Anúncio

Artigo: o marketing digital é a salvação da jovem advocacia?

Publicado em 22 de maio de 2021 às 15:00
Atualizado em 24 de maio de 2021 às 11:27

Anúncio

*Por Dr. Baltazar Moreira Bittencourt – OAB/ES 26.680

Há uma fervorosa discussão sobre o uso das redes sociais pela advocacia, que está, inclusive, em pauta no Conselho Federal da OAB, especialmente no que tange ao patrocínio de publicações nas redes sociais.

A maioria das seccionais, por meio de seus Tribunais de Ética, entendem que a prática de pagar para que uma publicação atinja um número maior de pessoas, e que não te seguem, se caracteriza como procedimento de mercantilização e atinge público indeterminado, o que não seria permitido no meio da advocacia.

No entanto, em que pese tal interpretação ser válida e estar em consonância com os preceitos das normativas éticas, alguns pontos ainda merecem debate.

Primeiramente, acredito que o conceito de “mercantilização” é subjetivo demais para servir como óbice ao patrocínio de publicações, em evidente prejuízo à segurança jurídica das normas éticas.

Em segundo lugar, o algoritmo das redes sociais faz com que os indivíduos atingidos pelas publicações patrocinadas sejam aqueles que já interagiram ou se interessaram pelo tema na internet, tornando o público determinável.

Na verdade, o que eu acredito ser o grande ponto da questão é saber se tal mecanismo é eficiente ou não para se conquistar, de forma sóbria, bons clientes.

Importante lembrar que, com uma eventual liberação dessa prática, a demanda irá aumentar e os valores podem se tornar inacessíveis para quem está em início de carreira.

Além disso, deve ser considerado que grandes escritórios possuem condições de destinar boas quantias e mão de obra para produção de conteúdo na internet, o que certamente trará um desequilíbrio em detrimento da jovem advocacia.

Acredito, contudo, que o meio digital possui, e sempre possuirá seu espaço, mas é importante que a jovem advocacia foque no trabalho duro e utilize das redes sociais como forma subsidiária de construção de autoridade com a produção de um conteúdo de qualidade. Competência, dedicação e paciência ainda são as melhores técnicas para impulsionar sua carreira.

*Dr. Baltazar Moreira Bittencourt – OAB/ES 26.680, Advogado, Mestrando em Ciências Jurídicas.

As informações e/ou opiniões contidas neste artigo são de cunho pessoal e de responsabilidade do autor; além disso, não refletem, necessariamente, os posicionamentos do folhaonline.es

Anúncio

Anúncio

Veja também

rambutan-1

Rambutan: fruta exótica no Brasil é produzida em Guarapari

De origem asiática, o fruto é encontrado na propriedade do José Antônio Ofrante, em Rio Claro

Crimes virtuais

Artigo: crime virtuais; como se proteger e denunciar

Anúncio

Anúncio

guara-de-ouro-gri-2021-09-18-2

Guará de Ouro: solenidade homenageia lideranças locais e do ES que trabalham por Guarapari

capa_Medidor-de-velocidade-radar-FernandoMadeira-ales

Assembléia aprova lei que proíbe radares ocultos em estradas do ES

Anúncio

73o-MAPA-DE-RISCO-20.09-a-26.09

Governo do Espírito Santo divulga 73º Mapa de Risco Covid-19

vacina_es

Guarapari abre novo agendamento para terceira dose de vacina da Covid-19

Serão atendidos idosos com 60 anos ou mais que tomaram segunda dose de qualquer vacina da Covid-19 há cinco meses ou mais

Anúncio