Anúncio

Mulher suspeita de agredir cachorro em Guarapari pagou valor e recuperou animal

Caso segue sob investigação de CPI dos maus-tratos e da Polícia Civil

Por Gislan Vitalino

Publicado em 18 de abril de 2022 às 16:49

Anúncio

Mulher suspeita de agredir cachorro em Guarapari pagou valor e recuperou animal
Imagem: reprodução/redes sociais.

Após uma equipe especializada realizar diligência na residência de uma mulher denunciada nas redes sociais por maus-tratos a cachorros em Guarapari, a mulher pagou pelos tratamentos veterinários necessários e voltou a ter a tutoria sobre os animais. O caso segue sob investigação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Maus-Tratos Contra os Animais da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales) e da Delegacia de Infrações Penais e Outros (Dipo) da 5ªDelegacia Regional da Polícia Civil em Guarapari.

A equipe, enviada ao local na última terça-feira (12), contou com a participação da presidência da CPI dos Maus-Tratos Contra os Animais, policiais civis da 5ª Delegacia Regional em Guarapari e profissionais do Centro de Zoonoses do município. Segundo a assessoria da parlamentar que preside a CPI, deputada estadual Janete de Sá (PSB), não havia situação que comprovasse flagrante delito ou sinais de maus-tratos, embora a mulher em questão siga sob investigação da CPI. Além disso, a equipe afirma que não há qualquer prova de que o animal que se ouve chorar no vídeo em questão seria um dos que estava na casa.

No local a equipe constatou, entretanto, que um dos animais sofria de alopécia, condição que causa a queda dos pelos do animal. Como não tinha como comprovar o tratamento da saúde do cachorro, a investigada teria optado por encaminhar o animal à uma clínica particular, para que um laudo fosse feito e entregue à CPI. Após os procedimentos, a mulher pagou pelo atendimento veterinário e retornou com o cão para casa.

Mulher suspeita de agredir cachorro em Guarapari pagou valor e recuperou animal
Um dos animais apresentava alopécia. Dona não conseguiu comprovar que realizava o tratamento necessário.

Segundo a assessoria da deputada, a mulher segue sob investigação da CPI e os animais serão acompanhados regularmente pelo Centro de Zoonozes de Guarapari (CCZ). Nós buscamos o Centro de Zoonoses do município para entender qual será o encaminhamento do caso. Por meio de nota, reproduzida na íntegra abaixo, o CCZ detalhou a abordagem e afirmou que o caso segue sendo acompanhado, agora pela Polícia Civil. Confira:

A Prefeitura de Guarapari, através do Centro de Controle de Zoonoses(CCZ), informa que  a equipe esteve na residência da mulher acusada, juntamente com os integrantes da CPI e Polícia Civil.
Na ocasião, foi permitida a entrada para verificar a situação dos animais, entretanto, um animal estava com uma perda de pelo severa. Ainda de acordo com o CCZ, foi questionado a tutora, se o mesmo está sendo acompanhado por um veterinário, a mesma informou que sim, mas não tinha como comprovar. Foi informado sobre a necessidade de acompanhamento veterinário e a tutora optou por levar o animal à uma clínica particular. Na clínica foi realizado consulta e exames. Os exames complementares irão ter resultado na próxima semana. A mulher acusada está com os animais, isso até que a justiça verifique a situação das acusações.  Vale ressaltar que a tutora irá prestar depoimento, ainda esta semana, na Polícia Civil”.

A Polícia Civil, também por meio de nota, afirmou que foi instaurado um inquérito policial na Delegacia de Infrações Penais e Outros (Dipo) de Guarapari para apurar os fatos. Ainda segundo a nota, mais detalhes da investigação não serão divulgados por enquanto, para não atrapalhar a investigação.

Entenda o caso

Em vídeos que circularam nas redes sociais no início do mês de abril, uma mulher aparecia agredindo um cachorro de pequeno porte com tapas, enquanto o animal chorava. Na ocasião, a CPI informou que já havia identificado a pessoa que aparece nas imagens, que foi alvo de denúncia.

Em diligência na casa da denunciada, localizada em um condomínio de luxo na Praia do Morro, a CPI encontrou dois cachorros da raça Spitz Alemão, dos quais um apresentava sinais de alopecia, sem que a tutora conseguisse comprovar o tratamento. Na ocasião, a tutora autorizou a entrada das equipes na residência.

“A aposentada, desmentiu as acusações de espancamento mas a CPI decidiu encaminhar os animais a uma clínica veterinária para avaliação e tratamento enquanto se desdobram as investigações”, declarou a presidente da CPI, deputada estadual Janete de Sá (PSB), na ocasião.

Mulher suspeita de agredir cachorro em Guarapari pagou valor e recuperou animal

A parlamentar ressaltou ainda que o caso teve grande repercussão nas redes sociais e a CPI vai continuar apurando a veracidade dos fatos. “É muito importante que a população fique atenta e denuncie casos de maus-tratos para que os agressores não fiquem impunes. O primeiro passo é fazer um boletim de ocorrência na Polícia Civil e encaminhar o documento, além de, se possível, fotos e vídeos para o e-mail da CPI: [email protected]”.

O crime de maus-tratos contra cães e gatos, prevê pena de prisão de dois a cinco anos, multa e proibição da guarda do animal, conforme dispõe a Lei 14.064/2020.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Anúncio

Anúncio

Veja também

feminicidio imagem

Artigo: Homicídio passional e a nova Lei do Feminicídio

título divulgação TSE

Consulta ao local de votação pode ser feita por meio do site do TSE

Anúncio

Anúncio

Man working on his laptop

Prefeitura de Alfredo Chaves oferece oficina gratuita para alavancar marketing digital

Captura de Tela (6)

Associação de Guarapari comemora a realização de mais de sete mil consultas médicas gratuitas

Anúncio

WhatsApp Image 2022-09-30 at 13.09.08

Governo do ES realiza entrega de veículos para MEPES, Alfredo Chaves foi um dos municípios beneficiados

titulo

Dois dias para as eleições 2022: confira os dados do eleitorado

Anúncio