Anúncio

Na semifinal do Estadual, clube quer investir em projeto de futebol feminino em Guarapari

Atlético Guarapariense disputa neste domingo (13) o jogo de volta do Capixaba feminino

Por Pedro Henrique Oliveira

Publicado em 12 de agosto de 2023 às 09:00

Anúncio

WhatsApp Image 2023 08 08 at 16.16.09 - Na semifinal do Estadual, clube quer investir em projeto de futebol feminino em Guarapari
Fotos: divulgação

Na disputa da semifinal do Campeonato Estadual de Futebol Feminino, o Clube Atlético Guarapariense busca um espaço para tornar-se uma equipe profissional no Espírito Santo.

Formada em maio deste ano, através de uma parceria com a Secretaria de Esporte e Lazer de Guarapari, a equipe conseguiu chegar às semifinais do Campeonato Capixaba. A segunda partida contra o Vila Nova ocorre neste domingo (13), no jogo de ida, a equipe de Guarapari foi goleada por 4 a 1.

Assim como em todo o país, o futebol feminino ainda não possui o investimento e incentivo necessários para um bom rendimento. No Espírito Santo, a situação é ainda pior, já que não há profissionalização da categoria.

“Em alguns estados já existem atletas recebendo salários, mas essa não é a realidade aqui no estado. Nosso projeto é se tornar o primeiro clube profissional de futebol feminino, pagando remuneração às nossas atletas”, explicou Rodrigo Miranda, presidente do clube.

WhatsApp Image 2023 08 08 at 16.17.23 1 - Na semifinal do Estadual, clube quer investir em projeto de futebol feminino em Guarapari

Para a participação no campeonato estadual, o Atlético Guarapariense precisou realizar uma seletiva de atletas. No entanto, não foi possível integrar jogadoras da própria cidade, já que a maioria era muito jovem e não possuía experiência no esporte. Restou ao clube buscar uma parceria para colocar o projeto de pé.

“Eu já conhecia o Sidnei (Freitas), responsável pelo instituto Meninas do Espírito Santo, de Vitória, que já desenvolve um trabalho. Então, conversamos, alinhamos sobre a possibilidade de eles virem com a base para representar o Atlético Guarapariense. As atletas são todas de fora do município”, completa Rodrigo.

Parcerias

O presidente clube ainda explicou como funciona o processo de parceria realizado com a prefeitura e a Liga Clube dos 8, responsável pela realização do Campeonato Capixaba. “As atletas não recebem salários, mas para participar da competição temos despesas com federação, pagamento de taxas, transporte e alimentação, e os materiais esportivos.”

A prefeitura tem ajudado com ambulância nas partidas jogadas em Guarapari, transporte e materiais esportivos. Já a Liga Clube dos 8, com desfibrilador, alimentação e outro suporte necessário.

Embora a sede do Atlético Guarapariense seja na Associação Bom de Bola, devido às exigências da Federação, ocorreu um acordo com o Associação Atlética Aliança para que os jogos fossem mandados no campo no bairro Aeroporto.

Desafios

Há três anos atuando como técnico de futebol e coordenador do Esporte Clube MDE, Sidnei Freitas ainda lamenta a falta de apoio e incentivo para a categoria.

“Hoje o principal desafio é ter um local fixo para realizar treinamentos. Outra grande dificuldade é a questão do patrocínio, muitas empresas não querem fazer investimentos, nem mesmo colocar seus nomes no nosso instituto, que é devidamente regularizado. Há um preconceito muito grande que ainda impera no nosso meio.”

A opinião é compartilhada pela atleta Mayane. Desde os 13 anos praticando o esporte, ela atua como professora de educação infantil e se divide na função de jogadora. “Umas das principais dificuldades são a disponibilidade dos campos para treinar, com muita dificuldade conseguimos campos para treinos, onde os mesmos já são utilizados pelo futebol masculino em si, mas que não são disponibilizados com a mesma flexibilidade para o futebol feminino. Uma outra dificuldade é o apoio e incentivo para a categoria que pouco se tem e quando tem, falta mais presença dos órgãos públicos, das secretarias competentes, mais oportunidades e campeonatos bem estruturados e competentes”, afirmou.

Futuro

Rodrigo Miranda adiantou que o Atlético Guarapariense conseguiu, através de um apoio do Sicoob, uma verba para iniciar um trabalho de base. “É um pontapé inicial e fundamento para trabalhar com a base. Vamos começar a partir de setembro, na Associação Bom de Bola, um trabalho com 30 meninas categoria de base, e atendendo também na categoria adulta para poder participar de treinamentos e algumas competições, e lapidando essas meninas para quando chegar no momento do estadual, aquelas que estiverem melhor preparadas, representar o nosso município”, concluiu.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Anúncio

Anúncio

Veja também

praia-do-morro-11jan24

Veja como fica o tempo neste fim de semana em Guarapari

Tempo deve se manter aberto com temperaturas na casa dos 30° C

projeto orla de ubu 3

Com início das obras em Ubu, Anchieta terá interdições no trânsito a partir de quarta-feira (19)

Viações Planeta e Sudeste vão alterar itinerário dos ônibus

Anúncio

Anúncio

20240613_143428090_iOS

Polícia Militar comemora os 23 anos do 10º Batalhão, em Guarapari

Solenidade contou com homenagens e presença de autoridades

vacinacao-ago23

Vacinação contra a dengue para crianças de 10 a 14 anos segue em Guarapari; confira os locais

Campanha está sendo realizada deste 27 de fevereiro

Anúncio

rotativo_cmg-gri-2021-05-21

Prefeitura de Guarapari dará continuidade ao pedido de rescisão do contrato de estacionamento rotativo

Segundo o órgão, empresa responsável não cumpriu o que estava acordado; cobrança segue normalmente

cavalo-de-aco_vitoria-1

Detran reforça fiscalização de motocicletas na Grande Vitória e interior

Operação Cavalo de Aço visa reforçar a segurança e combater a desobediência no trânsito

Anúncio