Anúncio

Guarapari: Empresa de telefonia móvel condenada em R$ 3 mil

Por Livia Rangel

Publicado em 21 de setembro de 2015 às 14:24
Atualizado em 21 de setembro de 2015 às 14:24
Anúncio

celularA juíza do 2° Juizado Especial Cível de Guarapari, Olinda Barbosa Bastos Puppim, condenou a empresa de telefonia móvel Oi ao pagamento de R$ 3 mil por danos morais a uma mulher que teve seu nome negativado de maneira indevida junto à instituição.  De acordo com a sentença, o valor da condenação passará por correção monetária e acréscimo de juros.

Segundo informações do processo n° 0001078-45.2015.8.08.0021, ao tentar contratar os serviços de outra operadora, a requerente tomou conhecimento da negativação de seu nome junto aos serviços de proteção ao crédito, mesmo sem jamais ter contratado qualquer tipo de serviço da empresa de telefonia.

Em sua defesa, a empresa afirmou que existe a possibilidade de a vítima ter sido objeto de fraude, podendo uma terceira pessoa ter se passado pela requerente, e contratado os serviços da instituição.

Porém, a magistrada, em sua decisão, alerta que “só se pode concluir que a empresa requerida, ao realizar a contratação e posteriores cobranças, não se cercou dos cuidados cabíveis para verificar a identidade do contratante ou a validade do contrato”, observou.

Com informações da Assessoria de Comunicação do TJES

Anúncio
Anúncio

Veja também

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Bolsonaro testa positivo para o novo coronavírus

Desde a noite da última segunda-feira (06), quando apresentou os primeiros sintomas, o chefe do executivo cancelou a agenda da semana

óbitos covid

Guarapari perto dos 5% de óbitos por Covid-19

Dos 1.117 casos confirmados na cidade, 50 chegaram ao óbito.

Anúncio
Anúncio
policia federal

Fraude em merendas de Guarapari segue em investigação

Anúncio
Foto: Reprodução

Guarapari totaliza 50 mortes pela Covid-19; 25 pacientes estão hospitalizados

3 mortes foram registradas nas últimas 24h; Índice de letalidade da doença no município sobe para 4,48%

Bruna grávida de Arthur. Foto: Arquivo Pessoal

Guarapari: Após perder o filho, mãe grava vídeo incentivando doação de sangue

Grata pelas transfusões sanguíneas que permitiram que Arthur vivesse 71 dias, Bruna Guerini criou uma campanha para salvar vidas

Anúncio