Anúncio

Onde descartar medicamentos vencidos?

Por Livia Rangel

Publicado em 26 de fevereiro de 2015 às 13:12
Atualizado em 26 de fevereiro de 2015 às 13:12

Anúncio

DSC00485 webRemédios são essenciais para resolver os problemas de saúde, mas depois que a enfermidade passa, normalmente sobram comprimidos nas caixas, xarope nos vidros e até ampolas de injeção. Tudo isso fica guardado nos armários até perder a validade.

Os números impressionam: segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, entre 10 mil e 28 mil toneladas de medicamentos são descartados a cada ano em todo o país. E o que fazer com tudo isso? Não há alternativa senão jogá-los fora, mas resíduos de medicamentos podem contaminar o solo e a água quando descartados no lixo ou na rede de esgoto comum. O problema é que boa parte da população não têm consciência disso.

O médico e especialista em Vigilância Sanitária da Anvisa Luiz Carlos da Fonseca e Silva, explica que o consumidor não pode devolver os remédios para as drogarias e farmácias, a exemplo do que fazem os proprietários de celular nas lojas do ramo. “Elas não têm obrigação legal para aceitá-los e, além disso, haveria risco de comercialização indevida do produto”.

Centros de saúde ou qualquer outra instituição de serviço de saúde também não devem aceitar medicamentos mesmo que estejam dentro da validade. “A razão é que sempre serão desconhecidas as reais condições de armazenamento e conservação nos domicílios, que poderiam adulterar as propriedades terapêuticas do medicamento. Exemplo: o medicamento não pode ser guardado perto de fonte de calor ou em local úmido”, completa.

No Brasil, não existe uma determinação sobre como realizar o descarte de medicamentos. Em 2011, a Câmara dos Deputados chegou a aprovar o Projeto de Lei 595, que institui regras para o descarte de medicamentos. Pela proposta, farmácias, drogarias e postos de saúde seriam obrigados a receber da população medicamentos, vencidos ou não, e os devolverem ao laboratório que os produziu para que este promova o descarte. Mas atualmente encontra-se arquivado.

[col type=”three-fourth”]

Uma questão grave. Os medicamentos contêm substâncias químicas que podem contaminar o solo e a água e não devem ser descartados no lixo comum. Por outro lado, não há orientação ou uma grande oferta de postos de recolhimento.

Em Guarapari, há três locais para se fazer o descarte. As Unidades de Saúde Dr. Roberto Calmon, no Centro, e Arnaldo Magalhães, em Muquiçaba recebem os medicamentos comuns. Já os remédios controlados devem ser entregues na sede da Vigilância Sanitária Municipal, também em Muquiçaba.

“Farmácias e consultórios devem em contato com a Vigilância Sanitária para agendar dia e horário para a coleta, feita por veículo específico, o mesmo que trabalha com resíduos hospitalares”, explicou em nota a Secretaria Municipal de Saúde. Ela completa que as pessoas não devem acumular um grande volume de medicamentos em casa.

Uma forma de diminuir a quantidade de medicamentos a serem descartados é a compra de remédios fracionados, isto é, comprar apenas a quantidade necessária ao uso, o que evitaria o acúmulo desnecessário. A prática é pouco comum entre as farmácias. “Isso seria o ideal, pois o indivíduo compraria a quantidade justa, evitando o descarte inadequado no lixo”, conclui o médico da Anvisa Luiz Carlos da Fonseca e Silva .

Os medicamentos contêm substâncias químicas que podem contaminar o solo e a água e não devem ser descartados no lixo comum

[/col]

[col type=”one-fourth last”]

Onde descartar:

Medicamentos comuns
Unidade de Saúde Dr. Roberto Calmon
Endereço: R. Antônio Cláudio Coutinho, s/nº – Centro
Tel: (27) 3261-5965

Centro Municipal de Saúde
Rua Emília Trindade da Silva, bairro Itapebussu nº 10 (próximo ao Guaracamping).
TEL: 3261-5716 / 3262-8528 / 3362-6652

Medicamentos controlados
Vigilância Sanitária
Tel: (27) 3262-9543 / 0800-283-9453

[/col]

[box style=”0″]
Principais problemas sociais e ambientais

O descarte incorreto de medicamentos traz sérias consequências para o meio ambiente e também para a população. Veja os principais problemas sociais e ambientais associados aos resíduos de medicamentos e aos medicamentos com prazos de validade vencidos:

  • intoxicação acidental de crianças e adultos;
  • Abuso intencional de drogas;
  • Impactos na qualidade da água e do solo;
  •  Impactos negativos sobre a vida aquática;

Como descartar corretamente os remédios

  • tome o cuidado de manter as embalagens originais;
  • para eliminar o risco de acidentes com materiais cortantes, guarde-os dentro de embalagens rígidas, como latas e plástico.
  • caixas de papel e bulas são embalagens que não têm contato direto com os medicamentos e podem ser descartados nos coletores seletivos, para a reciclagem. [/box]

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

compras_natal_1-770x470

Natal Premiado com R$ 15 mil de premiação em Anchieta

IPVA-2016-Romero

Governo do ES divulga datas para pagamento do IPVA 2022

Anúncio

Anúncio

artigo-antonio-ribeiro-2021-11-26-viatura-policia-militar-pm

Artigo: Polícia Militar fazendo blitz em diversos pontos da cidade saúde

interior view of a steel factory,steel industry in city of China.

Sine de Anchieta tem 132 oportunidades de emprego em aberto para Guarapari e região

Anúncio

Sinal-Vermelho-Arte-AMB-Fonte-cnj.jus_.br_

Artigo: Sinal Vermelho – respeitar a mulher é respeitar a sociedade

vendedor-ambulante-550x367

Guarapari inicia cadastramento de ambulantes nesta segunda (29)

Anúncio