Anúncio

Legislativo altera Plano Diretor Municipal sem ouvir conselho

Por Livia Rangel

Publicado em 11 de março de 2011 às 00:00

Anúncio

Em fevereiro deste ano, os vereadores de Guarapari realizaram uma sessão extraordinária em que aprovaram algumas alterações no Plano Diretor Municipal (PDM). O projeto de lei é de autoria dos vereadores. Com as mudanças aprovadas por oito, dos 11 parlamentares, o Conselho Municipal do Plano Diretor do Município de Guarapari (CMPDG) fica sem o poder de decisão. Ou seja, passa de deliberativo para consultivo.

O projeto de lei foi vetado pelo prefeito, Edson Magalhães, mas deve ser colocado, novamente em pauta pelos vereadores. Para derrubar o veto, são necessários os oito votos. O ato trouxe preocupação a alguns setores como o da construção civil, pois sem a aprovação do conselho, pode haver a ocupação desordenada do solo.

Segundo o vice-presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Guarapari (Sindicig), Fernando Otávio Campos, não foi a sociedade que motivou essas alterações e nem as entidades que fazem parte do conselho. “Se não teve motivação popular, então, quem motivou e por quê? Qual o interesse dessas mudanças?”, questiona Fernando. Ele também indaga sobre a maneira como foram votadas as alterações. “O projeto de lei foi colocado em pauta em uma sessão extraordinária, sem divulgação, de manhã e 14 dias antes dos vereadores voltarem do recesso”, diz.

Caso o veto do Executivo, seja derrubado, o Sindicig, vai procurar o Ministério Público Estadual (MPES) para saber se esse ato é constitucional ou não. “Às vezes, esse trâmite é demorado e a nossa preocupação é que nesse meio tempo sejam aprovados projetos sem análise e que podem vir a prejudicar o município”, ressalta. Segundo Fernando, o CMPDG está sendo bem rígido ao analisar os projetos e que a Prefeitura tem fiscalizado.

De acordo com o vice-presidente do sindicato, os vereadores foram incoerentes, já que no art. 150, § 60 dizia que as alterações da lei só poderiam ser feitas com a aprovação do conselho, fato esse que não aconteceu.

O PDM. É uma lei municipal, aprovada em Guarapari, em 2007. O objetivo é estabelecer diretrizes para a política de desenvolvimento da cidade. Com ele, os agentes públicos e privados podem nortear suas ações. 

No mesmo ano, foi criado o CMPDG é formado por 27 membros, sendo nove representantes do Poder Público, nove de entidades organizadas e nove da sociedade civil.  O conselho determina altura de prédio, o que pode ser construído em cada área discriminada pelo PDM, entre outras atribuições.

Veja algumas alterações:

“Art. 73 – O Conselho Municipal do Plano Diretor de Guarapari (CMPDG), colegiado consultivo e deliberativo, composto por 27 (vinte e sete) membros, sendo 9 (nove) representantes do Poder Público, 9 (nove) de entidades organizadas e 9 (nove) representantes da sociedade civil, tem como atribuição geral o apoio à política de desenvolvimento e ordenamento territorial e a implementação e monitoramento Plano Diretor Municipal de Guarapari .”

  • Com a alteração, a palavra “deliberativo” foi retirada do texto

“Art. 98 – § 6° – Os ajustes de limites, a que se refere o parágrafo 5° deste artigo, serão efetuados por ato do Executivo Municipal, precedidos por aprovação do Conselho Municipal do Plano Diretor de Guarapari.”

  • Com a alteração, o trecho “precedidos por aprovação do Conselho Municipal do Plano Diretor de Guarapari” é excluído e acrescentado o trecho “ou da Câmara Municipal de Guarapari”

“Art. 103 – § 50 – Na Zona de Proteção Ambiental 3, a implantação de atividades e empreendimentos que visem a alteração dos usos predominantes ou intervenções que venham modificar a destinação de parte das áreas nela contidas deverá respeitar os atributos ambientais locais, devendo ser submetidos à análise e autorização prévia do Conselho Municipal de Meio Ambiente e CMPDG, além de órgãos com obrigações sobre a área.”

  • Com a alteração, a sigla “CMPDG” foi excluída.

“Art. 150 – § 60 – A qualquer tempo é possível promover ajustes na definição dos usos considerados permitidos ou tolerados por cada zona urbanística ou na identificação das vias capazes de suportá-los, mediante decreto do Executivo Municipal, ouvido o Conselho Municipal do Plano Diretor de Guarapari – CMPDG para aprovação da alteração.

  • Com a alteração, o trecho “ouvido o Conselho Municipal do Plano Diretor de Guarapari – CMPDG para aprovação da alteração” é excluído do texto.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

Imagem-do-WhatsApp-de-2024-07-02-as-14.22.32_930ee451

Prestes a lançar novo filme, Rodrigo Aragão quer formar novos talentos do cinema em Guarapari

Cineasta finaliza seu novo longa, que se passa em um prédio assombrado por fantasmas na Praia do Morro

{"eId":"703898471388870","CameraPosition":1}

Hotéis e pousadas das montanhas preparam mimos para hóspedes durante a Festa do Morango

34ª edição do evento já está com ingressos à venda

Anúncio

Anúncio

Pastor Raphael

Coluna Palavra de Fé: Schadenfreude

letreiro-guarapari-es-2021-08-27

Coluna Dom Antônio: O que falta para Guarapari ser uma cidade turística de verdade

Anúncio

regulamento foto (3)

Coluna Entenda Direito: A importância do Regulamento Interno das empresas nas relações de trabalho

Pipas_divulgacao

Guarapari foi a cidade mais atingida por problemas causados por pipas na rede elétrica

Nos primeiros meses do ano, cidade teve 1.668 clientes afetados na região; riscos de acidentes aumentam nas férias

Anúncio