Anúncio

Trecho da orla de Meaípe segue interditado após queda de muro em Guarapari

Por Carolina Brasil

Publicado em 23 de outubro de 2018 às 09:55
Atualizado em 23 de outubro de 2018 às 10:01
Anúncio

Um poste que ameaçava cair foi retirado e duas árvores que tombaram já foram cortadas. Ainda hoje, outras duas terão o mesmo destino.

O trecho atingido é parte do muro antigo com mais de 50 anos, segundo moradores.

Ventos fortes, acima de 80 km/h e ondas acima do normal foram os principais agentes para a queda de parte do muro de presente na orla da Praia de Meaípe, em Guarapari, no último final de semana. De acordo com a Defesa Civil do município, houve a previsão e o alerta de vento forte e ressaca para a região, porém, não com tamanha força que atingiu o local. A área segue isolada até que medidas de normalização do trecho sejam tomadas. “O objetivo da Defesa Civil é chegar antes do acidente e assim fizemos. Manteremos todo procedimento de isolamento, a área sinalizada e o alerta para respeitarem a área isolada vale, em especial, para os estudantes, já que temos uma escola próxima”, alertou Romildo Scalzer, coordenador da Defesa Civil de Guarapari, que ressaltou que o trecho destruído não é parte do muro que foi construído há aproximadamente um ano.

Outras árvores, além de duas já cortadas, também serão retiradas.

Nessa segunda-feira (22), duas árvores que tombaram passaram pelo processo de supressão e um poste de 17 metros, que estava com inclinação negativa, foi retirado. Hoje, outra duas árvores também serão retiradas. A Prefeitura de Guarapari divulgou em nota que a Secretaria Municipal de Obras já iniciou a avaliação dos estragos para iniciar o plano de trabalho para recomposição e normalização do trecho afetado. Possíveis intervenções e prazos não foram informados.

Um plano de trabalho será feito pela prefeitura para normalização do trecho afetado.

O fato chamou a atenção para as necessidades e pedidos antigos de moradores e comerciantes da região. “A nossa praia e a rodovia estão sendo levadas pela erosão. Se fala de estudo, mas nós precisamos de ações da obra de contenção da maré e engordamento da praia. Nós temos a promessa da obra de urbanização, só que antes é preciso conter a ação para que possamos ter o que urbanizar”, declarou Marlene Demicheli, presidente da Associação de Moradores de Meaípe.

Nhozinho Mattos, empresário, contou que sonha de olhos abertos com a urbanização e consegue ver o turista passeando em um belo calçadão. “Eu não desanimo, mas me sinto cada vez mais triste com a situação de Meaípe, que somos dependentes do turismo. Estamos abandonados e o poder público deveria olhar com mais seriedade para o nosso turismo. Parece exagero, mas Meaípe está sendo tratado como fundo de quinta de Guarapari e nós merecemos mais”, desabafou.

É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do FolhaOnline.es.

Tags:

Anúncio
Anúncio

Veja também

Parque de Itaúnas - Paulo Sena - Seama

Parques estaduais abrirão neste final de semana

EscolaAlfredo

Em meio a aulas online, escola de Alfredo Chaves inova e cria atividades práticas a distância

Anúncio
Anúncio
Como-Montar-Uma-Clinica-Medica

Processo seletivo para médico é aberto em Guarapari

hpm

Governo do Estado investe R$1,5 milhão em melhorias na estrutura do HPM

O governado assinou, ontem (24) a Ordem de Serviço para início da reforma geral do Hospital da Polícia Militar, situado em Vitória

Anúncio
materia134mes092020

Polícia Militar apreende drogas na Praia do Morro em Guarapari

Foto: Reprodução

Guarapari registra mais 14 pessoas curadas e 12 novos casos da Covid-19

O município contabiliza 3.336 casos confirmados da doença e 116 em investigação

Anúncio