Anúncio

Artigo: Lei nº 14.010/20 e seu reflexo sobre a usucapião

Publicado em 22 de agosto de 2020 às 15:00
Atualizado em 24 de agosto de 2020 às 10:34
Anúncio

Por Dr. Bruno Fernandes de Ávila (*) Advogado OAB/ES 33.662

Em junho do corrente ano, foi editada a Lei nº 14.010/20, que propôs uma série de alterações temporárias nas relações jurídicas de direito privado, dentre as quais se encontram a suspensão do prazo de usucapião.

Antes de explicar a dita mudança, é bom conhecermos mais sobre o instituto.

 A usucapião consiste numa forma de aquisição da propriedade, notadamente conhecida pelos brasileiros, tendo em vista sua grande recorribilidade no dia a dia. O principal requisito para consagração do direito de usucapião é a existência da posse prolongada de coisa pertencente a outrem, ou melhor, o uso contínuo de determinado bem durante o lapso temporal indicado pela lei civil. Veja que o tempo de posse é fator crucial para o reconhecimento da usucapião.

Dito isso, a Lei nº 14.010/20 cuidou de suspender os prazos para aquisição da propriedade via usucapião, isto durante o período compreendido entre as datas de 10 de junho a 30 de outubro do presente ano. Noutras palavras, o prazo entre as datas mencionadas não é calculado como tempo de posse por usucapião. Talvez você se pergunte: qual a razão da dita suspensão?

Ora, vivemos um momento de isolamento social e é necessária a permanência das pessoas em suas casas, sendo, por vezes, proibidas as viagens para outras cidades e estados brasileiros. Sim, há uma clara dificuldade de locomoção pelo território nacional. 

Por causa disso, quem possui mais de um imóvel em localidades afastadas, por exemplo, não consegue pessoalmente saber se este fora invadido, tem dificuldades na produção de provas documentais, haja vista que os cartórios de imóveis não estão funcionando com toda sua capacidade, e, consequentemente, no acionamento da justiça. Claramente, se tornaria inviável uma defesa adequada, e, no final das contas, terminado o período de isolamento social, o decurso do tempo poderia custar caro: a perda de uma propriedade. Eis a razão da nova regra de suspensão dos prazos de usucapião.

*Dr. Bruno Fernandes de Ávila

OAB/ES 33.662

Pós-graduando em direito e processo penal

Anúncio
Anúncio

Veja também

Foto: Reprodução

Mais 75 casos da Covid-19 são notificados em Guarapari

Com isso, a cidade totaliza 10.682 notificações; 3.324 casos estão confirmados

antonio capa

Guarapari: Família pede doações de sangue para idoso de 81 anos que está na UTI

Renato Antônio Massad Vieira foi internado ontem (22) e, com a escassez de sangue nos bancos, precisa de doadores

Anúncio
Anúncio
chuva

Após forte chuva, Defesa Civil identifica dois pontos de deslizamento de terra em Guarapari

Apesar disso, não há registros de famílias desabrigadas em decorrência da chuva no município

Foto: Reprodução

Sine Anchieta: Mais de 90 vagas abertas com oportunidades na área da Samarco

Há oportunidades para moradores de Guarapari, Anchieta e Piúma

Anúncio
dna (5)

Chuva e vento destroem refeitório de fábrica, em Guarapari

e39d896a-88d6-4014-a632-46f2afd7a5d5

Grupo promove ação de limpeza do Rio Una em Guarapari e convida voluntários

Há 16 anos o “S.O.S Rio Una” coleta lixo sólido das margens do Rio Una, além de promover ações de conscientização

Anúncio