Anúncio

Atestado médico digital agora é lei no ES

Por Redação Folhaonline.es

Publicado em 17 de novembro de 2018 às 12:00

Anúncio

O prazo para adequação de clínicas e hospitais é de um ano.

Atestado médico digital agora é lei no ES

A sanção foi dada no último dia 12. Foto: Leonardo Duarte/Secom-ES

Nesta semana, o governador Paulo Hartung sancionou o Projeto de Lei que institui a obrigatoriedade, em todo o Espírito Santo, da emissão de atestados médicos por meio digital. Com isso, clínicas e hospitais, públicos e privados, deverão emitir atestados com o código de verificação digital.

O objetivo da lei é oferecer segurança e integridade dos atestados emitidos por médicos, reduzindo, dessa forma, o número de atestados médicos falsificados. Além disso, a emissão de documentos por meio digital também auxiliará na identificação das principais causas de afastamento do trabalho.

O governador Paulo Hartung destacou que a construção do projeto é uma luta antiga e contou com a atuação do Fórum das Entidades e Federações (FEF) e da Assembleia Legislativa. “Agradeço a todos que lutaram para chegarmos hoje na sanção deste projeto de lei. Essa medida faz parte de um conjunto de ações que chamamos de Simplifica-ES e tem como objetivo melhorar o ambiente de negócios para quem quer empreender no Estado”, destacou o governador Paulo Hartung.

Com a sanção do governador, o Espírito Santo fica entre os pioneiros do Brasil na utilização do atestado médico digital, ficando atrás apenas do estado de São Paulo. O Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação do Espírito Santo (Prodest) será o responsável por permitir acesso aos médicos e aos estabelecimentos de saúde, públicos ou privados, ao sistema de registro e emissão do atestado médico digital. As clínicas e os hospitais de todo o Espírito Santo terão um ano para a implementação do sistema. Quem não cumprir a lei será notificado e poderá ser multado.

Com isso, o atestado médico físico, como há hoje, emitido de próprio punho pelo médico ou impresso por ele no momento da consulta, só poderá ser emitido quando não for possível, em nenhuma hipótese, sua confecção em meio digital. No entanto, quando houver essa necessidade, o médico deverá colocar no documento a justificativa para emissão física.

Como vai funcionar:

– Para emissão do atestado em meio digital, o médico deverá registrar todos os dados e informações de identificação do paciente, de acordo com as novas regras estabelecidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM);

– A impressão do Código Internacional de Doenças (CID) somente constará no atestado médico digital quando houver autorização expressa do paciente, na forma e condições previstas na legislação aplicável;

– A assinatura digital do atestado médico digital deverá ser protegida por certificação digital, em conformidade com a Infraestrutura de Chaves Públicas (ICP) Brasil ou por outro meio que lhe assegure proteção e autenticidade.

  • Com informações do Governo do Estado

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

IMG_20220701_151514246-2

Entrevista: médico explica aumento de doenças respiratórias no inverno

WhatsApp-Image-2022-06-30-at-16.05.18

Anchieta e Alfredo Chaves recebem novos equipamentos agrícolas do Governo do Estado

Entrega beneficiou mais de 40 municípios

Anúncio

Anúncio

WhatsApp-Image-2022-07-01-at-12.31.07

Artigo: Pichações são uma praga mundial. Temos todos que prevenir agora!

artigo-oab-2

Artigo: Registro triplo já é uma realidade no Brasil

Anúncio

WhatsApp-Image-2022-01-11-at-15.30.29-4-1

Covid-19: número de testes positivos cresce e é o maior dos últimos quatro meses no ES

Perspectiva_01

Evento marca assinatura de contrato para projeto do novo Radium Hotel em Guarapari

Ideia é criar um centro de inovação para o turismo

Anúncio