Anúncio

Volta às aulas: consumidores de Guarapari devem ficar atentos à variação de preços

Por Redação Folhaonline.es

Publicado em 18 de janeiro de 2020 às 12:00

Anúncio

A pesquisa de preço é uma das recomendações do Procon aos consumidores. Por isso, consultamos as principais papelarias da cidade para verificar a variação dos valores de itens recorrentes nas listas de materiais escolares

Volta às aulas: consumidores de Guarapari devem ficar atentos à variação de preços

Volta às aulas: compra do material escolar. Foto: Reprodução

O período de volta às aulas se aproxima e o comércio já se prepara para a movimentação em busca de materiais escolares. Para aqueles que possuem filhos em idade escolar, esse é mais uma das despesas de início de ano. É fundamental estar atento aos valores praticados e às recomendações do Instituto Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-ES), para não gastar além do necessário.

De acordo com orientações do Procon, o consumidor deve sempre realizar uma pesquisa de preços antes de iniciar as compras. A nossa equipe verificou, em algumas das principais papelarias da cidade, o preço de itens recorrentes nas listas de materiais escolares. Entre as papelarias consultadas, o caderno brochura com 96 folhas mais barato encontrado custa R$4,95. Em outro estabelecimento, o preço de um caderno com as mesmas especificações é de R$7,00, o que representa um acréscimo de mais de 40% no valor do produto.

Quando os personagens queridos pelas crianças são incluídos às capas, o valor dos cadernos aumenta. O exemplar mais barato encontrado em uma das papelarias pesquisadas custa R$7,95, mas o mesmo modelo pode passar de R$9,00 em outra loja, 13% a mais. Quanto ao lápis de escrever, o mais simples custa R$0,30 em um dos estabelecimentos e R$0,45 em um concorrente. Embora o valor seja pequeno, a variação de preço aponta um aumento de 50% no valor do produto.

Volta às aulas: consumidores de Guarapari devem ficar atentos à variação de preços

Consumidores devem se manter atentos aos preços praticados. Foto: Reprodução

Além da pesquisa de preço, o Procon reserva outras sugestões para que o consumidor poupe o máximo possível. Antes de ir às compras, recomenda-se verificar quais os itens que restaram do período letivo anterior. Caso haja a possibilidade de reaproveitá-los, esse será um material a menos na lista. Outra dica é comprar com antecedência, pois os preços sobem em função da procura, no período de volta às aulas, e fazer as compras acompanhado de amigos, o que aumenta as chances de conseguir descontos.

Os pais e responsáveis devem ainda analisar os itens na lista fornecida pela escola. Segundo o Procon, materiais de uso coletivo, como papel higiênico, giz para quadro negro e álcool, não podem ser exigidos. Caso algum dos materiais não pareça fazer parte da rotina escolar do aluno, orienta-se questionar a instituição sobre a finalidade do objeto. Seguindo as recomendações, os pais podem assegurar-se que compraram apenas o necessário, pelo menor valor possível.

Texto: Nicolly Credi-Dio

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

AMT-_-Programa-de-Estagio-2023

ArcelorMittal abre inscrições para programa de estágio no Espírito Santo

WhatsApp-Image-2022-10-05-at-16.17.44

Projeto Ajuda Pet inicia campanha para apoiar dona de casa que abriga dezenas de animais em Guarapari

Anúncio

Anúncio

festival-frutos-do-mar-2022

Anchieta: Festival Capixaba de Frutos do Mar apresenta pratos que serão comercializados no evento

WhatsApp-Image-2022-10-06-at-09.03.41

Polícia Civil de Guarapari deflagra operação contra tráfico no Espírito Santo e em Minas Gerais

Anúncio

305274-3-beneficios-da-campanha-do-outubro-rosa-para-sua-empresa

Igreja realiza corrida para comemorar Outubro Rosa em Guarapari

deputado-federal-felipe-rigoni-psb-142888-article

Deputado Felipe Rigoni anuncia apoio ao governador Renato Casagrande no segundo turno

Anúncio