Anúncio

Projeto que mobiliza homens pelo fim da violência doméstica é implantado em Guarapari

Por Aline Couto

Publicado em 3 de outubro de 2019 às 15:07
Atualizado em 3 de outubro de 2019 às 15:23

Anúncio

O programa “Homem que é Homem” foi lançado nesta manhã (03) no auditório da Secretaria Municipal de Educação de Guarapari – Semed

Foto: Aline Couto.

Lançado no Espírito Santo em 2015 e com adesão de vários municípios que possuem a delegacia da mulher, o projeto “Homem que é Homem” foi implantado nesta quinta-feira em Guarapari. A iniciativa tem o objetivo de prevenir e reduzir a violência doméstica e é realizada através de parceria entre a prefeitura de Guarapari, o Governo do Estado e a Polícia Civil.

A delegada Francini Moresch, titular da delegacia Especializada em Atendimento à Mulher de Guarapari explicou que o projeto “Homem que é Homem” é social, voltado para homens agressores e realizado através das assistentes sociais e psicólogas técnicas da Polícia Civil. “Quando o projeto iniciou em Vitória, os homens que compareciam nos encontros eram monitorados após a participação e o índice de reincidência de violência contra a mulher era baixíssimo. Logo depois o judiciário entrou como parceiro e hoje os municípios da Grande Vitória participam”.

A seleção dos homens que farão parte do projeto é feita pelas delegadas das delegacias especializadas. “Em Guarapari, a princípio, os homens participarão de forma voluntária. Mas já estamos conversando para que aquele homem que tenha uma medida protetiva deferida contra ele, seja obrigado a participar do projeto”, relatou a delegada Francini.

A ideia central é fazer com esses homens que foram violentos de alguma forma, não só agressões físicas, mas também xingamentos, ofensas verbais e psicológicas, reflitam sobre como resolver determinadas situações de conflito do dia a dia. Além de aprenderem a lidar com a intolerância e a discriminação advindas por parte de uma sociedade culturalmente machista.

Delegada Francini (em pé) durante a implantação do projeto. Foto: Hamilton Garcia.

A metodologia de trabalho é composta de encontros semanais, toda terça-feira, em um ciclo de oito dias, onde serão desenvolvidas atividades como rodas de conversa, palestras, dinâmicas de grupo, debates e apresentações de vídeos sobre a cultura de respeito e não violência. Durante os encontros, os homens têm o acompanhamento de uma equipe psicossocial e discutem temas como a Lei Maria da Penha, violência, relação amorosa e comunicação não violenta. “Já foram selecionados 25 homens para o primeiro ciclo que começa na próxima semana, 08 de outubro. Esperamos que pelos menos 15 desses escolhidos compareçam aos encontros”, aguarda a delegada.

“Homem que é Homem”

Lançado em 2015 e idealizado por psicólogas e assistentes sociais da Polícia Civil, o projeto  foi desenvolvido para contribuir para a redução do índice de reincidência de violência contra a mulher, promovendo a prevenção por meio da construção de recursos e habilidades não violentas nas relações interpessoais, especialmente com os cônjuges e familiares.

 

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

Anchieta-Credito-da-Foto-Andrews-Quinteiro_

Pelo quarto ano consecutivo, Anchieta recebe nota A do Tesouro Nacional

pfizer

Guarapari: ação de vacinação sem agendamento para adolescentes com comorbidades

Anúncio

Anúncio

ameazul-praia

Moradores da Enseada Azul, em Guarapari, realizam ação de limpeza neste sábado (18)

Ação é uma adesão ao Dia Mundial da Limpeza

Comunicado - 17-09-2021

Comunicado – 17/09/2021

Anúncio

pfizer

Vacinação dos adolescentes é mantida no Espírito Santo

O Ministério da Saúde suspendeu a imunização do público de 12 à 17 anos sem comorbidades

afrochaves-estacao-da-cultura-2021-09-16-4

Resistência preta marca abertura do Estação da Cultura em Alfredo Chaves

Anúncio