Anúncio

‘Não há tempo hábil’: blocos de Guarapari questionam indefinição sobre Carnaval deste ano

Após decisão da Prefeitura, escolas de samba ficarão de fora da festa

Por Pedro Henrique Oliveira

Publicado em 16 de janeiro de 2023 às 18:32

Anúncio

Carnaval arwuivo 2018 3 - ‘Não há tempo hábil’: blocos de Guarapari questionam indefinição sobre Carnaval deste ano
Foto: Arquivo Folha

A pouco mais de um mês para o Carnaval, os blocos e escolas de samba de Guarapari enfrentam uma série de indefinições por parte da Prefeitura, responsável pela organização dos desfiles de rua. Após conversas com representantes das agremiações, a administração municipal decidiu deixar as escolas de samba sem desfiles. 

Já os blocos terão a oportunidade de participar de um edital, a ser liberado pelo órgão, sem definição de valor nem data até o momento. 

Em nota enviada ao folhaonline.es, a Prefeitura de Guarapari, através Secretaria de Turismo, Empreendedorismo e Cultura (Setec), alegou que por “questões orçamentárias o carnaval de rua será realizado somente com a apresentação de blocos carnavalescos, no Centro e na Praia do Morro. O edital será aberto nos próximos dias, com todas as informações”.

A afirmação que consta na nota é o único pronunciamento do órgão até agora. “Não há tempo hábil. O carnaval deveria ser pensado com antecedência. Eu faço carnaval há 20 anos, e nunca recebemos a devida importância. Neste ano, o meu bloco não sai”, garantiu Neto, responsável pelo Bloco Central, que está à frente das conversas com a Prefeitura.

O tempo é uma preocupação comum entre os organizadores dos blocos da cidade. Cicilio Rangel, do Bloco Turma do Funil, afirmou que já possui banda contratada e abadás prontos, mas não sabe se colocará o bloco na rua, pois há demanda para mais gastos. “Tenho outros custos. Alimentação e transporte dos músicos, por exemplo, vêm todo mundo de fora”. Segundo ele, a Prefeitura errou ao não olhar com atenção para o Carnaval.

“É um calendário fixo, tem data para acontecer. Estamos tentando há bastante tempo, isso tudo precisa de meses para ser resolvido”, afirmou Cicilio, ao ressaltar que há 20 anos, além dos desfiles de rua, o bloco também se apresenta em todos os dias de carnaval, gratuitamente, no calçadão da Praia das Castanheiras.

Para um dos responsáveis pelo Bloco Papadéfus, Lennon Monjardim, mesmo com o anúncio da Prefeitura de incluir os blocos na programação, a situação permanece complicada. “Temos nove blocos que desfilam regularmente na Avenida Joaquim da Silva Lima, desses nove, tenho quase certeza que sete estão fora. Então vai desfilar como? Vão fazer um investimento para duas agremiações desfilarem? Não sei se é viável”, questionou.

Lennon ainda refletiu sobre a falta de apoio dos órgãos públicos aos blocos que trabalham durante o ano todo para entregar um carnaval aos moradores e turistas. “Nos chateia muito, porque tem barracões montados para fazer um carnaval maravilhoso na avenida, e chega em cima da hora, ainda não conseguiram montar uma reunião para definir investimento do carnaval. É simplesmente um descaso e até falta de respeito”.

Fora da festa

Se para os blocos a situação é ruim, para as escolas de samba tornou-se ainda pior. Com a necessidade de construção de figurinos e compra de alegorias, os presidentes só conseguiram uma reunião com a Setec em dezembro, a apenas dois meses da folia.

“Estávamos esperando essa reunião desde julho, que é quando geralmente acontece, mas, com período eleitoral e Copa do Mundo, só em dezembro fomos convocados. Quando chegamos lá disseram que queriam ouvir nossas demandas. De antemão, eu garanti que seria inviável fazer um carnaval em tão pouco tempo”, afirmou Camila Simões, vice-presidente da Mocidade Alegre de Olaria.

Segundo a diretora, as compras de materiais são feitas no Rio de Janeiro, e já no final do ano seria impossível encontrar produtos para a confecção de fantasias e alegorias.

Com a definição da Prefeitura de não realizar nenhum repasse às escolas, todas as agremiações ficarão de fora da folia de rua este ano. É o que garante o presidente da escola de samba JK, Jorge Azevedo. “Decidimos que nenhuma escola vai sair. Já tínhamos iniciado um trabalho de preparação para o carnaval, mas com a palavra final da secretária não teremos escolas desfilando este ano”.

A reportagem do folhaonline.es procurou novamente a Prefeitura de Guarapari para ter mais informações sobre como e quando será aberto o edital para os blocos, mas obteve como resposta que os detalhes serão divulgados em breve.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Anúncio

Anúncio

Veja também

20240412_123828321_iOS

Residentes do Risa fazem primeiro passeio ao ar livre após pandemia

Atividade contou com lanche e diversão na Praia do Morro

mapa-estrategico-matilde

Prefeitura de Alfredo Chaves apresenta Mapa Estratégico para desenvolver turismo na região de Matilde

Plano faz parte do projeto Planejar Turismo X Conectar Pessoas

Anúncio

Anúncio

Pastor Raphael

Coluna Palavra de Fé: Generosidade em Suném

“Disse-lhe o profeta: por este tempo, daqui a um ano, abraçarás um filho.” 2 Reis 4.16

WhatsApp-Image-2024-04-12-at-10.23.12-1

Coluna Dom Antônio: Mais um Gigante do comércio guarapariense nos deixou

Anúncio

WhatsApp-Image-2024-04-12-at-15.51.00-1

Coluna Entenda Direito – Multa compensatória em caso de término contratual antecipado pelo inquilino: como funciona?

festa-da-imigracao-italiana-arquivo-1

Festa da Imigração Italiana movimenta Buenos Aires neste fim de semana

Expectativa é atrair cerca de 15 mil pessoas durante dois dias de evento

Anúncio