Anúncio

Prefeito quer adotar medidas para qualificar o turismo

Por Livia Rangel

Publicado em 18 de dezembro de 2014 às 00:00

Anúncio

Lívia Rangel

“Temos a expectativa de receber 1 milhão de pessoas entre o Natal e o Carnaval. Somos uma cidade de veranistas, o ideal seria 100 mil turistas, mas que frequentassem restaurantes, bares, que ocupassem hotéis, que gerassem renda para o município. Mas a grande parte dos nossos turistas tem poder de consumo pequeno. Tem turista que traz botijão de gás, sacos de macarrão, cerveja da cidade deles, esse tipo de turista não deixa resultado econômico, ele gera despesa para o município. Precisamos de pessoas que venham com dinheiro para gastar para justificar os investimentos, porque o grande desafio é essa sazonalidade”.

Esse é um pequeno trecho da entrevista concedida pelo prefeito de Guarapari, Orly Gomes, a uma rádio do Estado. Ele chegou a anunciar medidas a fim de qualificar o turismo, como limitar o número de pessoas nas famosas “casas de aluguel” e cobrar uma taxa aos ônibus de turismo. As frases têm gerado polêmica e já chegou a repercussão nacional. Jornais de Minas Gerais e de São Paulo veicularam reportagens sobre o assunto nas edições de hoje. O Folha da Cidade procurou o prefeito para entender as declarações e trazer a explicação até o nosso leitor.  

Folha da Cidade – Como é essa medida para regularizar as “casas de aluguel”?

Prefeito Orly Gomes – Ainda são ideias que serão colocadas em prática no decorrer do próximo ano. Mas são ideias que não serão impostas, serão discutidas entre a nossa comissão de ordenamento e os proprietários dos imóveis que chamamos de imóveis de veranistas. É injusto com a rede hoteleira do município, porque as casas de aluguel também prestam serviços, mas sem pagar os devidos impostos ao município. Então, a idéia é legalizar, normatizar essa ocupação.

FC – Haverá fiscalização?

Prefeito – Pode sim surgir algum tipo de fiscalização, porque um número excessivo de pessoas exige um grau de segurança. Então haverá sim uma fiscalização controlada, mas harmoniosa juntamente com os proprietários, para que esse serviço também gere renda para Guarapari. Agora, quanto à limitação, ainda vamos estudar as leis vigentes para ver se tem essa possibilidade.

FC – Também será cobrado um imposto diferenciado para esse tipo de imóvel de veraneio?

Prefeito – A ideia é cobrar o ISS – Imposto Sobre Serviço. Embora seja um imóvel residencial, seja ele casa ou apartamento, ele passa a ser um prestador de serviço, então é uma forma de contribuir com o município, porque gera uma série de despesas e seria uma maneira de ressarcir o município com os gastos excessivos com essa superlotação.

FC – E quanto aos ônibus de turismo?

Prefeito – Vamos estipular uma taxa para que os ônibus de turismo circulem dentro da nossa cidade. Essa medida já é praticada em várias cidades do Brasil, principalmente em cidades turísticas, como é o caso de Guarapari.

FC – Com a inauguração da rodoviária vai ser mais fácil controlar a entrada desses ônibus?

Prefeito – Sim. A programação é que seja entregue até o final de março de 2015. A nossa proposta é que os ônibus de turismo, os ônibus de excursão, estacionem na rodoviária e não poderão circular dentro da cidade. As pessoas poderão se locomover por meio de táxi ou do transporte coletivo.

FC – O Centro Turístico de Atendimento (CTA), no trevo da entrada da cidade, vai funcionar neste ano?

Prefeito – Vai funcionar, mas não em tempo integral. Lá terão informações, orientações e panfletos turísticos. Neste ano queremos também fomentar o agronegócio, então lá, terão essas informações para que os turistas também visitem e conheçam as belezas do nosso interior.

FC – A expectativa é receber 1 milhão de pessoas. O senhor acredita que depois dessas declarações, podem ocorrer prejuízos ao faturamento econômico deste verão?

Prefeito – Não acho que as pessoas vão deixar de vir por causa disso não. Guarapari é o cartão postal do Espírito Santo. Somos referência no Estado. Mesmo porque a maioria das pessoas entende que as palavras podem ser distorcidas. A minha conotação não foi de diferenciar as pessoas, a minha colocação foi uma comparação entre o volume de pessoas que recebemos e o gasto que temos. Não sou contra o turista que vem pra cidade, a deturpação das palavras que foram colocadas de maneira pejorativa. Não tive a intenção de separar pobre de rico. Eu fiz uma analogia: se eu tivesse um número de turistas menor, mas com poder aquisitivo maior, teríamos menos problemas, a cidade suportaria melhor, mas não é o que acontece e estamos preparados para receber 1 milhão de turistas.

FC – O senhor diz que quer qualificar o turismo, mas o que a cidade oferece ao turista para que nossas praias possam concorrer, por exemplo, com as praias do Nordeste?

Prefeito – Não temos muita coisa. Nossa infraestrutura é básica e natural, a natureza que foi generosa conosco. Mas o nosso porque de estrutura turística é pequena e frágil. Estamos começando a mudar com o ordenamento da cidade, das praias, da ocupação dos calçadões, agora indo para o ordenamento das casas de aluguel. Temos investimentos em obras turísticas, como a revitalização do canal. O campo da saúde também é primordial, muitas pessoas deixam de vir porque aqui não tem hospital adequado de média e alta complexidade. Mas estamos viabilizando obras para que o investidor venha e deixe retorno para Guarapari. Nosso objetivo é que deixe de ser uma cidade sazonal, porque isso dificulta os investimentos. Neste ano, contratamos 165 pessoas para fazer a limpeza das praias durante todo o dia. Além de limpar, vão dar orientações ao turista para não acumular lixo. Porque quando recebemos 1 milhão de turistas, a gente entrega a praia limpa às 6h e meio dia já está insuportável.

FC – O que esperar para o verão?

Prefeito – Estamos abrindo oficialmente o verão amanhã, como a nossa Cantada de Natal. Serão dois dias de concerto no SESC. Teremos arena esportiva e shows na Praia do Morro. Estamos prestigiando bandas locais e regionais. O palco será montado na altura da pedra do Marlin. No Réveillon teremos 15 minutos de fogos artifício na Praia do Morro, no Centro e Bacutia. No carnaval, esperamos uma festa bonita e tranquila como foi no ano passado com desfiles de escolas e blocos. E vamos encerrar a alta temporada no dia 8 de março com a Corrida das Cores.  

 

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

falta-de-agua-e-um-problema-politico-2-1024x683-1024x585

Governo do Estado declara Estado de Atenção para situação hídrica no ES

Medida foi tomada devido à falta de chuvas e estiagem nos últimos meses

Joao-Hadad-em-A-Grande-Conquista-2

Guarapariense João Hadad disputa final de reality show da Record

Final acontece nesta quinta (18)

Anúncio

Anúncio

casa-sinestescia-2024

Casa Sinestésica oferece Oficina de Desenho gratuita nesta quarta (17) em Guarapari

Com o tema Autorretrato, atividade tem vagas limitadas

IMG_9800-1

Terra dos Dinos: Guarapari deve ganhar filial do ‘Jurassic Park brasileiro’ em 2025

Parque temático, no RJ, possui diversas atrações e 40 modelos de dinossauros em tamanho real

Anúncio

20240701_160006

Fios acumulados e pendurados em postes preocupam moradores de Guarapari

Moradores flagraram casos em duas avenidas movimentadas da Praia do Morro

lei-seca_forca-pela-vida-7-1

Blitz Lei Seca flagra 131 motoristas alcoolizados em todo Estado no fim de semana

Ação faz parte do programa “Força pela Vida”, integrando diversos órgãos

Anúncio