Anúncio

Quinzenalmente, Dra Aline Rodrigues escreve para o folhaonline.es passando informações e esclarecendo dúvidas sobre cuidados com as crianças.

Coluna Papo de Pediatra: acidentes com águas-vivas no verão

Ações de primeiros socorros básicas iniciais são efetivas para grande maioria desses acidentes

Por Aline Rodrigues

Publicado em 28 de dezembro de 2023 às 14:21
Atualizado em 28 de dezembro de 2023 às 14:21

Anúncio

um menino perto do mar examina uma crianca de agua viva descansando na praia 186673 6401
Foto: reprodução.

Acidentes com águas-vivas não são queimaduras como habitualmente costumam falar, mas sim um ferimento decorrente do envenenamento da pele por substâncias liberadas por esses animais. Esses acidentes são mais comuns no verão, devido ao aumento no número de banhistas nas praias nessa época do ano.

A maior parte das espécies encontradas no litoral sul e sudeste do Brasil causam acidentes dolorosos, porém de baixa gravidade. Com isso, as ações de primeiros socorros básicas iniciais são efetivas para grande maioria desses acidentes.

O contato com os tentáculos pode causar ardência e/ou dor intensa no local que pode durar de 30 minutos até 24 horas. Após o contato com a água-viva, não jogue água doce no local, ela pode estimular a liberação do veneno e causar piora da dor. Não passe xixi, sabão ou limão, essas substâncias podem irritar ainda mais a área afetada causando mais dor e sensibilidade. Também não exponha a área ferida ao sol, as lesões podem aumentar de tamanho e até formarem bolhas.

O que deve ser feito? Faça uma compressa com água do mar gelada no local, que ajudará a aliviar a dor. Se tiver vinagre ao alcance passe no local afetado, ele impede que as células deixadas pelos tentáculos liberem mais veneno. As águas-vivas não costumam deixar os tentáculos na pele, mas alguns podem ficar a deriva e grudarem, nesse caso use guardanapo de papel para retirar esses tentáculos aderidos a pele.

Se cuidem! Aproveitem o verão!

Aline Rodrigues de Souza, 33 anos, é médica emergencista e intensivista pediátrica. Trabalha como coordenadora da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal - UTIN pediátrica e neonatal - do Hospital Materno Infantil Francisco de Assis – HIFA, e atende em consultório próprio.

Mais de Aline Rodrigues

1024

Coluna Papo de Pediatra: filhos na escola – como minimizar infecções

pneumonia-em-criancas-o-que-e-e-como-identificar

Coluna Papo de Pediatra: Filho doente?  Não leve para escola

img_b7v0cwwbvp

Coluna Papo de Pediatra: crianças seguras nas praias

2763_gastroenterite

Coluna Papo de Pediatra: gastroenterite em crianças no verão

As informações e/ou opiniões contidas neste artigo são de cunho pessoal e de responsabilidade do autor; além disso, não refletem, necessariamente, os posicionamentos do folhaonline.es

Anúncio

Anúncio

Veja também

SpeedFestival_02

Speed Festival: Guarapari recebe 3ª edição do evento automobilístico

Além das corridas, o evento contará com atividades para fãs de automobilismo

policia-civil_pc_viatura

DHPP Guarapari prende irmão de um dos traficantes mais procurados do Estado

O indivíduo, que foi detido em Anchieta, atuava como gerente do tráfico e é irmão de Willian Zanoli, vulgo “Terceirão”

Anúncio

Anúncio

WhatsApp Image 2024-02-27 at 09.39.591

Aluno da APAE Guarapari conquista 3º lugar em Olimpíada de Matemática

Com o diagnóstico de autismo, Adrian é assistido pela APAE Guarapari e estuda no EMEIEF Zilnete Pereira Guimarães

Janelas - Foto Telma Amaral

Grupo de teatro de Anchieta leva espetáculo ‘Janelas’ para outros municípios capixabas

Peça foi contemplada no edital de Artes Cênicas da Secretaria de Estado da Cultura

Anúncio

20240226110635_IMG_2837

Guarapari é destaque no Plano de Expansão da ES Gás, que investirá R$ 100 milhões no Estado

O município será o 14º a receber gás natural no ES. Outras cidades contempladas serão Linhares, São Mateus e a Região Metropolitana da Grande Vitória

Navios de Cruzeiros. Foto Fernando Frazão -Agência Brasil

Governo do Estado quer cruzeiros marítimos de volta ao ES; Guarapari pode estar na rota

Estudos realizados na USP apontam parecer positivo para retomada de roteiro turístico no litoral capixaba

Anúncio