Anúncio

Artigo: Afinal, vale a pena fazer um testamento?

Publicado em 21 de novembro de 2020 às 15:00
Atualizado em 30 de novembro de 2020 às 15:43

Anúncio

por Dr. Lúcio Moreira Andrade (*) Advogado OAB/ES 29.281

Em 2020, um fenômeno interessante foi observado no Brasil: a corrida aos cartórios, aumentando-se consideravelmente o número de elaborações de testamentos.

Não se sabe se isto é um efeito do cenário causado pela pandemia da Covid-19. Mas, com certeza, as pessoas notaram a importância de se planejar a destinação de seus patrimônios para o depois do fim da vida. E é nesse contexto que surge a dúvida: afinal, vale a pena fazer um testamento?

A sabedoria popular ensina que “a pressa é inimiga da perfeição”. Por isso, a afoiteza para confeccionar um testamento pode ocasionar, ao invés de pacificação, uma verdadeira guerra judicial. Sobre isso, não faltam exemplos públicos, como os casos envolvendo os familiares de Gugu Liberato e de Chico Anysio, que enfrentam verdadeiras batalhas entre si em virtude de testamentos que apresentaram falhas técnicas em suas elaborações.

Dr. Lúcio Moreira Andrade – OAB/ES 29.281.

Assim, a precipitação pode ocasionar testamentos com falhas jurídicas, impossibilitando que seja feita uma análise minuciosa do caso pessoal de quem irá testar. Isto inviabiliza, inclusive, a percepção de que nem sempre o testamento será o instrumento mais adequado a ser utilizado. Afinal, o testamento é apenas uma das ferramentas que o direito oferece para o planejamento sucessório.

Portanto, se o ano de 2020 tem gerado às pessoas reflexões sobre os efeitos que a morte pode causar à destinação de seus patrimônios, é fundamental o alerta de que nunca devem ser tomadas atitudes precipitadas

Neste contexto, com o auxílio de um advogado especializado, o adequado é que sejam encontradas soluções que se ajustem à realidade pessoal de quem testará os bens, analisando-se variáveis como o estilo de vida da pessoa e de sua família, a composição de seu patrimônio e quais as suas pretensões.

Ao final dessa averiguação, o testamento pode ser uma das ferramentas a serem adotadas. Pode ser, inclusive, que a utilização de outras ferramentas torne o testamento dispensável.

Lúcio Moreira Andrade

OAB/ES 29.281

Advogado no Escritório Ávila e Andrade Advogados

Advogado, bacharel em Direito pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Especialista em Direito Constitucional e Administrativo pela Escola Paulista de Direito (EPD)

Possui diversos artigos, capítulos de livros e outras publicações acadêmicas publicadas no Brasil e no exterior.

As informações e/ou opiniões contidas neste artigo são de cunho pessoal e de responsabilidade do autor; além disso, não refletem, necessariamente, os posicionamentos do folhaonline.es

Anúncio

Anúncio

Veja também

kit merenda

Guarapari realiza nova distribuição de kit merenda para alunos da Rede Municipal de Ensino

Covid-19_ES ultrapassa 10 mil obitos - 2021-05-11

Painel Covid-19: Guarapari se aproxima de 350 e ES ultrapassa 10 mil óbitos por Covid-19

Segundo a última atualização, na tarde de hoje (11), o número de óbitos chegou a 10.013 em todo o Estado

Anúncio

Anúncio

vacina_butantan_covid-divugacao_es

Guarapari abre agendamento para segunda dose da Coronavac em idosos acima de 70 anos

vacinacao-gripe-vilhena-2021-05-11

Imunização contra gripe para idosos e professores começou hoje (11) em Guarapari

Anúncio

Desaparecido Secr Saúde1

Encontrado morador de Guarapari que estava desaparecido

vacina pfizer

Vacina da Pfizer será aplicada em gestantes do ES após suspensão da AstraZeneca

A vacina, até então, só estava sendo aplicada em moradores de Vitória; Anvisa orientou a suspensão da aplicação da AstraZeneca em gestantes nessa segunda-feira (10)

Anúncio