Anúncio

Presidente interino da Câmara dos Deputados decide anular sessão que aprovou abertura de impeachment

Por Natália Zandomingo

Publicado em 9 de maio de 2016 às 20:08
Atualizado em 9 de maio de 2016 às 20:33

Anúncio

O presidente em exercício da Câmara, Deputado Waldir Maranhão (PP-MA), decidiu acatar o pedido da Advocacia-Geral da União e anulou a sessão que aprovou a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Segundo Waldir Maranhão os partidos políticos não poderiam ter orientado a votação dos seus membros e os parlamentares também não podiam ter anunciado publicamente o voto antes da conclusão da votação, pois, segundo a justificativa de Maranhão, isso “caracteriza prejulgamento e clara ofensa ao amplo direito de defesa que está consagrado na Constituição”. O presidente destaca ainda que a defesa da presidente Dilma não poderia ter deixado de falar por último.

Nota maranhao1

Nota à imprensa do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA).

Nota maranhao2

Nota à imprensa do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA).

Maranhão também considerou que “o resultado da votação deveria ter sido formalizado por Resolução, por ser o que dispõe o Regimento Interno da Câmara dos Deputados e o que estava originalmente previsto no processamento do impeachment do Presidente Collor, tomado como paradigma pelo STF para o processamento do presente pedido de impeachment”.

Por esses motivos, Maranhão anulou a sessão realizada nos dias 15,16 e 17 de abril e determinou a realização de uma nova no prazo de cinco sessões, contados a partir da data em que o processo for devolvido pelo Senado à Câmara, para deliberação sobre a matéria.

Nas ruas

Em Guarapari, a maioria dos entrevistados se posicionou contra a decisão do presidente interino da Câmara, Deputado Waldir Maranhão. Pedro Júnior, panfleteiro, 52 anos, acredita que o governo Dilma sacrificou muito as pessoas e disse que o processo deveria continuar.

Maria de Lurdes Paula, aposentada, 57 anos,  prefere novas eleições. “Eu gostaria que ela (Dilma) renunciasse e tivesse uma nova eleição para não ficar nenhum daqueles que estão lá para substituí-la”. Essa também é a opinião da estudante Juliana Lopes, de 19 anos. “Deveria continuar (o processo), mas o ideal seria ter outra eleição”.

Fabiana de Jesus, gerente de loja, 29 anos, disse que não estava sabendo da decisão e que está acompanhado pouco as notícias sobre o impeachment, mas acredita que o processo deveria continuar. “Isso pode prejudicar o país ainda mais”, disse. Na opinião do agente de trânsito Robson Cardoso, de 28 anos, o processo deveria prosseguir. “Essa briga de poderes não é boa. Essa decisão é um regresso. Tiveram várias manifestações para a saída dela (da presidente). Ela deve pagar pelo o que fez”.

Oposição

O líder do partido Democratas (DEM), deputado Pauderney Avelino (AM), declarou que a decisão do presidente em exercício da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão, não tem nenhum valor jurídico porque o processo não está mais na Casa. Avelino disse que consultou vários juristas que também entendem que a decisão de Maranhão não tem valor nenhum.

Situação

Já para o vice-líder do governo Sílvio Costa (PTdoB-PE) afirmou que a decisão do presidente em exercício, faz com que a Câmara dos Deputados retorne à sua normalidade legislativa. Sílvio Costa espera uma decisão imediata do presidente do Senado Renan Calheiros.

Com informações da Agência Câmara.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

familia-acolhedora

Guarapari realiza formação para quem deseja participar do Programa Família Acolhedora

montagem terreno Ipiranga2

Guarapari: dona de imóvel no Ipiranga reclama da falta de ordenamento público no bairro

De acordo com o relato, no local há um terreno abandonado acumulando lixo, um ônibus estacionado na rua com uma família morando e calçada sendo usada como varal de roupa

Anúncio

Anúncio

frio-inverno

Inverno começa com alerta de queda de até 5°C nas temperaturas em Guarapari

O alerta emitido pelo Inmet aponta frio intenso em 35 cidades do Estado

vacina_covid_19

Pessoas acima de 40 anos já podem agendar a imunização contra Covid-19 em Guarapari

A vacinação acontecerá na quarta (23), no Complexo Esportivo, em Muquiçaba.

Anúncio

volta às aulas pmg

Aulas presenciais são liberadas para todos os níveis a partir desta segunda (21) no ES

Novo mapa de risco passa a vigorar com 58 cidades em classificação moderada

pfizer

Guarapari abre hoje (21) novo agendamento para vacinar profissionais da educação contra Covid-19

Anúncio