Anúncio

Reduza o sal utilizando ervas na alimentação

Por Gabriely Santana

Publicado em 29 de fevereiro de 2016 às 20:43
Atualizado em 29 de fevereiro de 2016 às 20:46

Anúncio

Salsa, cebolinha, alecrim, manjericão. Só de pensar nesses temperos é possível sentir o aroma e o sabor que eles dão à comida. Pois, além de deixarem os alimentos mais gostosos, os condimentos naturais são bons aliados na difícil tarefa de reduzir o sal da alimentação. A referência técnica da Vigilância Alimentar e Nutricional da Secretaria de Estado da Saúde do Espírito Santo (Sesa), Livia Mannato, recomenda usar ervas frescas e raízes em abundância no preparo de pratos quentes e frios.

A nutricionista ressalta que é importante reduzir drasticamente o uso de caldos concentrados em cubos ou em pó, além de salgadinhos de pacote, macarrão instantâneo, carnes processadas e outros alimentos industrializados, ricos em sódio e também em gordura. “O recomendado é ingerirmos até dois gramas de sódio por dia. Essa quantidade está presente em cinco gramas de sal, que equivale a cinco sachês de um grama. A substituição do sal por temperos frescos é questão de hábito, algo que se cria, por exemplo, com a prática do Movimento 21 Dias”, diz.

O problema, conforme enfatiza Livia Mannato, é usar sal para temperar arroz, feijão, carne, salada e ainda comer produtos industrializados ao longo do dia. “No lanche da manhã comeu biscoito ou mortadela; na hora do almoço cozinhou com caldo concentrado industrializado. É a soma de toda a alimentação ruim que a pessoa tem ao longo do dia e, por que não dizer durante a vida, que prejudica a saúde”, argumenta a referência técnica da Vigilância Alimentar e Nutricional da Secretaria de Estado da Saúde do Espírito Santo.

Os benefícios

Segundo a nutricionista, as ervas e as raízes utilizadas como tempero possuem propriedades terapêuticas que favorecem a saúde e o bem-estar do corpo. Quem confirma é o especialista em fitoterapia e professor adjunto do Centro de Práticas Integrativas e Complementares (CRPIC) da Sesa, Ary Gomes Silva. Ele diz que muitos desses temperos, tais como louro, manjerona, cominho e tomilho, melhoram, por exemplo, o processo digestivo. O alecrim, por sua vez, é anti-inflamatório, alivia dor de cabeça e também favorece a digestão, mas quando usado em excesso tende a tornar os alimentos indigestos, segundo o professor.

“O mesmo louro usado para temperar carne e feijão consegue aliviar os sintomas da má digestão. Esse condimento estimula a vesícula biliar e as glândulas secretoras a liberarem substâncias que melhoram a digestibilidade dos alimentos”, explica o especialista, acrescentando que os condimentos naturais são ricos em óleos essenciais, típicos dos tecidos vegetais, e em minerais, que influenciam diversos processos orgânicos.

Entre os minerais presentes nos temperos frescos ou secos o professor cita o magnésio, o selênio, o silício e o manganês. “O magnésio, por exemplo, atua junto com muitas enzimas antioxidantes; o selênio e o silício atuam na estruturação de proteínas como hemoglobina e colágeno; e o manganês é cofator de enzimas que atuam contra radicais livres”, detalha Ary Gomes Silva.

Saiba como reduzir o sal da alimentação

– Prepare o almoço e o jantar usando apenas temperos naturais, como alho, cebola e ervas, tais como salsinha, cebolinha, manjericão, manjerona, louro e orégano;

– Tempere a salada com limão e azeite em vez de usar sal;

– Deixe de lado os temperos industrializados, tais como caldos concentrados de carne e de frango, temperos em pó, inclusive aqueles à base de glutamato, tempero completo e molhos prontos.

– Evite produtos embutidos (presunto, mortadela, peito de peru, linguiça e salsicha), empanados de frango e hambúrguer. Prepare seu próprio alimento utilizando carnes magras, ovos, frango e peixes.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio

Anúncio

Veja também

montagem terreno Ipiranga2

Guarapari: dona de imóvel no Ipiranga reclama da falta de ordenamento público no bairro

De acordo com o relato, no local há um terreno abandonado acumulando lixo, um ônibus estacionado na rua com uma família morando e calçada sendo usada como varal de roupa

frio-inverno

Inverno começa com alerta de queda de até 5°C nas temperaturas em Guarapari

O alerta emitido pelo Inmet aponta frio intenso em 35 cidades do Estado

Anúncio

Anúncio

vacina_covid_19

Pessoas acima de 40 anos já podem agendar a imunização contra Covid-19 em Guarapari

A vacinação acontecerá na quarta (23), no Complexo Esportivo, em Muquiçaba.

volta às aulas pmg

Aulas presenciais são liberadas para todos os níveis a partir desta segunda (21) no ES

Novo mapa de risco passa a vigorar com 58 cidades em classificação moderada

Anúncio

pfizer

Guarapari abre hoje (21) novo agendamento para vacinar profissionais da educação contra Covid-19

eduardo-junho-vermelho-doacao-de-sangue

Junho Vermelho: em Guarapari ações e campanhas incentivam doação de sangue

Trabalho visa contribuir com difícil tarefa do Hemoes*

Anúncio