Anúncio

Ambulantes protestam contra fiscalização da prefeitura

Por Glenda Machado

Publicado em 15 de janeiro de 2015 às 18:32

Anúncio

Protesto está previsto para começar às 17h em frente ao quiosque 06 na Praia do Morro. A ideia é seguir até a ponte no Centro

Lívia Rangel

CONCENTRAÇÃO começou por volta das 15h no início da Praia do Morro.

CONCENTRAÇÃO começou por volta das 15h no início da Praia do Morro.

Ambulantes da cidade estão fazendo uma concentração no início da Praia do Morro. O movimento começou por volta das 15h. Os trabalhadores estão protestando contra a fiscalização da prefeitura e o manifesto está previsto para começar às 17h. Eles vão sair do quiosque 06 e seguir até a ponte no Centro.

A ação resultou da indignação da prisão de um ambulante hoje de manhã, que chegou a ser levado para o Departamento de Polícia Judiciária (DPJ). Ele prestou esclarecimentos e foi liberado logo em seguida.

De acordo com a classe, o ambulante é cadastrado e tem licença para comercializar bebidas na Praia do Morro. O motivo da prisão seria que ele estava vendendo água de coco, o que segundo a prefeitura seria necessária outra licença.

“Estamos reunindo ambulantes cadastrados e sem licença para protestar contra a fiscalização severa, contínua e agressiva da prefeitura. Eles prenderam um homem trabalhador, honesto, pai de família. Essa ação tem prejudicado nossas vendas, diminuído a nossa renda. Alguns fiscais têm até porte de arma”, conta um dos organizadores do protesto, o ambulante Gustavo Alexandre.

Ele ressalta que com a presença constante dos fiscais nas orlas, tirando fotos e abordando os trabalhadores tem deixado os turistas desconfiados. Com isso, eles acabam não comprando o produto por conta dessa ação.

“Queremos uma fiscalização democrática e justa. É triste ver fiscal correndo atrás de menino de 13 anos que está vendendo chup-chup para ajudar a mãe. Somos todos de Guarapari. Estamos em dia com as nossas obrigações perante à prefeitura. Só queremos trabalhar, ganhar o nosso dinheiro de forma honesta”, destaca Gustavo.

O OUTRO LADO

A Prefeitura esclareceu, por meio de nota, que o processo de regularização do trabalho ambulante foi feito em 2013. A renovação das licenças aprovadas foram finalizadas em outubro de 2014.

Ainda consta que cada ambulante só pode comercializar um tipo de produto, sendo que bebida é um grupo e água de coco é outra. Em fiscalização de rotina, foi verificado que alguns ambulantes estavam comercializando mais de um grupo de produtos permitido.

Outros focos de ação da fiscalização referem-se ao uso de botijão de gás que é proibido assim como a comercialização de bebidas em recipientes de vidro. Quando são pegos pelos fiscais, eles são orientados a cumprir o edital e se regularizarem.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

rotativo_cmg-gri-2021-05-21

Prefeitura de Guarapari decreta rescisão do contrato com concessionária de estacionamento rotativo

Decisão foi publicada nesta sexta-feira no Diário Oficial do município

Captura-de-tela-2024-07-11-164256

Justiça do Trabalho determina fim da greve na construção civil em Guarapari

Decisão judicial ordena retorno imediato dos trabalhadores e impõe multa ao sindicato em caso de descumprimento

Anúncio

Anúncio

WhatsApp-Image-2024-07-18-at-16.31.41

Escritora de Guarapari leva seu livro infantil para as telas com primeiro curta-metragem

Filme foi lançado no início deste mês no Cine Ritz

WhatsApp-Image-2024-07-18-at-14.56.06

Cruzamentos da Praia do Morro já registraram mais de 30 acidentes de trânsito neste ano

Número equivale à metade das colisões no bairro

Anúncio

Forro-Bobo-2023-13

Balneário de Iriri, em Anchieta, recebe 16ª edição do Forró Bobó neste fim de semana; confira a programação

De 19 a 21 de julho, evento vai reunir música e gastronomia

falta-de-agua-e-um-problema-politico-2-1024x683-1024x585

Governo do Estado declara Estado de Atenção para situação hídrica no ES

Medida foi tomada devido à falta de chuvas e estiagem nos últimos meses

Anúncio