardim – São 25 anos de muito trabalho e dedicação do meu pai na Contabilidade Geraldo Novaes. Desde os meus 16 anos eu faço parte do quadro de funcionários e aprendi muito tanto profissionalmente como pessoalmente. Em 2010, resolvi abrir a minha própria empresa e investi na administração de condomínios que vem crescendo a cada ano.

FC – E como tem feito para superar a crise?

Precisamos nos apoiar para estimular o crescimento, firmar parcerias entre as empresas e até mesmo com o poder público. Nosso país precisa se mostrar confiável ao setor privado porque temos muitas demandas reprimidas principalmente na infraestrutura. Só depois de retomar um cenário político estável que os investimentos vão voltar.

FC – Então há uma ligação entre as crises política e econômica?

Sim. Cresci em uma família de contabilistas. Todos os dias conversamos muito com nossos clientes e amigos e o que sentimos é uma carência enorme de incentivos do nosso governo para com os empresários. O país não sai da crise econômica enquanto não se resolver a crise política que vivemos hoje.

FK0002

LENNON com o pai Geraldo e a irmã Polyana.

FC – Qual a sua avaliação do cenário político hoje de Guarapari?

Instabilidade. Vejo uma gestão que tentou deixar um legado de uma cidade organizada, mas que talvez pelos antigos vícios e pela velha política não está conseguindo. Por isso, me filiei ao PTN. Enxerguei nesse partido além de novas ideias, novos propósitos, um grupo coeso e sem vícios políticos

FC – E qual seria o caminho para esta mudança?

Bons políticos, ilibados e comprometidos. Mas bons políticos não surgem do nada. É preciso que a sociedade colabore e a mudança começa pelo eleitor: o seu voto pode ser o remédio contra a má gestão.

FC – Como fazer uma nova política?

Sair da promessa e agir. Eu acredito muito no esporte como forma de crescimento humano. Tive uma passagem importante no bodyboarding, fui atleta profissional e cheguei a ficar na terceira colocação no brasileiro. Nesta época criamos uma escola de bodybording gratuita na Praia do Morro. Foram três anos de trabalho e neste pouco tempo vi muitos atletas se destacarem no cenário capixaba. Também realizei duas etapas do circuito capixaba de bicicross, quando formamos grandes pilotos como meu irmão Felype Monjardim. Acredito que as pessoas precisam de oportunidades, esse é o caminho.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

projeto-escola-rural-2021-09-21-1

Escola Rural de Guarapari trabalha impacto da Educação Física para outras matérias e para a vida

Trabalho envolve professores de diversas matérias e incentiva inclusão e disciplina

ondas

Previsão de ondas de até 5 metros e ventos que podem chegar a 75 km/h no ES

Anúncio

Anúncio

vacina pfizer crianças

ES espera aval da Anvisa para vacinar crianças a partir de 3 anos contra Covid-19

O secretário de Saúde afirmou que a expectativa do governo é que a Sinovac e a Pfizer apresentem a documentação necessária para liberação da vacinação desse público até dezembro

vacinação adolecente

Guarapari vacinará adolescentes a partir dos 12 anos; o agendamento acontece hoje (21)

Anúncio

falta-de-agua-e-um-problema-politico-2-1024x683-1024x585

Bairros de Guarapari terão abastecimento de água paralisado nessa terça-feira (21)

Meninos Adalberto (2)

Projeto social que acolhe crianças e adolescentes precisa de apoio em Guarapari

Anúncio