Anúncio

Morador de Guarapari, jovem com autismo impressiona por talento artístico

Wally, que mora em Porto Grande, cria obras realistas e sonha em ter a arte como profissão

Por Nicolly Credi-Dio

Publicado em 12 de agosto de 2020 às 15:31
Atualizado em 13 de agosto de 2020 às 14:58
Anúncio
Wally é o nome artístico de Walisson Almeida Santos. Foto: Arquivo Pessoal

Com apenas 4 anos de idade, Walisson Almeida Santos descobriu a afinidade com a arte, pouco antes de ser diagnosticado com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Sem condições de arcar com um curso de desenho, o artista autodidata que vive em Porto Grande, Guarapari, provou que o autismo não é uma limitação e desenvolveu as habilidades artísticas sozinho. Hoje, aos 18 anos, Wally impressiona pelo realismo das obras que cria e sonha em viver da arte. 

Adilson Rodrigues da Costa, pai de Walisson, conta que tudo começou com desenhos na areia da praia, quando o filho tinha apenas 4 anos de idade. “Quando a gente morava em Meaípe, íamos à praia em família e eu desenhava um peixe com um graveto na areia. Toda vez que voltávamos para a praia, ele me pedia para fazer o desenho mais uma vez”. Não demorou para que Wally começasse a tentar reproduzir o desenho e demonstrasse gosto pela arte.

Segundo a mãe, Claudia Almeida, o talento artístico de Walisson chamou a atenção das professoras desde muito cedo. “Quando ele foi para a escola, a professora me chamou e falou que ele tinha um talento incrível e perguntou por que eu não o colocava em um curso de desenho”. Sem condições de arcar com o custo do curso, os pais de Walisson, que trabalham como caseiro e faxineira, incentivaram o talento do filho do modo que podiam.

“Nós fomos comprando materiais, cadernos de desenho, lápis de cor, coisa simples mesmo, para ele desenhar em casa. Até que, quando ele foi para a escola de Anchieta, Coronel Gomes, os professores e funcionários começaram a comprar para ele materiais, tela, tinta, lápis de cor”, relata a mãe. Graças ao incentivo da família e professores, Wally nunca parou de desenhar e se aprimorou sozinho.

Hoje, o realismo das pinturas de Walisson impressiona. O jovem sonha em viver da arte e tem grandes planos para o futuro. “Eu espero que eu possa desenvolver a minha arte e ser reconhecido por ela, também quero me tornar um youtuber”, conta o artista. Determinado, Wally já vende as próprias obras e criou um canal no YouTube, onde mostra parte do processo de criação dos desenhos.

Confira um dos vídeos, onde Walisson desenha o próprio avô:

Buscando aperfeiçoar-se constantemente, Wally pretende fazer um curso de desenho e aguarda ansiosamente pela oportunidade. Enquanto isso, busca aprimorar sozinho o talento e aprender novas técnicas por conta própria.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Anúncio
Anúncio

Veja também

praia do morro

Atrativos de Guarapari encantam agentes de viagem e imprensa paulista

Youtuber mirim2

Nascido em Guarapari, Youtuber mirim é exemplo de interação nas redes sociais

Davi Patrocínio, de apenas 3 anos, vem conquistando a internet com vídeos explicativos sobre a doença crônica que possui, além de incentivar outros a enfrentarem as dificuldades

Anúncio
Anúncio
atacado-vem-supermercado-foto-Antônio Ribeiro

Novos mercados promovem uma mudança radical em Guarapari

A mediação como meio de solução pacífica de conflitos após a pandemia

A mediação como meio de solução pacífica de conflitos após a pandemia

Anúncio
Criolipólise-foto-Clovis-Rangel

Projeto verão: tratamentos estéticos para ficar com tudo em cima mesmo com a pandemia

teste-rapido-coronavirus-covid19-1

Alfredo Chaves, Anchieta e Guarapari elevam casos de Covid-19 e retornam ao Risco Moderado

Anúncio