Anúncio

Cocada: muito mais que uma sobremesa

Por Livia Rangel

Publicado em 18 de setembro de 2015 às 13:22
Atualizado em 18 de setembro de 2015 às 13:22

Anúncio

Dilma construiu a minha casa e pagou a faculdade do filho com o dinheiro da cocada.

Dilma construiu a minha casa e pagou a faculdade do filho com o dinheiro da cocada.

Assada, de coco queimado, branca, com leite condensado, de maracujá e até com banana. Difícil eleger qual é a melhor cocada de Meaípe. Uma tradição da região que muitas vezes é a única fonte de renda da família como é o caso de Dilma Fernandes Soares, 47 anos. Há 23 anos, ela repete diariamente o processo manual de quebrar o coco, ralar, preparar e assar o doce. Depois, ainda enfrenta 20 minutos de ônibus com o tabuleiro em mãos para então vender a tradicional sobremesa na região.

“Eu construí a minha casa e formei meu filho com o dinheiro da cocada”, conta com emoção nos olhos e orgulho estampado no rosto. De forma tímida e acanhada, revela que só cozinha o básico. “Tenho mão boa mesmo para doce”, disse rindo. E quando questionada sobre o segredo do sucesso, a resposta é direta: “eu trabalho com muito amor e cozinho com carinho, porque a receita mesmo é simples e igual para todo mundo. Mas costumo dizer que é como fazer arroz, cada um tem o seu jeitinho”.

A paixão pela profissão é tão grande, que nem a hérnia de disco foi capaz de aposentar a nossa guerreira. “Meu filho, que é formado em Educação Física, sempre fala que é hora de parar. Mas enquanto Deus me der saúde e vida, eu vou trabalhar. Agora, a meta é formar a minha outra filha, que tem 14 anos”. Vendida a R$ 5,00 a unidade, Dilma é apenas um exemplo de várias outras mulheres de fibra que usam a arte da culinária para adoçar a vida e cuidar da família.

Reportagem: Lívia Rangel

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

WhatsApp Image 2021-06-15 at 17.25.04

Em meio a pandemia, moradores registram aglomerações e até cavalgadas em Guarapari

Praça Bradesco2

Prefeitura de Guarapari justifica demora na entrega da Praça do Bradesco

O órgão alega aumento nos custos dos materiais e falta de matérias primas para o atraso. Porém, informou que pretende finalizar a reforma ainda este ano

Anúncio

Anúncio

vacina 45

Covid-19: população reclama que demora na chegada da vacina atrasou a imunização em Guarapari

Segundo relatos, a aplicação estava marcada para começar as 8h, mas só iniciou 30 minutos depois

repreentantes-comercio_contra_covid-2021-06-15

Representantes do comércio no ES se unem pela prevenção à Covid-19

Anúncio

Edital-folhaonline

Edital de citação

coworking_final_1

Com mercado em adaptação, coworking oferta espaço personalizado e flexível em Guarapari

Espaços de trabalhos compartilhados se tornaram tendência para profissionais autônomos e equipes

Anúncio