Anúncio

Mães de crianças especiais de Guarapari relatam que há meses faltam medicamentos no Centro de Saúde

Por Aline Couto

Publicado em 9 de novembro de 2022 às 09:39

Anúncio

Mães de crianças especiais de Guarapari relatam que há meses faltam medicamentos no Centro de Saúde
Centro Municipal de Saúde de Guarapari. Foto: reprodução.

Mirele Costa, Gabriella Werneck, Taciana Flores e Rosimelia Ramos estão há meses em busca de medicamentos para os filhos, que tem deficiências, e sempre retornam para casa com a resposta negativa do Centro Municipal de Saúde de Guarapari. De acordo com o relato dessas mães, que representam muitas outras, há remédios que não são repostos há mais de três meses e elas estão precisando comprar, na maioria das vezes sem condições, os medicamentos para suprirem as necessidades dos filhos especiais.

“Sou mãe de Heitor Costa, que é autista. Ele tem três anos e nove meses e faz uso da Risperidona 1ml/1mg (líquido) desde os dois anos de idade. Mas tem mais de três meses que esta e outras medicações estão faltando no Centro Municipal de Saúde. Nossos filhos estão abandonados pelo poder público, com atendimento precário nas unidades de saúde e falta constante de medicação. Meu filho precisa do remédio porque não consegue dormir e tem várias crises. Isso atrapalha muito o convívio social e os estudos dele, entre outros transtornos causados devido à falta da administração do remédio”, contou Mirele.

Mães de crianças especiais de Guarapari relatam que há meses faltam medicamentos no Centro de Saúde
Gabriella e Lorruama.

“Minha filha, que está próxima de completar sete anos, se chama Lorruama Lizandra Werneck Ferreira, é autista e também toma Risperidona. Sem o uso da medicação ela fica muito agitada. Desde os três anos ela faz acompanhamento na Pestalozzi”, falou Gabriella Werneck.

“Me chamo Taciana e sou mãe do Vitor Hugo, que tem três anos e oito meses e é portado da deficiência Tea – Transtorno do Espectro Autista. Eu e várias mães que têm filhos especiais, precisamos dos medicamentos para nossas crianças, mas infelizmente já tem meses que vamos buscar no Posto do Itapebussu e não tem. Meu filho precisa do remédio para ser manter tranquilo e calmo. É muita falta de respeito com as criancas especiais que necessitam dos medicamentos. Por favor nos ajude!”, reforçou outra mãe.

Mães de crianças especiais de Guarapari relatam que há meses faltam medicamentos no Centro de Saúde
Rosimelia e Vitor.

Além da falta de medicamentos, Rosimelia está com dificuldades de conseguir a sonda que o filho, Vitor Ramos, 13 anos, usa para se alimentar. “Estou com problemas nesses postos de Guarapari. Meu filho se alimenta através de sonda e infelizmente não encontro nos postos. Já reclamei e fui à ouvidoria, mas não tive respostas. Sem esquecer que também faltam remédios no município”.

Rosimelia relatou que o filho é autista e tem mais de 11 outras condições, e por isso faz acompanhamento com especialistas.

“Ela se alimenta por uma sonda devido a anorexia e a seletividade alimentar grave. É por causa dessa sonda que ele tem sobrevivido. Vitor tem osteoporose e mal conseguia andar, por conta da alimentação pela sonda tem conseguido voltar a andar. O problema é que o posto de Muquiçaba não está mais fornecendo o equipo para a nutrição enteral dele, está vindo o equipo que não encaixa no botom dele. Estou desesperada, como meu filho vai sobreviver sem a sonda. Preciso desse equipo com urgência. Já fui à ouvidoria para reclamar, mas eles não estão nem aí, não resolvem nada. Meu filho tem pressa. Fora que os médicos passam medicamentos para meu filho, vou no posto de Itapebussu e está sempre em falta. Meu filho precisa dessas medicações para controlar os problemas dele. Eu saio chorando do posto porque não tem, e nem sempre tenho condições de comprar esses remédios. E no caso do Vitor, ainda tenho a questão do pedido de densitometria óssea na Secretaria da Saúde que já tem um ano e até agora não tenho resposta. Está tudo muito complicado com a saúde do município”, descreveu.

O que diz a prefeitura?

Procurada para esclarecer o porquê da falta de medicamentos para distribuição no município, a Prefeitura de Guarapari, através da Secretaria de Saúde (Semsa), informou que o processo de compra de alguns medicamentos sofreu alterações devido à grande demanda, o que gerou atraso na aquisição. “A situação foi resolvida e a previsão é que até dezembro se normalize”, comunicou o órgão.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Anúncio

Anúncio

Veja também

escola perocão (1)

Pais manifestam sobre condições de escola para o ano letivo em Guarapari

Rapaz desapareceido1

Família procura por rapaz desaparecido em Guarapari

Anúncio

Anúncio

Fiscalizacao_20230203_Noticias3-847x476-1

Crea-ES alerta para risco de quedas e acidentes na Praia da Areia Preta, em Guarapari

vacina-06fev-sesa

Retorno às aulas é momento de colocar as vacinas em dia

Anúncio

Pablo Lira

Pesquisador de Guarapari é o novo presidente do Instituto Jones dos Santos Neves

Transito-Fernando-Ferrari-Foto-Victor-Amaral-12-2

Multas leves e médias podem ser convertidas em advertência por escrito no Espírito Santo

Anúncio