Anúncio

Vereador de Alfredo Chaves perde mandato por improbidade administrativa

Por Livia Rangel

Publicado em 9 de outubro de 2014 às 00:00

Anúncio

Na Sessão Ordinária desta quarta-feira, dia 08 de outubro, o presidente João Bosco Costa, no uso de suas atribuições legais, declarou extinto o mandato do então vereador Narcizo de Abreu Grasi, após decisão oriunda do Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Espírito Santo (TRE-ES), que tornou nulo o diploma expedido ao vereador relativamente ao pleito eleitoral de 2012. A extinção do mandato foi baseada no acórdão nº 165, exarado no Recurso Eleitoral nº 82-47.2012.6.08.0012, por ato de improbidade administrativa.

 

As irregularidades apontadas são relativas às contas do pré-candidato no ano de 2002 e incidem, de acordo com a Lei, na sua inelegibilidade. O presidente da Casa de Leis foi comunicado por meio do Ofício nº 269 da decisão do TRE-ES, publicada também no Diário da Justiça Eletrônico do Tribunal. O ofício solicitou à presidência que fossem tomadas as providências necessárias ao efetivo cumprimento do acórdão nº 165.

Durante a Sessão Ordinária, o presidente João Bosco Costa esclareceu que, com a declaração da nulidade do diploma pelo TRE-ES, até ulterior decisão, competia-lhe apenas acatar e cumprir a decisão da Justiça e comunicá-la de maneira oficial, sendo dispensada a deliberação do Plenário. No comunicado, o presidente determinou que fosse remetida cópia da decisão e declaração de extinção do mandato do vereador Narcizo de Abreu Grassi ao TRE-ES, ao Juiz Eleitoral da 12º Zona Eleitoral do Espírito Santo, à Promotora de Justiça da Comarca de Alfredo Chaves e ao Prefeito Municipal de Alfredo Chaves.

Também em Sessão Plenária, o presidente João Bosco Costa salientou que, com a vacância do cargo, aguarda deliberação do Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo para convocar o suplente e formalizar a posse do seu suplente legal. Isso porque o referido Tribunal ainda não se manifestou acerca da validade dos votos recebidos pelo vereador em questão, o que poderá interferir na computação dos votos e na relação de suplência.

Após o comunicado proferido pela presidência, o vereador de oposição Paulo Munaldi pediu a palavra e solicitou ao presidente a leitura de documento sobre o referido processo pela assistência de Plenário. O vereador Serafino Antônio Simoni, pedindo uma parte à presidência, interpôs que, para ser lido, o documento precisava ter sido protocolado na Secretaria da Casa no prazo de até 48 horas anteriores à Sessão e que a leitura infringiria o Regimento Interno da Câmara.

A Assessoria Jurídica da Casa de Leis informou que a decisão ainda cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e que o vereador já recorreu ao órgão máximo da Justiça Eleitoral.

Fonte: Comunicação da Câmara de Alfredo Chaves

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

falta-de-agua-e-um-problema-politico-2-1024x683-1024x585

Governo do Estado declara Estado de Atenção para situação hídrica no ES

Medida foi tomada devido à falta de chuvas e estiagem nos últimos meses

Joao-Hadad-em-A-Grande-Conquista-2

Guarapariense João Hadad disputa final de reality show da Record

Final acontece nesta quinta (18)

Anúncio

Anúncio

casa-sinestescia-2024

Casa Sinestésica oferece Oficina de Desenho gratuita nesta quarta (17) em Guarapari

Com o tema Autorretrato, atividade tem vagas limitadas

IMG_9800-1

Terra dos Dinos: Guarapari deve ganhar filial do ‘Jurassic Park brasileiro’ em 2025

Parque temático, no RJ, possui diversas atrações e 40 modelos de dinossauros em tamanho real

Anúncio

20240701_160006

Fios acumulados e pendurados em postes preocupam moradores de Guarapari

Moradores flagraram casos em duas avenidas movimentadas da Praia do Morro

lei-seca_forca-pela-vida-7-1

Blitz Lei Seca flagra 131 motoristas alcoolizados em todo Estado no fim de semana

Ação faz parte do programa “Força pela Vida”, integrando diversos órgãos

Anúncio