Anúncio

Rafael e Xonado: dois campeões da vida

Por Redacão Folha Vitória

Publicado em 4 de maio de 2017 às 19:49
Atualizado em 8 de maio de 2017 às 15:06
Anúncio

Rafael Martins e Elilson Piedade, mais conhecido como Xonado, são duas pessoas que por motivos diferentes, encontraram no Jiu-jitsu uma nova motivação viver. Rafael por causa de complicações no parto, teve paralisia cerebral e tem sérios problemas de locomoção. Já Xonado, perdeu parte de uma perna em um acidente de moto pouco tempo depois de começar a lutar.

Os dois, que são amigos, encontraram no tatame a força para superar as dificuldades impostas pela vida e hoje não largam o quimono por nada.

Exemplos de superação através do esporte, Xonado e Rafael encontraram no Jiu-jitsu motivação para seguirem em frente. Foto: João Thomazelli/folhaonline.es

Rafael, com 25 anos, está no último ano da Faculdade de Educação Física, faz estágio e ainda arruma um tempo para praticar o esporte preferido. Mas para isso ele teve que enfrentar muita resistência e preconceito.

Uma complicação no parto fez com que o cérebro dele ficasse privado de oxigênio durante alguns minutos e isso comprometeu seu desenvolvimento físico, mas isso não o impediu de sempre ir atrás do que queria.

“Muita gente falou que eu não conseguiria fazer um monte de coisa. Uma professora disse que eu nunca iria ser alfabetizado, mas eu fui em frente e estou no último ano da faculdade. Eu conheci o Jiu-jitsu ainda na adolescência através de alguns amigos. Um deles abriu uma academia e passei a treinar lá. Já participei de vários campeonatos e treino sempre que posso”, conta orgulhoso.

Mas entre estagio e faculdade, sobra pouco tempo para os treinos. “Ontem fiquei na dúvida se ia treinar ou ficava em casa estudando para a prova de hoje. Acabei ficando para estudar, mas morrendo de vontade de ir para a academia”, conta rindo.

Acidente, amputação e quatro paradas cardíacas

No caso de Xonado, apelido adquirido ainda na infância, a superação veio na idade adulta. Na virada do ano de 2009 para 2010 um carro na contramão acertou em cheio a moto que ele pilotava.

Depois de ser socorrido, Xonado sofreu duas paradas cardíacas e por pouco não sobrevive. No final, ele tinha perdido parte da perna esquerda. Nesta época, o atleta já lutava há um ano e participava de vários campeonatos, sempre se destacando.

“Depois do acidente foi muito difícil. Eu não queria sair de casa, tinha vergonha da minha situação… Os meus amigos praticamente me forçaram a sair de casa e ir para a academia com eles, para voltar a treinar. Devo a retomada da minha vida ao Jiu-jitsu”, relembra.

Xonado (quimono branco) competindo em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

Depois de um período de adaptação sob a nova condição ele voltou a treinar forte e até a última semana estava de viajem para participar de um dos maiores campeonatos do mundo, realizado em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

Sobre o que representa o Jiu-jitsu para ele? “Muito mais do que um esporte. Foi a forma que encontrei para superar o trauma e seguir em frente”, finalizou.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio
Anúncio

Veja também

marketing digital

Readequação dos atuais negócios ao período pós pandemia da Covid-19

Foto: Reprodução

Guarapari registra mais duas mortes e totaliza 85 óbitos pela Covid-19

As vítimas fatais da doença residiam nos bairros Coroado e Santa Mônica

Anúncio
Anúncio
Imagem prioridade de tramitação - artigo Larissa

Artigo: Prioridade de tramitação nas execuções de honorários advocatícios

Casagrande

Governo do ES divulga 17º Mapa de Risco da Covid-19

O mapa terá vigência entre a próxima segunda-feira (10) e o domingo (16)

Anúncio
elder happy greeting with gift box present from his son sitting in living room.

Pandemia exige criatividade para comemorar Dia dos Pais

Confira dicas para celebrar a data durante o período de isolamento social

corona

Covid-19: 24 novos casos em Guarapari; Alfredo Chaves registra mais um óbito

Guarapari totaliza 2.174 casos confirmados e 83 óbitos, já Alfredo Chaves contabiliza 284 confirmações e 05 óbitos

Anúncio